Nutrição

Conheça os terríveis malefícios do leite

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O leite está comumente presente na alimentação dos brasileiros e também é comum em muitos outros países. Anteriormente era consumido diretamente da vaca, a retirada de leite fazia parte do ritual de fazendeiros e famílias do interior. Atualmente é mais consumido na forma industrializada e com algumas variedades.

Uma dieta balanceada exige a presença de diferentes nutrientes e classes de alimentos. Entre eles gorduras, carboidrato e proteínas. Sendo assim, leite se mostra um bom componente para uma alimentação saudável. Em sua forma integral é rico em gordura, e também nas outras versões: semi desnatado e desnatado, alto nível de proteínas.

Alimento de importante função para crianças, o leite é a primeira fonte de nutrientes que recebemos quando saímos da barriga de nossas mães. Entretanto, este leite se diferencia e muito, daquele que consumimos diretamente do super mercado.

Principais benefícios do leite

A bebida é importantíssima para manter e formar os ossos do nosso corpo. Rica em cálcio, potássio e vitamina B12, também auxilia em outras funções do corpo como fortalecimento do sistema imunológico, qualidade da pele, cabelos, unhas e dentes. Interfere na nutrição dos músculos por meio de suas proteínas e carboidratos e pode prevenir doenças crônicas.

Todas as propriedades benéficas do leite dependem de seu processo de produção e consumo. O leite que vem diretamente do animal ou aquele que os bebês tomam do seio de suas mães é o leite que contém originalmente todos os nutrientes, que quando entram de forma natural (imediatamente após a retirada sem adição de conservantes e outras substâncias inseridas durante o processo de pasteurização do leite industrializado) no corpo humano são capazes de auxiliar certas funções.

shutterstock_319962914

O outro lado

Em contra mão, o leite traz alguns outros efeitos que tem sido cada vez mais evidenciados e podem ser motivos de uma diminuição dele em nossa rotina alimentar.

Como já citado, após ser submetido ao processo industrial, o leite passa a ter muitos outros componentes não originais, estabilizantes e conservantes permitem que ele seja consumido na forma em que consumimos, entretanto, não fazem bem à saúde.

Além disso, desde sua produção animal, o produto já é afetado. Ou seja, as vacas são alimentadas com rações cheias de hormônios para melhor produção. Tais hormônios passam para o leite que produz e consequentemente para o que bebemos.

As restrições

Por que tantas pessoas desenvolvem intolerância à ingestão de leite? Nós somos os únicos seres que temos o hábito de consumir leite mesmo depois de crescidos. Sendo assim, o corpo não é naturalmente preparado para digerir leite para o resto da vida. Por conta disso, muitas pessoas se tornam intolerantes e apresentam problemas quando em contato com componentes do leite.

Aqueles que são intolerantes ao leite e sua composição, são pessoas que apresentam falta de enzimas suficientes para quebrar a molécula de açúcar presente no leite, a chamada lactose.

Sintomas

Quem é intolerante a lactose apresenta dores de barriga, cólicas e incômodos intestinais, assim como gases e retenção de líquidos. Isso se deve ao fato da presença da lactose sem ser “quebrada” dentro de nosso organismo.

A doenças pode ter causas variadas, entre elas: herança genética; diminuição de lactase (enzima responsável pelo processamento da lactose) ao longo do tempo, outras doenças intestinais ou alergias.

Tratamento

A insuficiência de lactase pode ser revertida por meio de medicamentos. Para o tratamento, o primeiro passo é a eliminação temporária de alimentos que contenham lactose. Após certo período os alimentos são reinseridos na dieta a fim de observar a reação do organismo à tal presença.

Durante o período de suspensão da lactose, alguns outros alimentos são boas alternativas para substituir o leite: leite de cabra, soja ou amêndoas, leite de arroz, pães sem lactose etc.

Atualmente, o mercado fornece inúmeras opções para os pacientes com tais sintomas. Entretanto, é importante manter uma alimentação sempre balanceada para que os nutrientes que seu corpo precisa sejam supridos por diferentes fontes. Alimentos como verduras escuras, feijão, castanhas e amêndoas e também os ovos, são boas fontes de cálcio, assim como o leite original.


Texto escrito por Julia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br