Autoconhecimento Comportamento Energia em Equilíbrio Saúde Mental

Como espantar o mau humor?

Imagem do rosto de uma mulher de lado. Ela usa uma touca cinza com barrado preto. A touca cobre toda a parte superior da cabeça e dos olhos. Ela está de mau humor.
Med Ahabchane / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

“Nossa, mas que mau humor, hein?”, é pergunta que quase todo mundo já ouviu na vida, não é? Afinal de contas, todo mundo já teve dias ruins, ficou de cara feia ou deu uma resposta atravessada para alguém. Mas, enfim, o que é mau humor?

O mau humor não é uma doença, então não há nenhum sintoma que o defina. Mau humor, assim como tristeza e felicidade, são sensações, emoções e sentimentos, então atingem cada pessoa de uma forma diferente.

O que é humor?

Para entendermos melhor o que é esse estado, vamos entender, de forma geral, o que é humor. A palavra “humor” é derivada do latim “humore”, que significa “líquido”. No senso comum, é o estado de espírito de uma pessoa; se ela está de bom humor, está animada/feliz/alegre, mas se está de mau humor está irritada/triste/desanimada. Segundo a psicologia, o humor é o estado de ânimo de um indivíduo e sua intensidade representa o grau de disposição e de bem-estar psicológico e emocional da pessoa.

Mau humor é doença?

Mas o mau humor pode ser uma doença? Pode, sim, mas antes vamos falar do mau humor que não é patológico.

A todo momento, lidamos com duas interferências: o mundo externo (os acontecimentos da vida, nosso trabalho, nosso relacionamento amoroso, nossas relações familiares e de amizade, os estudos etc.) e o mundo interno (nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas emoções, nossas reflexões etc.). Esses dois mundos nos afetam a todo momento, então podem ser causadores do nosso bom ou do nosso mau humor.

Você se lembra de alguma vez em que estava muito desanimado ou triste, mas isso mudou quando encontrou alguém muito importante para você, comeu sua comida preferida, resolveu internamente uma mágoa ou uma tristeza ou se saiu muito bem em uma prova? Deve se lembrar também de um dia em que acordou animado, mas tudo deu errado, com centenas de problemas no trabalho, brigas com a pessoa que ama, discussões com amigos, súbitas sensações de tristeza…

Imagem de um homem de barba cerrada. Ele usa uma camiseta branca de manga longa, uma boina preta e um colete cinza. Ele está de braços cruzados e de mau  humor.
Free-Photos / Pixabay

Enfim, tudo pode afetar nosso humor, de coisas distantes e pequenas, como o resultado positivo de uma partida de futebol do nosso time, ou perceber, no meio do banho, que o xampu acabou e não tem outro sobrando, então estamos sempre suscetíveis a mudanças de humor, que podem durar minutos, horas, dias, semanas e por aí vai.

Para analisar o seu mau humor, você precisa conhecer profundamente a sua personalidade. Algumas pessoas são mais irritadas ou melancólicas por natureza, então isso não significa que elas estejam de mau humor, apenas que esses são traços de sua personalidade.

Sintomas do mau humor

Separamos abaixo alguns sintomas mais frequentes de um estado de mau humor, confira:

• Aumento ou perda do apetite.
• Isolamento social e sensação de solidão.
• Baixa autoestima e autoconfiança.
• Ausência ou exagero de horas de sono.
• Desânimo e falta de motivação.
• Pensamentos negativos.
• Tristeza.

As consequências do mau humor

Segundo um estudo publicado em 2014 numa revista científica da Associação Americana de Cardiologia (AHA), indivíduos com altos níveis de estresse e que relatavam mau humor constantes e frequentes têm mais chances de sofrerem derrames e ataques isquêmicos transitórios, problemas que normalmente antecedem um AVC.

Mau humor e distimia

Antigamente, “distimia” (que vem do grego e significa, literalmente, “humor ruim”) era um termo empregado para classificar pessoas que estavam sempre irritadas ou desanimadas, mas atualmente é usado para classificar um subtipo de depressão. Diferentemente dos episódios depressivos mais comuns, em que os sentimentos de tristeza são mais intensos, as emoções negativas, num quadro de distimia, são menos “fortes”, mas muito mais duradouros.

A principal diferença entre a distimia e a depressão crônica é a sua duração. A maior parte dos psicólogos e psiquiatras diagnostica distimia quando os sintomas duram pelo menos dois anos, com apresentação de quadros depressivos de tempos em tempos. Quando esses quadros suavizam, os distímicos voltam ao seu humor normal, que é sempre abaixo do considerado normal para quem não sofre com essa doença.

Os sintomas da distimia são os mesmos citados anteriormente no tópico “Sintomas do mau humor”, com o adendo de que, como citado anteriormente, os sintomas costumam ser bastante duradouros.

Imagem de uma jovem garota mestiça debruçada sobre uma mesa. Ela aparenta estar de mau humor.
Phan Minh Cuong An / Pixabay

As causas da distimia ainda são misteriosas, mas os principais estudos apontam para razões hereditárias e genéticas, além de traumas ou convívio conturbado nos primeiros anos de vida. Diferentemente do mau humor, que normalmente é causado por situações, pensamentos e sentimentos desagradáveis, as causas da distimia são muito mais biológicas.

Como em alguns tipos de depressão, não há cura definitiva para a distimia, mas o paciente pode aprender a conviver e a controlar seus sintomas. A psicoterapia é essencial para o tratamento e o controle da doença e o uso de antidepressivos, obviamente receitados por um psiquiatra, pode ajudar no combate aos sintomas e no aumento da qualidade de vida.

Caso não seja tratada, a distimia pode ter consequências bastante negativas. Estudos da OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que entre 15% e 20% dos distímicos farão tentativas de suicídio ao longo de suas vidas, então é essencial procurar ajuda psicológica e, se preciso, psiquiátrica.

Dicas para combater o mau humor

Se o seu caso não é clínico, ou seja, você não está enfrentando um quadro depressivo ou distímico, que exige tratamento clínico e psicoterapia, separamos algumas dicas para que a sua rotina fique mais leve e você consiga escapar aos sintomas e às consequências negativas do mau humor! Dê uma olhada:

1. Tire uma soneca: boa parte dos sentimentos negativos desaparece depois de uma boa noite de descanso, pois acordamos relaxados e renovados. Se não for possível efetivamente dormir quando estiver mau humorado, arrisque um cochilo, mesmo que de 10 ou 15 minutos, para acordar renovado e mais disposto para lidar com o que causou esse mau humor.

2. Faça exercício físico: o exercício físico libera endorfinas e cria uma sensação de bem-estar. Se você não é frequentador assíduo de academias e não gosta desses ambientes, saia para uma caminhada ou uma corrida, mesmo que curtas, porque elas podem ajudar o seu dia. Se for possível, pratique esportes coletivos, que são também boas oportunidades de interação. Outra dica: em vez de esperar o mau humor chegar, adicione os exercícios em sua rotina.

3. Faça sexo: sim. Essa dica nem sempre pode ser seguida com facilidade, mas se você tem um parceiro fixo, revele a ele o seu mau humor e tente criar um clima para uma relação sexual relaxante. Se você não está num relacionamento e não está com vontade de buscar relações casuais, a masturbação é uma ótima opção para chegar a um orgasmo, que libera serotonina e faz com que se sinta mais relaxado.

Imagem de uma mulher de mau humor. Ela usa uma camisa azul clara e uma trança longa em seu cabelo.
Robin Higgins / Pixabay

4. Sinta-se útil: realizar e finalizar pequenas tarefas é um mecanismo bastante prático, rápido e útil para combater o mau humor. Quando estiver mergulhado em problemas e em sentimentos negativos, pequenas tarefas, como lavar louça, limpar e organizar a casa ou riscar da lista de tarefas aquela pendência já antiga são ótimas soluções para promover uma sensação de bem-estar.

5. Passe um tempo com seu animal de estimação: brincar com seu cachorro ou fazer um pouco de carinho no seu gato produz um bem-estar instantâneo, não é mesmo? Além de você ficar mais relaxado, mais feliz e sem se preocupar tanto com o que incomoda, fortalece a sua relação com o seu bichinho e ainda deixa ele feliz e relaxadinho também.

6. Coma uma comida que você ama: num dia difícil, nada mais justo do que mandar a dieta às favas e tomar aquele sorvete ou comer aquele chocolate fora do planejado para se sentir um pouquinho melhor. Se você é do tipo que se sente relaxado e feliz ao cozinhar, que tal preparar o seu prato preferido?

7. Um pouquinho de meditação: a meditação já virou um clichê quando o assunto é espiritualidade e relaxamento. Se você é conhecedor e praticante de meditação, esse tópico talvez nem lhe sirva, porque você já está habituado à prática. Para os não praticantes, desmistificaremos a meditação: esqueça essa palavra, sente-se ou deite-se em uma posição confortável, concentre-se para afastar todos os pensamentos, sejam positivos ou negativos, e fique focado em sua respiração; sinta-a e ouça-a com calma, sem pressa. Fazendo isso por algum tempo, concentrando-se no agora, as sensações negativas e o fluxo problemático de pensamentos diminuirá.

Você também pode gostar

8. Permita-se um pouco de mau humor, afinal: quando terminar um relacionamento, por exemplo, tem sempre um amigo que não entende o nosso luto e tenta nos levantar “do chão” insistentemente, sem compreender nossa tristeza e nos deixar “curtir” um pouco esse sentimento. Isso é muito ruim, porque se estamos tristes, precisamos, sim, dar um pouco de voz a essa tristeza antes de deixá-la para trás. Se estiver estressado, portanto, faça uso da mesma “técnica”: permita-se ficar mau humorado por algum tempo, sejam 10 ou 15 minutos ou até mesmo 1 hora, mas depois deixe tudo isso para trás e comece a encontrar atividades que o façam se sentir melhor.

Independentemente de qual seja o seu tipo de mau humor e do que causou ele, essas pequenas e singelas atividades e atitudes podem mudar o seu dia ou um momento nebuloso pelo qual você está passando. Cuidar de si mesmo é o primeiro passo para viver uma vida mais leve. Se o seu mau humor dura mais tempo do que deveria durar, porém, procure ajuda psicoterapêutica para entender o que está acontecendo e como é possível combater esse mal que está afetando a sua vida e que pode ser bastante grave.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]