Doenças Mentais

Alucinações hipnopômpicas e hipnagógicas

Você já acordou com a sensação de ter visto ou ouvido coisas esquisitas durante o sonho? As alucinações hipnagógicas, que acontecem na transição da vigília para o sono, e as alucinações hipnopômpicas, que acontecem ao acordar, podem ter sido as responsáveis por isso. Compreenda esse tipo de ilusão e por que elas surgem.

Você já acordou no meio da noite com a sensação de ter visto algum tipo de criatura estranha ou ouvido sons incomuns? Embora essas experiências possam parecer assustadoras à primeira vista, acredite: elas são mais comuns do que se imagina.

Na verdade, passar por essas situações pode fornecer informações valiosas sobre nossa saúde mental, qualidade do sono e até mesmo indicar a presença de transtornos subjacentes. Ao explorarmos as origens e os significados das alucinações noturnas, abrimos portas para uma compreensão mais profunda de nós mesmos.

Neste artigo, mergulharemos de maneira abrangente nas alucinações noturnas, investigando suas causas e sintomas. Além disso, descobriremos por que é fundamental conhecer essas experiências para obtermos melhor compreensão do processo de sono.

O que são essas alucinações?

Antes de mergulharmos nas peculiaridades das alucinações noturnas, é importante entender o que elas são exatamente. Essas imagens vívidas e sons que surgem durante o sono são conhecidos como alucinações hipnagógicas e hipnopômpicas.

Mulher acordada na cama olhando para o despertador
dragana991 de Getty Images

As hipnagógicas ocorrem durante a transição entre a vigília e o sono, enquanto as hipnopômpicas são experimentadas ao acordar. Agora, vamos explorar cada uma mais a fundo.

Alucinações hipnagógicas

Essas alucinações ocorrem quando estamos prestes a adormecer e nosso cérebro ainda está em estado de vigília. Elas podem assumir formas diversas, como figuras geométricas, rostos ou até mesmo criaturas fantásticas. Você já teve esse tipo de alucinação?

Acredite, essas imagens podem ser assustadoras, mas são inofensivas e geralmente desaparecem rapidamente.

Alucinações hipnopômpicas

Por outro lado, as alucinações hipnopômpicas são vividas ao acordar. Nesse caso, as pessoas experimentam alucinações visuais ou auditivas.

Essas alucinações podem parecer reais e variam de pessoa para pessoa. Incluem visões de pessoas, animais ou objetos inexistentes, bem como sons estranhos ou vozes.

Entendendo as causas das alucinações

As alucinações noturnas podem ter diversas causas. Vamos apresentar algumas delas:

Disrupção do ciclo de sono: distúrbios do sono, como a insônia, a apneia do sono e a narcolepsia, podem perturbar o padrão de sono normal, levando ao surgimento de alucinações durante a noite.
Efeitos colaterais de medicamentos: alguns medicamentos utilizados no tratamento de condições psiquiátricas podem desencadear alucinações noturnas como efeito colateral. É importante discutir com o médico qualquer alteração na experiência do sono após o início de um novo medicamento.
Abuso de substâncias: o uso excessivo de substâncias como álcool e drogas psicotrópicas pode desencadear alucinações durante o sono, afetando a qualidade e a percepção da realidade.
Estresse e ansiedade intensos: em momentos de grande estresse emocional ou ansiedade, as alucinações noturnas podem ocorrer como uma manifestação dos níveis elevados de tensão mental.
• Fatores ambientais: estímulos externos, como luzes intermitentes, sons incomuns ou ambiente desconfortável, também podem influenciar o aparecimento de alucinações durante o sono.

Associações entre transtornos mentais e do sono

Além dessas causas, é importante considerar a presença de transtornos mentais e do sono ao avaliar e tratar as alucinações noturnas:

Narcolepsia: transtorno do sono caracterizado por sonolência excessiva durante o dia e episódios de sono repentino. Alucinações noturnas são comuns em pessoas com narcolepsia.
Paralisia do sono: condição em que a pessoa é temporariamente incapaz de se mover ou falar durante o sono ou ao acordar. A paralisia do sono pode estar acompanhada de alucinações vívidas e assustadoras.
Esquizofrenia: transtorno mental grave que envolve alucinações em diversos momentos, incluindo durante o sono. As alucinações noturnas podem estar relacionadas aos sintomas psicóticos da esquizofrenia.
Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT): pessoas que sofrem de TEPT podem experimentar flashbacks e pesadelos relacionados a eventos traumáticos, como alucinações noturnas intensas.
Transtorno de ansiedade: alucinações noturnas podem ocorrer em pessoas com transtornos de ansiedade, como o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) ou transtorno do pânico, especialmente durante períodos de elevada ansiedade.

Tipos de ilusão

As alucinações noturnas se manifestam de diferentes maneiras. Vamos explorar os dois principais tipos: alucinações visuais e alucinações auditivas.

(1) Mulher jovem escondendo o rosto da sombra (alucinação) / (2) Mulher ouvindo outra mulher falando no seu ouvido.
(1) Africa images no Canva Pro / (2) C Technical de Pexels

As alucinações visuais envolvem a percepção de imagens que não estão presentes no ambiente real.

Por exemplo, uma pessoa vê sombras se movendo, figuras humanas ou até mesmo objetos estranhos. Essas visões podem parecer extremamente reais e até mesmo interagir com o ambiente ao redor.

Enquanto isso, as alucinações auditivas são aquelas em que as pessoas ouvem sons ou vozes que não são provenientes de fontes externas.

Podem ser sussurros, ruídos inesperados ou até mesmo diálogos completos, por exemplo. Essas experiências sonoras podem ser perturbadoras e causar desconforto.

Conheça 5 sintomas de alucinações

As alucinações noturnas apresentam uma variedade de sintomas, que podem variar de pessoa para pessoa.

Separamos 5 sintomas comuns associados a essas experiências:

Percepção de presenças: durante as alucinações noturnas, é comum sentir a presença de pessoas, animais ou entidades desconhecidas no ambiente, mesmo estando sozinho. Essa sensação pode ser intensa e realista, causando desconforto e medo.
Visões ou imagens vívidas: durante as alucinações noturnas, é possível ver objetos, cenas ou cenários que parecem reais, mesmo que não estejam presentes no ambiente. Essas visões podem ser surreais, assustadoras ou desconcertantes.
Sons e vozes: alucinações auditivas também podem ocorrer durante as experiências noturnas. Pessoas relatam ouvir vozes, sussurros, sons inexplicáveis ou até mesmo músicas durante esses episódios, mesmo sem haver nenhuma fonte sonora real.
Sensações táteis: embora menos comuns, algumas pessoas podem experimentar sensações táteis durante as alucinações noturnas. Isso inclui sensações como toques, arranhões, picadas ou formigamento na pele, mesmo sem estímulos físicos reais.
Emoções intensas: durante as alucinações noturnas, é comum sentir emoções intensas, como medo, ansiedade, pânico ou confusão. Essas emoções podem estar relacionadas às experiências alucinatórias em si ou ao desconforto de se perceber em um estado de consciência alterado.

Esses sintomas ocorrem isoladamente ou em combinação, e a intensidade e a duração das alucinações variam de pessoa para pessoa.

Caso você esteja enfrentando sintomas de alucinações noturnas frequentes ou perturbadoras, é recomendado buscar orientação de um profissional de saúde para uma avaliação adequada e possível tratamento.

Vamos entender agora quais especialistas você pode procurar!

Quais especialistas procurar no caso de alucinações

Se você está enfrentando alucinações noturnas persistentes e preocupantes, é importante procurar ajuda especializada. Aqui estão alguns profissionais que você pode consultar:

Médico clínico geral: o médico de família pode ser o primeiro profissional a ser consultado, pois ele poderá avaliar a situação e encaminhá-lo ao especialista adequado, se for necessário.
Psiquiatra: especialista em saúde mental, o psiquiatra pode avaliar possíveis transtornos mentais associados às alucinações noturnas e prescrever tratamentos adequados.
Neurologista: esse especialista ajuda a descartar condições neurológicas subjacentes que podem estar relacionadas às alucinações noturnas.

Conhecer os sintomas e as possíveis causas das alucinações noturnas é fundamental para que possamos compreender melhor essas experiências e buscar o suporte adequando, quando necessário.

É importante estar atento aos sinais e sintomas que ocorrem durante o sono, especialmente se forem frequentes, perturbadores ou causarem impacto significativo na qualidade de vida.

Você também pode gostar:

Compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais e incentive-os a descobrir mais sobre esse aspecto da nossa vida noturna.

Conhecimento e conscientização são poderosos aliados na compreensão das alucinações noturnas e na promoção de um entendimento mais amplo sobre nossa saúde mental e bem-estar!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br