Autoconhecimento Sagrado Feminino Saúde Integral

Como ser mais ecologicamente correto com seus produtos menstruais

Ilustração de calcinha e coletor menstrual em harmonia com o planeta
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
A preocupação com o meio ambiente tomou maiores proporções nas últimas décadas, após cada vez mais notícias sobre destruição ambiental e sobre nosso lar, a Terra, alertar sobre o planeta não conseguir mais repor elementos naturais vitais para a nossa vida por causa da velocidade de produção nas indústrias. Catástrofes naturais, ou nem tão naturais assim, têm assustado milhares de pessoas em diversos países do mundo e o aumento pela procura de meios para diminuir o impacto humano sobre a natureza é notável. Desta forma, surgiu a reflexão e a discussão sobre a geração de lixo individual pela qual cada um de nós é responsável.

Pensando em como podemos fazer a nossa parte para impedir que este círculo vicioso de destruição continue acontecendo, a importância do consumo consciente de produtos e da redução do uso de descartáveis veio à tona, além de uma reflexão sobre a forma como estes produtos são consumidos e jogados fora de forma desenfreada. Se reciclar ou ao menos separar o lixo reciclável nunca foi um assunto interessante para você ou para as pessoas da sua casa, esta é a hora perfeita para começar a ser. A preocupação é real e nosso planeta precisa do máximo de ajuda possível para que o ritmo de sua deterioração desacelere.

Latas de lixo com as cores da reciclagem cada

Dentre os diversos produtos biodegradáveis, recicláveis e reciclados ou reutilizáveis, uma onda de alternativas para o absorvente convencional, geralmente usado por algumas horas e depois descartado para fazer parte das toneladas de lixo diárias que as cidades produzem, vem buscando espaço nas redes sociais para conquistar consumidoras e disseminar informações sobre seu uso e seus benefícios à mulher e ao meio ambiente. Para permanecer a favor da sustentabilidade mesmo durante a menstruação, foram criados absorventes biodegradáveis, orgânicos, sustentáveis…

Três tipos de absorventes descartáveis

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), os absorventes comuns, usados mundialmente pelas mulheres, têm em sua estrutura uma capa de tela polimérica (que permite a passagem dos resíduos orgânicos), uma capa de apoio estrutural, feita de fibra longa de celulose, e um núcleo absorvente, composto por polímeros plásticos, algodão e, dentro dele, o chamado gel absorvente, feito de poliacrilato de sódio, uma substância capaz de absorver uma quantidade muito grande de água. Além de lotarem aterros sanitários, onde levarão cerca de 500 anos para se decompor, a incineração – que seria a outra provável alternativa para o descarte -, gera gases tóxicos e libera dioxina, cloro e outras substâncias potencialmente danosas na natureza.

Caixinha com absorvente de pano e coletor menstrual

Cada vez mais alternativas a este produto chegam ao mercado brasileiro. Adotá-los significa fazer as pazes com o meio ambiente e contribuir para a sua preservação. Muitas destas alternativas, inclusive, são mais confortáveis para a própria mulher e não prejudicam em nada a saúde. No caso de não achar facilmente itens menstruais considerados ecológicos, um bom começo é pesquisar melhor na hora de comprar, dando uma lida nos componentes dos absorventes disponíveis, pois existem absorventes internos e externos com menos plásticos e químicos. Os absorventes da marca britânica Natracare, disponíveis em lojas de produtos naturais e na internet, cumprem o que prometem: feitos com algodão orgânico, eles são biodegradáveis e hipoalergênicos. Contudo há relatos de que o produto desmancha com mais facilidade que os comuns e que pode haver alguns vazamentos. Além disso, o preço é elevado em comparação aos absorventes que têm plástico em sua composição.

Kit absorventes Natracare

O coletor menstrual é uma das alternativas mais famosas da internet e vira e mexe aparecem propagandas suas em redes como o Facebook. Feito de silicone hipoalergênico, o coletor é basicamente um copo reutilizável, antibacteriano e ajustável ao corpo, que pode ficar até 12 horas sem ser esvaziado, dependendo do fluxo menstrual. Quando o coletor estiver cheio, precisa ser lavado antes de ser reutilizado. Sua durabilidade é de quatro a dez anos, dependendo dos cuidados com o produto.

Mão segurando coletor menstrual

Para quem busca conforto e praticidade, a calcinha menstrual é a solução. Trata-se de uma calcinha que retém o sangue menstrual sem deixar nada vazar, porque possui várias camadas. No Brasil, a marca Pantys é a responsável pela produção e pela venda destes produtos reutilizáveis, higiênicos e sustentáveis. Outro método, um dos mais antigos em relação à menstruação, é o uso de absorventes de pano. Da mesma forma que o coletor e a calcinha, é necessário lavar para utilizar novamente, o que pode ser um problema para algumas mulheres que não estão acostumadas a lidar tão diretamente com o sangue menstrual.

Você também pode gostar de:

Deixando tabus e preconceitos de lado, vale a pena testar pelo menos alguns dos métodos citados acima, pelo bem do planeta. Quem sabe algum deles não seja perfeito para a sua necessidade e se torne seu novo melhor amigo naqueles dias? Faça o teste, comprove e, acima de tudo, faça sua parte.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]