Autoconhecimento

Conheça o trabalho de uma Personal Organizer

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Manter a casa organizada dá uma sensação ótima. E não só a casa, os armários e muito mais. Mas muitas pessoas tem uma dificuldade de manter a casa organizada. Conversamos com a personal Organizer Carol Rosa que nos conta um pouco de sua trajetória e do trabalho dela. Confira a entrevista e se inspire para organizar a casa neste final de ano.

Eu sem Fronteiras: Há quanto tempo você trabalha como Personal Organizer?

Carol Rosa: Estou no mercado de personal organizer há 4 anos. 

ESF: De onde surgiu a vontade?

CR: Eu trabalhava, até então, na área financeira. Mas não me sentia 100% satisfeita. Sentia falta de fazer o que gostava. Sempre fui organizada. Era daquela que ajudava a arrumar o quarto das amigas, por puro prazer. 

ESF: O que lhe fez trocar de área?

CR: Deixei a área financeira porque não estava feliz. Um dia a minha mãe precisou fazer uma mudança e eu não pude ajudá-la. Então ela contratou esse serviço. Aí conheci a profissão e resolvi que era com o que gostaria de trabalhar. Entrei em cursos e comecei na área.

ESF: Você tem uma equipe?

CR: Sim. Eu estou sempre na casa da pessoa que me contrata. Nunca mando a equipe sem mim. Mas tenho pessoas que me ajudam. Chegam a ser de 1 a 3 ajudantes, de acordo com o tamanho do cômodo a ser organizado. Pessoas da minha extrema confiança, que entendem o quão delicado é você estar no closet de alguém, abrindo as suas gavetas. Trabalho em ambientes muito íntimos. Sem discrição, sensibilidade e confiança, não dá para trabalhar. 

ESF: Você já gostava de manter as coisas organizadas e achou que seria uma área que poderia ampliar?

CR: Sempre gostei. Mas não achava que era uma profissão. Quando descobri que dava para unir o agradável ao útil (nessa ordem mesmo, nesse caso), foi maravilhoso. 

12142599_608276935979307_681760296_n
ESF: Poderia dizer qual o maior erro das pessoas na hora de tentar deixar a casa organizada?

CR: O maior erro das pessoas é não categorizar o que tem. É preciso tirar tudo do armário para visualizar todas as peças antes de arrumá-las. Tem gente que organiza por pedaços. Aí coloca as malhas em um lugar, por exemplo, mas depois começa a achar mais malhas espalhadas e percebe que o local escolhido inicialmente não acomoda. 

ESF: Poderia dar uma dica geral de organização?

CR: As pessoas precisam saber o que tem. Então antes de começar a arrumar qualquer cômodo da casa que seja, tire tudo do lugar para, depois, começar do zero. Crie o lugar certo para cada item, faça divisórias entre o que é espaço de um item e o que já é de outro. Monte como se fossem casinhas de cada coisa. Isso ajuda a localizar mais facilmente o que procura. Resultando em praticidade e economia de tempo. 

ESF: Por que trabalhamos e nos sentimos melhor em um ambiente organizado e por que muitas pessoas tem uma dificuldade de deixar a casa organizada? Acredita que a vida destas pessoas também pode ser um pouco conturbada?

CR: Sim. Estudos mostram que quem é desorganizado perde cerca de 15 minutos por dia procurando a roupa que vai usar. Um tempo que pode ser usado para passar com a família, tomar um café da manhã com mais calma, sair mais cedo de casa para não se atrasar no trabalho… Um ambiente organizado é um ambiente prático e aconchegante. 

ESF: Muitas pessoas e (inclusive eu) têm curiosidade em saber qual é o segredo para manter a casa com aquele cheiro de casa limpa e organizada. As lavandas ajudam?

CR: As lavandas ajudam, sim. Mas o segredo é sempre aplicar o aromatizador na casa com ela limpa. Tem gente que passa com a casa suja, achando que isso vai ajudar. Mas, nesse caso, o aroma não fixa. O ideal é sempre limpar a casa e aí sim usar uma lavanda, um difusor de ambiente, um home spray…

ESF: Você atende somente no Rio ou São Paulo?

CR: Não. Tenho clientes por todo o Brasil. Na semana passada mesmo estava em Salvador. Não tenho restrições. Onde me chamarem, eu vou. 

12301299_973848662674017_716850157_n

ESF: Você tem muitos clientes, inclusive famosos como a Deborah Secco? Como foi fazer esta trajetória e ter o reconhecimento das pessoas?

CR: Maravilhoso. Não podia estar mais feliz… A Deborah Secco é uma querida. Confiou no meu trabalho, abriu as portas da sua casa (e dos seus armários) para mim. Deixou que eu organizasse o quarto da filha, Maria Flor, que está para chegar. E a gente sabe como as mães sonham em deixar o quartinho dos filhos perfeito. Ela acreditou em mim e me passou a missão de realizar esse sonho. Saber que ela gostou do resultado, que era o que ela esperava, é um presente.  Quando vejo que estão gostando do meu trabalho, que estão indicando o meu nome para outras pessoas, vejo que estava certa quando, há 4 anos, resolvi investir no que eu gostava de fazer. 

A minha trajetória é resultado disso: de gostar de fazer o que eu faço. 

Com o objetivo de ajudar as pessoas que querem manter a casa organizada, resolvi ministrar um curso sobre o assunto. Vou ensinar técnicas para arrumar o closet, para guardar roupinhas de bebê, entre outros.

Conheça mais sobre o trabalho de Carol Rosa.
Visite seu Instagram: @carolrosaorganizer

  • Entrevista concedida a Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Fotos: Reprodução / Instagram

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]