Comportamento Saúde Mental

Como lidar com a ansiedade no dia a dia

Mulher sentada em uma mesa de escritório, com a cabeça apoiada sobre as mãos, em sinal de estresse.
123RF/lenetstan
Ana Racy
Escrito por Ana Racy

O tema ansiedade tem aparecido cada vez mais nas conversas e no comportamento das pessoas nos diferentes ambientes de sua vida: profissional, familiar ou mesmo entre amigos.

“Considerada, até certo ponto, uma reação natural do ser humano, útil para se adaptar e reagir perante situações de medo ou expectativa, a ansiedade torna-se patológica quando atinge um valor extremo, com carácter sistemático e generalizado, em que começa a interferir com o funcionamento saudável da vida do indivíduo”, segundo o site Significados.

O estilo de vida moderno acaba levando as pessoas a desenvolverem o que Augusto Cury chama de SPA – Síndrome do Pensamento Acelerado.

No mundo atual as informações chegam de forma exagerada, com muita rapidez, e é muito trabalhoso organizar todas essas informações sem estressar o cérebro.

“O excesso de informações satura o córtex cerebral, produzindo uma mente hiper pensante, agitada, com baixo nível de tolerância, impaciente e sem criatividade”, segundo Augusto Cury.

Mulher com a mão escondendo o rosto e a cabeça baixa.
Foto de Juan Pablo Serrano Arenas no Pexels

Pensando nisso, vamos ver um pouco do que rodeia a vida de crianças, jovens e adultos hoje em dia? A Internet e as redes sociais tais como Facebook e Instagram, fazem parte do cotidiano e têm grande influência em suas vidas. Só isso seria suficiente para desequilibrar a saúde mental e emocional da maioria dos seres humanos, porque ali está exposto um mundo de fantasia com pessoas que viajam o ano inteiro, bem sucedidas financeiramente, vestidas com roupa da moda, bem maquiadas. Ali não existe quem tenha problema e isso gera um nível altíssimo de insatisfação em quem fica assistindo a tal exposição e comparando com a própria vida.

É muito importante dizer que as pessoas podem postar o que desejarem em sua linha do tempo e podem ter diferentes motivações para isso. Já as pessoas que leem precisam de maturidade emocional para não se desestabilizarem pelo que foi postado. No entanto, a realidade é bem diferente disso, porque grande parte das pessoas ainda não sabe gerir suas emoções, e isso faz com que as redes sociais sejam uma grande fonte de estresse, geradora da ansiedade e da SPA.

Você também pode gostar

O excesso de informação, de atividade intelectual, as preocupações, as pressões sofridas no trabalho, as dívidas, o uso de celular e de computador, a insônia, a mente agitada, o pensamento negativo, tudo isso torna o indivíduo um alvo fácil da Síndrome do Pensamento Acelerado.

E o que pode ser feito para prevenir ou evitar o desenvolvimento da SPA?

  1. Aprender a lidar com as emoções. Hoje em dia, observa-se que as pessoas não podem sentir tristeza, é como se precisassem ser alegres o tempo todo. Mais que isso, busca-se a felicidade constante. É preciso ser feliz 24 horas por dia, 7 dias por semana, senão tem alguma coisa errada. Mas isso não é possível. É como se a vida só valesse a pena ao encontrar a profissão perfeita, o companheiro perfeito, como descrito acima sobre as postagens nas redes sociais. Importante compreender que é natural viver momentos de tristeza, insatisfações, frustrações, decepções, isso é parte da vida. É necessário identificar, reconhecer, aceitar o que sente para depois aprender a gerenciar cada um desses sentimentos. Isso tornará o indivíduo dono de si mesmo, passando a ser o protagonista de sua vida.
  2. Equilibrar o tempo usado para o trabalho e para o lazer, as duas coisas são importantes na vida. Desenvolver-se profissionalmente faz bem e atende uma necessidade egocêntrica. E para ter paz podemos oferecer tempo de qualidade aos familiares e amigos, atendendo assim uma necessidade empática. Encontrar essa harmonia na vida significa seguir feliz.
  3. Não sofrer por antecipação, ninguém é dono do futuro e por que sofrer por algo que não sabe se vai acontecer? Isso leva ao próximo item:
  4. Aprender a viver o presente, um dia de cada vez. Importante aprender a usar a energia para aquilo que é real e não sofrer por aquilo que não existe.
  5. Desenvolver empatia. Colocar-se em sentimento no lugar do outro, perceber suas necessidades e dores. Oferecer, dentro da sua possibilidade, o que o outro necessita.
  6. Considerar que não é possível impedir a chegada de uma emoção, mas é possível pensar o que fazer depois que ela chega. Ou seja, distanciar-se da atitude impulsiva e pensar antes de agir.
Mulher de botas e vestido sentada na janela, lendo um livro.
Foto de Thought Catalog no Pexels

Essas dicas podem ser muito valiosas e são, também, trabalhosas. No entanto, ter um guia equivale a ver uma luz no fim do túnel.

Portanto, a hora é chegada e o tempo é agora. Sigamos confiantes no exercício da harmonia e da paz! Ótima sorte a todos!

Sobre o autor

Ana Racy

Ana Racy

Psicanalista Clínica com especialização em Programação Neurolinguística, Métodos de Acesso Direto ao Inconsciente, Microexpressões faciais, Leitura Corporal e Detecção de Mentira. Tem mais de 30 anos de experiência acadêmica e coordenação em escolas de línguas e alunos particulares. Professora do curso “Psicologia do Relacionamento Humano” e participou do Seminário “O Amor é Contagioso” com Dr. Patch Adams.

E-mail: [email protected]