Nutrição

Aprenda a congelar os alimentos corretamente

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Mantenha os nutrientes e as vitaminas daquilo que alimenta a sua vida

Trabalho, estudo, família, são muitos os compromissos diários. O ideal seria prepararmos alimentos todos os dias, mas, onde encontrar tempo nessa correria? Por isso mesmo, congelar alimentos prontos ou fazer comida para a semana toda é a solução. E para quem não sabe, essa prática pode preservar as vitaminas dos alimentos.

Segundo pesquisa realizada pela nutricionista Barbara Klein para a Universidade de Illiniois (Estados Unidos), o feijão verde preserva vitamina C quando refrigerado. Esse processo mantém a integridade dos alimentos, porque impede a proliferação de microorganismos e também a atividade enzimática, evitando assim a deterioração. Entretanto, alguns microorganismos sobrevivem, razão pela qual devemos adotar alguns cuidados antes e depois do congelamento. Ficou curioso? Então, confira esse super guia que nós preparamos e aprenda a congelar os alimentos corretamente.

Congelar por quanto tempo?

Os alimentos podem ficar até 12 meses no congelador, desde que seguidas as orientações contidas na embalagem.

Tudo pode ser congelado?

Nem tudo. Batatas, ovos cozidos, saladas, gelatinas, cural, pudins e maionese são exemplos de alimentos que tem textura e sabor alterados se forem congelados.

Embalagem

Item fundamental para a qualidade dos alimentos congelados. A embalagem ideal evita o contato do alimento com o ar do freezer, resiste à gordura, adere ao alimento antes que ele congele e se solta facilmente dele. Deve ser à prova d’água e de preferência a vácuo. A maioria é vendida em supermercados e lojas de utilidades domésticas. Vejam quais são os tipos mais comuns de embalagens:

shutterstock_264845198

  • Saco de polietileno: Ideais para alimentos com forma irregular. Antes de selar ou fechar, esprema o ar para fora do saco, isso protege o alimento da oxidação. Use os sacos de polietileno na conservação de frutas e vegetais, que são produtos secos com pouco ou nenhum líquido.
  • Potes e travessas estilo pirex: Por resistir às temperaturas frias e quentes, você pode colocar um pirex no forno pré-aquecido logo após ter tirado do congelador, diferentemente dos recipientes de vidro comuns, que quebram com a temperatura do freezer. Alimentos armazenados em recipientes de vidro podem ser retirados da embalagem somente descongelados.

Observação: Deixe uma borda de aproximadamente 2 centímetros, porque durante o congelamento, os líquidos se expandem.

  • Recipientes plásticos com tampa: Disponíveis em vários tamanhos e formas têm por vantagens a possibilidade de empilhamento, o que deixa o freezer mais organizado, a facilidade de limpar e por serem adequados para líquidos e sólidos. A tampa tem importante papel, evitar a entrada de ar e impedir a fuga de umidade, quando o alimento for congelado por muito tempo. Na falta da tampa, envolva a embalagem com saco plástico, tire o ar e lacre com arame plastificado. Esse tipo de embalagem precisa resistir a altas temperaturas, do contrário, danificam a tampa e racham.
  • Plásticos aderentes: Apresentado em rolos. Você precisa pressionar bem o plástico nos alimentos, a fim de evitar a formação de bolhas. Vede com fita-crepe.
  • Papel alumínio: Bastante utilizado por quem cozinha, o papel alumínio é mais recomendável para proteger os alimentos na geladeira. Se quiser congelar, saiba que o papel alumínio resiste pouco tempo. Nesse caso, envolva o alimento com folhas duplas, pressione bem e deixe a face brilhante em contato com ele.
  • Bandejas e pratos aluminizados com tampa: São várias formas e tamanhos. Ótima pedida para guardar comida pronta ou pré-cozida no freezer por até um dia. Se não tiver tampa, envolva o recipiente com sacos plásticos, pressionando bem para não formar bolhas. Tem a vantagem de poder lavar a embalagem e usar outras vezes, evitando que você gaste dinheiro a todo momento.

Agora você já sabe por quanto tempo e quais as embalagens mais apropriadas para congelar alimentos, mas, cada um deles requer cuidados especiais, para garantir seu melhor aproveitamento.

Vamos falar sobre os produtos mais comuns na casa da maioria das pessoas e como congelá-los da forma correta.

shutterstock_57325222

Pratos prontos 

Você fez aquela comida maravilhosa, porém, errou na mão e sobrou. Com todo mundo falando sobre sustentabilidade, jogar alimentos no lixo é um verdadeiro crime. Congele e tenha uma carta na manga quando não souber o que fazer. Guarde a comida ainda quente e coloque em pequenas quantidades em vasilhas de plástico com água gelada e pedras de gelo. Caso tenha preparado o alimento com a finalidade de congelar, tempere e cozinhe minimamente, pois, o congelamento amacia e realça os temperos. Não congele vários tipos de pratos em uma única embalagem.

Arroz – Tem a opção de ser congelado pronto. Refogue como de costume, cozinhe e deixe esfriar. Divida em porções e guarde em sacos ou potes plásticos com tampa. Identifique a quantidade e a data de preparo com etiquetas.

Feijão – Se estiver pronto, espere esfriar e coloque em potes plásticos com tampa e guarde no freezer. Quando for cozinhar, faça apenas a quantidade necessária. O procedimento é o mesmo para o feijão cozido, porém, seu tempo de validade é um mês. Grude etiquetas nas embalagens para se lembrar quando foi feito.

Sopas e ensopados – Refogue as carnes com os temperos e adicione os legumes, em seguida, acrescente o macarrão. Ponha a panela em um recipiente com água gelada para cessar o cozimento e esfriar. Coloque pequenas porções em potes plásticos. Deixe no freezer por até três meses.

Massas – Podem ser congeladas cruas ou assadas. Montar a lasanha, rondelli ou canelone em refratário forrado com papel filmes. Troque o molho branco por amido de milho, a consistência fica melhor após o descongelamento. Caso julgar melhor, depois de duas horas de freezer, tire do recipiente e embale com saco plástico, retirando o excesso de ar.

Panquecas – As panquecas podem ser congeladas em grande quantidade, já recheadas e com molho, ou somente a massa. Ao congelar a massa, separe com filme plástico para não grudar. As panquecas recheadas devem ser congeladas em potes plásticos ou em um refratário coberto com papel filme. Tempo de armazenamento é de três meses.

Carnes – Todos os tipos podem ser congeladas. Quando crua, não lave, nem tempere, apenas tire a gordura e os ossos. Não use papel alumínio, pois, ressecam a carne. Prefira os sacos plásticos ou papel aderente. Não dobre a carne e embale em porções individuais. Já as carnes assadas, devem estar frias. Podem ser congeladas inteiras ou fatiadas, dentro de sacos ou potes plásticos com tampa. O molho pode ficar junto com a carne ou separado.

Aves – Se abatida no ato da compra, deixe esfriar por seis horas no refrigerador. Miúdos deverão ser embalados separadamente. Retire a ave do refrigerador e coloque sacos plásticos dentro da ave, se quiser guardá-la inteira. Do contrário, coloque os pedaços em sacos plásticos. Não se assuste com a cor escura dos ossos depois de congelados, isso não altera a qualidade da ave.  Atenção para os prazos, aves inteiras de 6 a 8 meses e frango em pedaços de 9 a 12 meses.

Peixes e frutos do mar – Escolha o mais fresquinho, escamas resistentes e brilhantes, olhos brilhantes, pele colada à carne, carne não pode se soltar da espinha, brânquias resistentes e sem muco. Se puder, guarde o peixe inteiro e conserve a pele para proteger o peixe. Peixes gordos (salmão, atum e sardinha) congelam mais facilmente. Peixes magros como truta, pescada, bacalhau, linguado podem ser conservados por mais tempo (6 a 8 meses) . Para congelar o bacalhau, apenas retire o sal. Camarões precisam estar frescos, preferencialmente recém-pescados. Congele sem a cabeça ou sem a casca. Embale em potes ou sacos plásticos. Para cozinhar, ferva por cinco minutos.

Frutas – Com exceção da banana e pêra d’água, todas as frutas podem ser congeladas. Lave com água gelada, descasque e tire as sementes. Congele inteiras ou cortadas e guarde no freezer em sacos plásticos. As polpas que serão usadas para sucos devem ficar em embalagens individuais ou em forminhas de gelo.

Alguns exemplos:

Abacaxi: ao natural, misturado com açúcar ou em calda por até 12 meses;
Amora: inteira, com ou sem caroço, com açúcar ou ao natural com casca por até 12 meses;
Morango: após secar pode ser guardado ao natural com açúcar por 12 meses;
Manga: sem casca, sem caroço, ao natural, em pedaços por 12 meses.

Vegetais – A maioria precisam ser pré-cozida antes do congelamento. O “branqueamento” conserva textura, cor e sabor. Tire as partes danificadas, descasque e corte os vegetais. Ferva um litro de água e coloque 100g de vegetais, baixe o fogo e cozinhe-os até que fiquem “al dente”. Com uma peneira, tire a porção e mergulhe em um recipiente com água e gelo até ficarem frios. O procedimento é fundamental importante para deter a ação do calor, que continua cozinhado o alimento mesmo com o fogo desligado. Escorra e embale em potes plásticos com tampa ou em sacos plásticos, retirando o ar.

Confira alguns exemplos de vegetais e seu tempo de conservação:

Brócolis: deixar de molho por 10 minutos em água com vinagre e cozinhar com água e sal por três minutos e estocar por até 12 meses;
Cebola: picada ou em rodelas, também pode ser congelada crua, cozinhar por dois minutos e estocar por até 10 meses;
Pimentão: cortar, tirar as sementes e congelar cru, não precisa cozinhar, estocar por até 12 meses.
Acelga: Picar a parte verde e cortar a parte branca em pedaços e congelar crua. Cozinhar por dois minutos e estocar por até 6 meses;

Pães, tortas, bolos e salgados

Muita gente congela esses produtos, para não ter que sair para comprá-los a toda hora. Podem ser preparados e armazenados em grande quantidade. Se quiser congelar alimentos que sobraram após o lanche, espere esfriar para guardar em sacos plásticos.

Massas cruas como o pão de queijo, tortas, empadas são as mais indicadas para o congelamento. Após a preparação e modelagem, coloque-os em uma assadeira de alumínio e guarde no freezer, quando estiverem duros, embale em sacos plásticos.

Quando fizer tortas salgadas, substitua a farinha de trigo por amido de milho, a textura após o descongelamento fica melhor. Você também pode congelar pizzas com ou sem recheio.

Laticínios

Não congele o creme de leite, cor, consistência e textura são alterados. As manteigas ou margarinas, preferencialmente sem sal, devem ser congeladas em suas embalagens originais ou em pequenas porções. Já o leite nas embalagens tetra pak precisa ser colocado em sacos plásticos, a fim de evitar acidentes no freezer. Ovos também podem ser congelados, mas, não dentro da casca. Retire da casa, coloque em um pote plástico e mexa devagar com um garfo. Coloque uma colher de café de açúcar ou sal. Gemas e claras podem ser armazenadas separadamente em grande quantidade. Os queijos também podem ser congelados. Os frescos, como a ricota e o minas frescal não podem, pois, sua textura e sabor ficarão comprometidos. Os mais indicados para o congelamento são: mussarela, prato, parmesão, gorgonzola, roquefort, cheddar e camembert.

Veja como os queijos podem ser congelados:

Em pedaços: em porções menores;
Em fatias: colocar uma folha de papel manteiga entre cada camada;
Ralado: rale os queijos macios quando estiverem quase congelados, para não grudar no ralados, separe em pequenas porções;
Como congelar? Em um saco plástico hermeticamente fechado, lembrando de tirar o ar. Não misture queijos diferentes. Armazene por até três meses.

Assim como os ovos, coloque etiquetas nos recipientes dos queijos, identificando a quantidade e a data

Veja quais os prazos de congelamento de alguns laticínios:

Leite fresco: 6 meses;
Manteiga e margarina: 6 meses;
Ovos: 10 meses.

Dicas finais:
  • Use potes plásticos de qualidade, aqueles mais baratinhos racham ou até mesmo quebram;
  • Etiquetas para identificar a data de preparo, quantidade e o nome do alimento facilitam a vida de todo mundo;
  • Não congele alimentos diferentes na mesma embalagem, isso altera o sabor;
  • Ao descongelar um alimento, não coloque de volta no freezer, salvo em casos de produtos crus transformados em receita.

Com todas essas dicas você está pronto para aproveitar todas as vantagens dos alimentos congelados, e, principalmente conservar o poder de nutrição deles. Tudo bem que dá trabalho, entretanto, seguir essas dicas, no final das contas vai deixar a sua vida e a da sua família mais fácil, tanto que o tempo que você gastaria fazendo o almoço ou jantar poderá ser usado para descansar e para se divertir.

• Artigo escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras

 

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]