Nutrição Infantil Saúde Integral

Vida saudável começa na infância

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Quantos de nós tínhamos preocupação com a saúde na juventude? Dias sem tomar banho, escovar os dentes somente quando a mãe obrigava, almoçar doces, comer uma lata de leite condensado, dormir tarde, horas e mais horas na frente da televisão assistindo desenhos animados ou jogando videogame. Certeza que já tivemos alguns desses hábitos durante a infância e, se bobear, ainda levamos alguns deles até a vida adulta.

É muito difícil a gente adquirir hábitos saudáveis em nossas vidas. Por exemplo: se você cresceu e colocou em sua rotina a ingestão de uma fruta por dia vai ser muito mais fácil levar isso adiante até a fase adulta do que, repentinamente, um nutricionista orientá-lo a isso para que você comece a fazer no dia seguinte. Você até conseguiria um dia ou outro, algumas semanas e até alguns meses, porém não será algo automático. O nosso corpo não está “programado” para isso. Tais hábitos serão feitos de maneira mecânica, ou seja, a gente que se lembra de realizar a ação, sendo que o mais indicado seria que o nosso próprio corpo pedisse isso.

Se adquirir hábitos saudáveis é difícil, então a melhor coisa a fazer é aprendê-los ainda na infância. É evidente a dificuldade em fazer uma criança compreender que um brócolis traz mais vantagens que um brigadeiro, afinal ela não terá o entendimento dos males e benefícios de ambos os alimentos, sendo que seu único juízo será estabelecido pelo paladar. Aí que entra o papel dos pais em colocar, sempre que possível e de maneira paulatina, esses tipos de alimentos nas refeições para que faça parte da rotina da criança.

Outra boa sugestão é a meditação. Se a questão do paladar é decisiva para aproximar criança de doces, a necessidade de viver tudo instantaneamente e a disposição praticamente infinita para brincar atrapalham qualquer atividade que estimule a concentração dos mais jovens. Certamente, se isso for treinado e colocado na rotina da criança, ela desenvolverá aptidões que farão a diferença lá na frente.

Esses tipos de recomendações devem ser colocadas de maneira não evasiva na rotina das crianças. Ou seja, um menino e uma menina devem brincar, se divertir, comer doces e até mesmo se machucar nas atividades físicas. Tudo isso são coisas naturais e que fazem parte do desenvolvimento de todos os jovens. Não se deve atropelar essas etapas para uma rotina de saúde. Tudo deve ser feito em equilíbrio e sincronia para que os pequenos possam ter hábitos saudáveis, mas também uma vida feliz.


Escrito por Diego Rennan da Equipe do Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]