Autoconhecimento

Desvendando a persuasão

Young beautiful woman sitting on the pier enjoying sunset with copy space
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você deve conhecer alguma pessoa que é impossível de discutir, pois ela tem um milhão de argumentos. Mesmo tendo a certeza de que a razão está com você, o sujeito ainda dá um jeito de defender o posicionamento dele e dificultar as coisas. Alguns metralham uma série de dados e números que você não conhecia, outros misturam assuntos, enquanto alguns simplesmente tentam te confundir e se aproveitam quando você comete um erro para te “engolir” na discussão. Uma habilidade fundamental para advogados, políticos, líderes religiosos e comunicadores, mas que qualquer um pode adquirir se treinar da maneira certa.

“É literalmente igual a um jogo de xadrez. Além do seu movimento, você também precisa prever o que o outro vai jogar para fazer o seu lance seguinte”

Se quiser aprimorar as suas habilidades de argumentação, o primeiro hábito que deve abandonar é o de conversar somente com pessoas que pensam parecido com você. O mesmo vale para leituras e absorção de conteúdo ligado a escritores e ideologias que batem com seus pensamentos. Antes de ter embasamento no seu ponto de vista, há a necessidade de um conhecimento tão aprofundado quanto nos argumentos que a outra pessoa vai defender.

No jogo da persuasão, os melhores terão grande chance de vitória. O maior perigo que correm é caírem no dogmatismo, ou seja, defenderem com fanatismo alguns pontos de vista que, por algum motivo, são imutáveis. A persuasão é um jogo em que um ganha e o outro perde, mas isso não quer dizer que o seu objetivo seja a busca pela vitória. Quando o debatedor faz isso, ele atropela a principal premissa que está por trás dessa arte: o autoconhecimento.

Persuadir não significa simplesmente falar desenfreadamente, sem parar e desligar os ouvidos. Não pense que o vencedor de um debate é o que grita mais alto. Na verdade é o que perdeu, pois precisou apelar para a força, do grito, neste caso, para não ser superado. Para melhorar o repertório de argumentação, o ponto mais importante é saber ouvir o próximo.

Uma pessoa que debate e ouve o que o outro tem para dizer estará sempre um passo a frente. Ela é o jogador de xadrez que treinou tanto que adquiriu a habilidade de prever o movimento do adversário, portanto, levará vantagem em todos os jogos. Só tome cuidado para quando estiver perdendo, você simplesmente não “chutar” as peças do tabuleiro ou abandonar a partida. Reconhecer a derrota e, principalmente, aprender com os adversários é uma característica presente nos verdadeiros vencedores.


  • Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]