Autoconhecimento Comportamento

Desânimo — O que é, como surge e como se livrar dele!

Imagem de uma garota bem vestida e elegante. Ele está sentada olhando para rua. Parece estar bem desanimada.
Bruce lam / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

De acordo com o dicionário, desânimo é o “estado de quem se mostra sem ânimo, desestimulado, emorecido”, ou seja, desprovido de ânimo. Segundo a psicologia, o desânimo é associado à frustração, que é um estado emocional decorrente da interrupção de um comportamento motivado.

O que leva a pessoa ao desânimo?

Como o desânimo é a ausência do ânimo, os motivos pelos quais ele ocorre são muito pessoais e individuais, já que o ânimo e, consequentemente, o desânimo se mostram, surgem e desaparecem de maneira únicas e também individuais para cada ser humano. As causas podem vir, por exemplo, de uma sensação de derrota, de frustrações, de perdas, de cansaço físico e/ou emocional e por aí vai.

O desânimo, por si só, não é uma doença, apenas um estado emocional que é, inclusive, bastante comum. Você, independentemente de sua idade, já deve ter se sentindo desanimado em algum dia, semana, mês ou período da sua vida. Quando sentir-se desanimado, não há motivos maiores para se preocupar, a não ser tentar fazer o possível para encontrar e estimular novamente o seu ânimo e descobrir quais são as causas desse tal desânimo, para que ele não ocorra com frequência no futuro.

Se o seu desânimo dura bastante tempo, porém, talvez seja um bom momento para procurar um psicólogo ou um psiquiatra. Um dos sintomas da depressão, por exemplo, é uma sensação de desânimo e falta de vitalidade que dura mais do que duas semanas; no transtorno de ansiedade generalizada, as crises de ansiedade normalmente são seguidas de uma sensação grande de desânimo. Enfim, permaneça atento e trate o desânimo não como uma doença, mas como um possível sintoma de uma ou estado emocional passageiro.

O que fazer para acabar com o seu desânimo?

Para que esse estado emocional passe ainda mais rapidamente, confira as dicas que preparamos abaixo e saiba como combater (e prevenir) a sensação de desânimo:

1 – Descubra o que anima você

Explorar hobbies e atividades que causem prazer em você é o primeiro passo para combater o desânimo ou prevenir que ele se aposse de você. Quando você conhece algumas atividades que motivam e animam você, elas podem servir como antídotos para combater a tristeza. Essas atividades podem ser coisas bastante simples, como sair para uma caminhada, corrida ou pedalada, cozinhar, comer um doce, jogar videogame, sair com os amigos, ler um livro… Somente você poderá determinar aquilo que traz ânimo para a sua vida e como usar isso para combater ou fugir do desânimo.

2 – Dê presentes e recompensas a si mesmo

Muitas vezes, na rotina corrida que temos nos tempos atuais, vamos enfileirando objetivos, conquistas e fracassos sem que tenhamos tempo de pensar sobre eles. É importante, portanto, que você saiba se parabenizar quando se sai bem em algo ou conquista aquilo que tanto desejou, porque isso dá pequenas sensações de ânimo e motivação para continuar em frente. Que tal comprar um presentinho para se agradar depois de conquistar algo legal? Que tal se permitir viajar, comer algo diferente ou gastar um pouquinho mais naquela saidinha de fim de semana? Estabeleça um sistema de recompensas.

3 – Determine metas

Para saber se presentear ou se recompensar, é importante que você tenha metas definidas, para que saiba para onde está indo e consiga reconhecer quando chegar lá. Na ânsia por estabelecer metas, porém, muitas pessoas determinam metas distantes demais, o que, em vez de animar e motivar, desanima. Por exemplo: em vez de impor a meta de concluir uma faculdade e se formar, o que provavelmente acontecerá depois de anos, que tal estabelecer que é preciso conquistar sua formação semestre a semestre? Assim, sempre que você concluir um semestre de maneira bem-sucedida, conseguirá dar a si mesmo o direito de ganhar um presente ou recompensa.

Imagem de um garoto sozinho sentando em um banco de frente para um jardim. Ele está triste e desanimado.
Matty Rogers / Pixabay

4 – Mensure os resultados

De tempos em tempos, dê uma pausa na correria do cotidiano para mensurar os seus resultados e se parabenizar por aquilo que já foi conquistado, porque é muito mais frequente que fiquemos pessimistas e nos sintamos fracassados diante de derrotas, então estar constantemente reavaliando o seu progresso nas metas definidas é muito importante para a sua vida.

5 – Foque em outras coisas

Há uma expressão da língua inglesa muito popular nos dias de hoje: “overthinking”, que nada mais é do que pensar demais em uma situação, em sua maioria incômoda. Depois de alguns anos prestando atenção em seu comportamento, você conseguirá perceber como é o padrão do seu pensamento e quando ele começa a se desviar para lados negativos, então consegue combater isso focando em outras situações, principalmente as que sejam positivas, para combater isso.

6 – Tenha hobbies

Ainda que você ame o seu trabalho ou adore estudar, ter hobbies é essencial para ter um lugar para onde “fugir” quando as coisas não estiverem bem. Esses hobbies não precisam ser tão avançados quanto, por exemplo, fazer aula de carpintaria ou dedicar seu tempo livre a tocar um negócio próprio. A arte é uma grande aliada no momento do lazer, então leia livros, assista a filmes, vá ao teatro, pratique ou assista a um esporte, planeje a sua próxima viagem, se você gosta de viajar, produza sua própria arte… Enfim, tenha um hobby e entenda que não precisamos ser espetacularmente talentosos naquilo que fazemos por amor, então pegue leve consigo mesmo e entenda que você está focando em seus hobbies por lazer, prazer e amor, não para torná-los novas responsabilidades numa rotina já cheia delas.

Imagem de um senhor cabisbaixo, triste e desanimado. Ele está com uma de suas mãos segurando o lado de um do rosto.
Pexels / Pixabay

7 – Confie mais em si mesmo

Boa parte da sensação de desânimo é causada por autoestima baixa e pouca autoconfiança, então aprenda a valorizar as suas conquistas e – mais importante do que isso – entenda que você é você, então não deve se comparar a ninguém, porque a comparação é um dos grandes inimigos do ânimo, já que quase sempre vemos no outro algo que gostaríamos de ter ou ser. Foque em si mesmo e em sua vida, porque é isso o que importa para você.

8 – Movimente-se

Exercícios físicos e práticas esportivas geram serotonina, uma das substâncias responsáveis pela nossa sensação de felicidade. Quando estiver desanimado, então, vá fazer uma caminhada, uma corrida, uma pedalada ou junte-se a pessoas que praticam algum esporte ou arte marcial, por exemplo, porque, além de se exercitar e perceber em si os benefícios do movimento, você produz a tal serotonina e combate o desânimo.

9 – Você tem o direito de mudar de vida!

Se você percebe que se sente desanimado com frequência na vida que leva, talvez seja hora de repensar como ela está: o seu emprego ainda faz com que você se sinta motivado? Os estudos estão pesados ou você sente falta de estar estudando? A relação com a família está desgastada? O seu parceiro romântico traz a paz que um parceiro deve trazer a você ou apenas suga a sua energia? Quanto tempo você tem dedicado ao seu prazer e ao seu lazer? Enfim, perguntas como essas permitem que você entenda se há algo de errado em sua rotina e mude o quanto antes, para evitar novos episódios de desânimo.

10 – Procure ajuda

Tem se sentido desanimado com frequência? Sente que precisa mudar a sua vida, mas não sabe como ou não tem energia para isso? Sente-se exigido demais por pessoas que deveriam fazer bem a você? Procure ajuda! Essa ajuda pode vir de um familiar ou amigo confiável, com quem você sabe que pode contar quando as coisas dificultam, mas também pode vir de profissionais, como psicólogos e psicanalistas, que ouvirão com atenção e sem julgamentos tudo aquilo que incomoda você, sugerindo, após isso, soluções ou ajudando-o a encontrá-las.

Você também pode gostar

Conclusão

O desânimo, como explicado, pode ser tanto um estado emocional passageiro quanto um sintoma de um problema mais grave e que exige tratamento. Então esteja atento às origens desse sentimento, preste atenção em quanto tempo ele dura e o que causa em você. Não tenha vergonha de pedir ajuda, cerque-se de pessoas que se importam verdadeiramente com você e saiba que você merece muito mais, porque todos somos merecedores e capazes! Diga “não” ao seu desânimo e exclua definitivamente essa palavra do seu vocabulário. Boa sorte! Tudo passa!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]