Convivendo

Couro sem animais e a contribuição ao meio ambiente

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O couro é fabricado através do uso de pele de animais tratadas quimicamente. Apesar de ser resistente e forte, há diversas questões ambientais e éticas envolvidas em seu uso, como por exemplo a poluição causada pela liberação no meio ambiente de resíduos químicos utilizados para tratamento do couro e a matança acelerada e desenfreada de animais, onde a grande maioria corre risco de extinção.

Nos dias atuais, além de proteger do frio, o couro do tipo legítimo é visto como um dos melhores produtos existentes no mercado, por sua durabilidade e boa qualidade. A maioria das pessoas pensa que o animal teve seu couro arrancado para que se pudesse consumir a carne e, dessa forma, o couro também já pode ser aproveitado.

Mas o que não sabemos é que o couro rende muito para todos os pecuaristas, apesar desse material ser considerado um tipo de subproduto.

Toda vez que compramos essas mercadorias, estamos dando muito dinheiro aos pecuaristas e, de certa forma, incentivando essa prática de exploração de animais onde eles são vistos apenas como matéria-prima. Já quanto ao processo de fabricação, podemos dizer que a pele descartada pelo frigorífico é transformada em tecido para móveis, roupas e outros itens. São utilizados para isso diversos produtos corrosivos e químicos que, na maioria das vezes, acabam sendo descartados no meio ambiente e até mesmo em rios, lagos e mares.

Isso porque nem estamos falando sobre o impacto ambiental. Temos que contar ainda as florestas desmatadas para o pasto, o combustível utilizado para o transporte, a grande quantidade de água potável utilizada e, é claro, a poluição descartada no meio ambiente durante o processo de fabricação.

Muitas pessoas ainda têm muito preconceito quando o assunto é o uso de couro sintético, já que no passado a característica principal deles era o plástico e, então, eram considerados pouco resistentes. Mas o avanço da tecnologia desenvolveu diversos materiais alternativos ao couro bovino natural e muitos deles têm vantagens quando comparados ao couro.

Sapatos, malas, roupas e diversos outros acessórios passaram a imitar o couro bovino a partir da criação e descoberta de um material novo. Isso foi possível graças a um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos. O produto é praticamente idêntico no tato e no visual ao couro natural, no entanto, é produzido a partir da fermentação de um chá. As fibras produzidas são biodegradáveis. Por isso, essa forma de couro falso tem um ciclo vital mais sustentável.

Essa fermentação deve ser controlada em laboratório. Assim, o material leva até quatro semanas para que seu desenvolvimento seja completado. Apesar desse tempo de fabricação, os pesquisadores defendem que este produto representa um futuro mais sustentável e alternativo para a humanidade e para a moda.

Se você também deseja consumir e comprar produtos que não tenham origem animal, é importante ficar atento às letras miúdas das etiquetas. Se não encontrar a informação, vale entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor dessa empresa a fim de questionar a procedência do produto.


Texto escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras
Fotos © Christopher Gannon

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]