Autoconhecimento

Controlando o pessimismo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Vezou outra somos invadidos pelo pessimismo. Demorar mais tempo que o previsto para quitar uma dívida; participar de mil processos seletivos e não passar em nenhum; os seguidos dissabores da vida amorosa; quando não conquistamos aquilo que desejamos, a luz no final do túnel fica cada vez mais distante, até desaparecer por completo. O pessimismo aumenta conforme ficamos mais velhos, devido ao acúmulo de frustrações. Quem sempre espera o pior das situações e das pessoas enxerga o copo “meio vazio”.

Segundo a filosofia, o pessimismo é o caráter das doutrinas metafísicas ou morais que afirmam a supremacia do mal sobre o bem e costumam levar à adoção de uma atitude geral de escapismo, imobilismo ou conformismo, quer seja o mal considerado a privação dos meios de conservação da vida”.
Tal conduta tem presença marcante na filosofia e na literatura. Para o filósofo chinês Confúncio “O pessimismo torna os homens cautelosos, enquanto, o otimismo torna os homens imprudentes”. O escritor irlandês Oscar Wilde dizia que “O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos”. Entretanto, Winston Churchill considerava o pessimismo uma das maiores limitações humanas “O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade”, afirmava o ex-primeiro ministro britânico.

O pessimista também está presente no entretenimento. O personagem Garoto Enxaqueca, criado nos anos 90 por Greg Fiering, é extremamente pessimista, antissocial, entediado e mórbido. A resposta do Garoto Enxaqueca para o menino que ofereceu um guarda chuva no meio da tempestade define bem sua personalidade: “Obrigado, prefiro pegar uma pneumonia e morrer”.

Entretanto, ser otimista demais pode ser prejudicial. Quem sempre acredita que tudo vai dar certo tende a negligência. Ignora contratempos como trânsito, possibilidade de falhas no transporte público e não sai de casa com antecedência, por exemplo. O pessimista enxerga tais dificuldades, saem mais cedo para seus compromissos, colocando em prática o lema “é melhor prevenir do que remediar”.

Mas, o pessimismo torna-se um problema quando os pensamentos negativos afetam a saúde física e psicológica, além de atrapalhar a vida social e profissional. Quando a pessoa recusa todos os convites para festas por acreditar que elas serão chatas, não se empenha para estudar para uma prova, porque tem certeza que não vai passar, são sinais que o indivíduo está começando a perder o senso de realidade.

O pessimista crônico defende suas convicções com unhas e dentes. As derrotas são justificadas por ele como coisas inerentes ao seu ser. Esse comportamento é usado como uma forma de proteção. Se algo bom acontecer foi lucro, porque a corrente do fracasso foi temporariamente interrompida, porém, se nada der certo, suas teorias foram confirmadas e o indivíduo mergulha cada vez mais fundo nesse comportamento destrutivo.

Como a ciência explica o pessimismo?

Estudo realizado com gêmeos por Tim Spector, do hospital St Thomas, em Londres aponta que as diferenças de personalidade ocorrem por fatores genéticos. O pesquisador afirma que nossos genes são ajustados por toda a vida, em resposta a fatores ambientais. Esse processo é chamado de epigenética. Spector ressalta que existem mecanismos para “ligar” e “desligar” os genes. A pesquisa encontrou alterações na atividade genética provocadas pela presença ou ausência do amor materno.

Estado mental afetivo

O estado mental afetivo é a maneira como vemos o mundo. A pesquisadora Elaine Fox, da Universidade de Essex, na Grã-Bretanha estuda como ele nos molda. Fox e sua equipe descobriram que quanto mais intensa a atividade elétrica na parte frontal direita do córtex (em relação a esquerda), maior a tendência ao pessimismo e à ansiedade.

Pessimismo e morte

shutterstock_188338358Pessoas pessimistas são estressadas e ansiosas. Em pesquisa realizada na cidade de Oxford, Ohio (EUA) em 1975, mil pessoas preencheram um questionário sobre família, saúde, empregos e perspectivas sobre a velhice. As respostas foram analisadas décadas depois pela cientista Becca Levy, da Universidade de Yale (EUA). Os donos das análises mais positivas viveram, em média sete anos e meio a mais do que os pessimistas. As explicações possíveis para esse fato é que pessoas pessimistas são influenciadas por doenças prévias e depressão.

O pessimismo impede o indivíduo de ter uma existência saudável. Convites são recusados, a oportunidade de conhecer locais e pessoas interessantes é ignorada, com isso, a solidão torna-se real. Ninguém quer ficar perto de alguém que só vê o lado ruim de tudo. Porém, mesmo sendo desagradável ter esse tipo de companhia, é importante investigar porque ela é assim. Uma conversa franca, um espaço para expor sentimentos, sem julgamentos é a saída para entender as razões dos pensamentos negativos.

Em tempos de crise econômica, o pessimismo ganha força. A perda do emprego, redução do salário ou dificuldade para recolocar-se no mercado de trabalho deixa qualquer um cabisbaixo, o que é perfeitamente compreensível. Mas, lamentos apenas pioram uma situação que por si só é difícil. As dificuldades podem trazer consigo um mundo de oportunidades. Quem faz bolos ou refeições para vender para formar ou complementar renda está reagindo a um momento difícil, em vez de lamentar a má sorte e o momento complicado.

Quem não reclama porque não passa em provas, quem se lamenta por não conseguir concluir cursos, devido sua incapacidade de aprender, precisa repensar sua conduta. Exemplo claro de como o pessimismo crônico atrapalha seu sucesso são as palestras feitas para atletas em momentos de crise e antes de decisões. Os profissionais do esporte aprendem a dominar essa sensação com a conscientização que o pessimismo os levará cada vez mais para o buraco, enquanto o pensar positivo associado ao trabalho árduo é a chave para o sucesso. Se você ainda não está convencido sobre os malefícios do pessimismo, vamos mostrar como os pensamentos negativos influenciam sua saúde na prática.

Como a negatividade afeta sua saúde

Pensamentos negativos comprometem o metabolismo, o sistema imunológico e os órgãos. Segundo Carstem Wrosch, líder da pesquisa realizada pela Universidade de Concordia, em Montreal (Canadá), a negatividade culmina anseios de raiva e desequilíbrio hormonal, o que empobrece as reações químicas do cérebro responsáveis pelos sentimentos de felicidade.

Seguindo essa linha de raciocínio, o pessimismo dificulta a recuperação de patologias. Pessoas positivas aderem dietas, exercícios e ao tratamento medicamentoso, porque acreditam esses elementos são importantes para melhorarem seu estado clínico, enfatiza Daniela Levy, psicóloga e presidente da Associação de Psicologia Positiva da América Latina (Appal).

Pensar positivo diminui o risco de ataque cardíaco e do acidente vascular cerebral (AVC).
Quem incorporou o otimismo a sua vida após o ataque cardíaco aumenta a expectativa de vida em 15 anos. Pesquisadores da Universidade de Illinois (EUA) estudaram os efeitos do otimismo sobre a saúde cardíaca, monitorando 6 mil pessoas por 11 anos. De acordo com o estudo, os otimistas são duas vezes mais propensos a gozar de boa condição cardíaca.

Outro estudo que comprova a relação otimismo e boa saúde é o realizado em 2013 pela Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA). Os otimistas de meia idade possuem melhores níveis de colesterol bom e baixas taxas de triglicérides. Nir Barzilai, diretor do Instituto de Pesquisa do Envelhecimento da Universidade de Yeshiva (EUA), aponta que o otimismo é qualidade comum aos 243 centenários analisados em uma pesquisa.

Diante desse cenário é hora de incorporar o otimismo. Entretanto, como pensar positivo em meio a tantos problemas? Existe treinamento para isso. Confira nossas dicas e coloque-as em prática hoje mesmo:

  • Analise uma situação adversa e tente encontrar três aspectos positivos.
  • Quando o pessimismo atingi-lo com força total, não reprima esse pensamento, deixe vir à tona todos os absurdos. Após o devaneio você verá que esse apocalipse existe apenas na sua cabeça.
  • Nas situações onde foi muito pessimista, imagine que elas são filmes. Coloque-se no papel de diretor e analise quais as mudanças necessárias para mudar o rumo das histórias.
  • Pense nas situações que podem levá-lo ao pessimismo. Escreva o que gostaria de dizer e como gostaria de reagir.
  • Registre cada vez que conseguir superar o pessimismo. Mantendo um retrospecto você mantém forte a importância de pensar positivo.
Como ser positivo no trabalho

Ninguém está livre de ter dias ruins no trabalho. Atividades que se multiplicam, prazos apertados, colegas que espalham sentimentos ruins. Atitudes positivas também fazem maravilhas no ambiente de trabalho. Veja dicas simples para tornar sua vida profissional mais produtiva:

  • Respiração abdominal profunda (ou respiração diafragmática). Nessa técnica, o corpo recebe uma carga completa de oxigênio. Ela traz relaxamento que alivia a ansiedade. Inspire lenta e profundamente. Encha os pulmões de ar. A respiração profunda ajuda na consciência corporal. Ao concentrar-se na respiração, as preocupações ficam em segundo plano;
  • Espalhe pensamentos positivos através de conversas, e-mails e bilhetes;
  • Pense o que pode aprender com as situações adversas.

Se você precisa de ilustrações para compreender o valor do otimismo, o cinema traz belos exemplos. Scarlett O´Hara, protagonista do filme “E o vento levou” começa a história como uma menina mimada. No decorrer da história, sua vida é transformada pela guerra civil. Scarlett passa fome, porém, ela supera as dificuldades e torna-se uma comerciante de sucesso, e passa a prover sua família e amigos. Outro exemplo a ser seguido é da pesquisadora Virginia Johnson. Ela superou as dificuldades de ser uma mulher divorciada que trabalhava fora e tornou-se uma das pioneiras do estudo sobre sexualidade humana.

Todos nós passamos por momentos difícieis, porém, o problema é cultivá-los. Repetir os mantras “nada dá certo para mim”, “não sou capaz de fazer isso” prejudica sua saúde física e mental. O pessimismo é um dos sintomas da depressão. Pessoas com esse distúrbio simplesmente desistem da vida, não estudam porque não acreditam em sua inteligência, não cultivam a vida social porque não acreditam serem capazes de cativar as pessoas, não cuidam da saúde porque vão morrer um dia. Os pessimistas fazem apenas o mínimo para garantir a sobrevivência física.

O pessimismo crônico pode ser tratado com a Terapia Cognitivo-Comportamental.

As técnicas da psicoterapia cognitiva comportamental eliminam os elementos responsáveis pelos padrões de pensamento destrutivos. A missão do terapeuta é levar o paciente de volta ao passado, para que ele reviva acontecimentos e reações. Nas sessões, a pessoa entende os seguintes conceitos:

  1. Percebe que é guiado por padrões de pensamento e aprende a identificá-los;
  2. Reconhece as relações entre pensamentos, emoções e comportamentos;
  3. Substitui pensamentos pessimistas por ideias positivas.
Espalhe positivismo

Espalhar pessimismo traz apenas coisas ruins. Espalhar o positivismo atrai energia boa. Por mais que as coisas não estejam como você imaginou, jamais se entregue as dificuldades. Quem desiste uma vez desiste sempre. Quem se lamenta vê a vida passar. Ganha pouco? Faça bolos ou trufas para vender. Perdeu o emprego? Não vá aos processos seletivos já pensando que não vai dar certo. Não recuse convites por achar que nenhum vale a pena. Não faça das redes sociais um muro das lamentações, postando coisas do tipo “cansado de sofrer”, “não aguento mais essa vida”. Essas mensagens causam dó ou são solenemente ignoradas. Publique frases, trechos de livros e músicas com teor positivo. Espalhe essas mensagens pela casa e em sua estação de trabalho:

  • Ser otimista diante de um problema já o torna um vencedor.
  • Seja otimista. Se parece haver uma nuvem negra sob a sua vida, olhe pelo lado bom, pode ser sinal de que vai chover na sua horta.

O mundo não está contra você. O responsável por essa nuvem cinza é você mesmo. Se o passado foi repleto de dor e decepção, não significa que o presente e o futuro serão iguais. A vida profissional pode ser próspera, o amor pode ganhar novos rumos. Temos o livre arbítrio para conduzirmos nossas vidas, então, não perca seu tempo com sentimentos e pensamentos negativos. Mesmo com as dificuldades, o copo deve estar sempre cheio, cheio de possibilidades, cheio de vida. O pessimismo paralisa sua vida, prejudica sua saúde física e mental. Seu negativismo concretiza seus piores pesadelos. Crie circunstâncias positivas, saia do sofá e aja.

A melhor forma para terminarmos essa conversa é trazer o pensamento do ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill, citado no começo desse bate papo: O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade”.


  • Texto escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]