Saúde da Mulher

DIU – Tudo sobre o método contraceptivo

Doutor segurando DIU
Jean-Paul/123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O DIU — Dispositivo Intrauterino — é um método contraceptivo de longa duração com um formato semelhante à letra “T” ou “Y”. Diferentemente dos outros métodos anticoncepcionais habituais, o DIU é inserido dentro da cavidade uterina com o intuito de evitar o início de uma gestação. Algumas mulheres optam por ele por não terem se adaptado aos hormônios contidos nos contraceptivos orais. O DIU é considerado um dos mais eficientes métodos na hora de evitar a gravidez.

Esse dispositivo possibilita um meio não cirúrgico para prevenir a gravidez, mas é eficaz da mesma forma que os procedimentos cirúrgicos. É importante ressaltar que o DIU só pode ser inserido e removido por um ginecologista.

Este método intrauterino possui algumas variações, mas a maioria dos modelos disponíveis são efetivos pelo tempo de cinco a dez anos. Dentre os tipos de DIU, hoje nós explicaremos a você como funciona o DIU de cobre, o DIU de prata e o DIU mirena, além de esclarecer algumas dúvidas que pairam sobre esse assunto. Atente-se ao artigo e saiba tudo sobre o DIU!

O que é DIU?

Mulher com as mãos na barriga usando calcinha
Polina Zimmerman/Pexels

Como já dito anteriormente, o Dispositivo Intrauterino, conhecido como DIU, é um método contraceptivo que consiste em uma estrutura bem pequena que é inserida na cavidade do útero por meio de um simples procedimento. A eficácia dele pode chegar a 99%!

Como funciona o DIU?

Como o DIU é um dispositivo que fica dentro da cavidade uterina, não é preciso fazer uso de outros métodos contraceptivos como as pílulas anticoncepcionais, por exemplo. O funcionamento do DIU varia conforme a opção escolhida, mas basicamente ele funciona tornando o ambiente uterino impróprio para a fecundação, seja com alterações no muco cervical ou com a liberação de hormônios sintéticos com o mesmo intuito.

DIU de cobre

DIU de cobre
Jean-Paul/123RF

O DIU de cobre não libera nenhum tipo de hormônio ao corpo da mulher e é um dos mais procurados. Ele é formado por um fio de prata que possui revestimento de cobre com aparência de “Y” ou “T”, que é inserido na cavidade uterina e não possui nenhum tipo de material alérgico ou tóxico. A sua função é causar uma inflamação no endométrio para que sejam nulas as possibilidades de uma gestação.

Como esse DIU não contém progesterona e nenhuma outra substância, ele pode ser usado por mulheres que tenham câncer de mama. Sua validade gira em torno de 10 anos, pois as alterações que esse método causa no tecido que reveste o útero, impedem que os espermatozoides iniciem a fecundação nos óvulos.

DIU de prata

Essa opção foi criada para reduzir os efeitos colaterais que o DIU de cobre pode vir a causar na mulher. Na sua composição, a prata é um material que tem o objetivo de contrabalançar as respostas do organismo diante do cobre. A união desses dois metais faz com que o cobre seja menos fragmentado dentro do organismo e ainda torna o dispositivo muito mais eficaz.

Além disso, o DIU de prata diminui as possíveis chances de um aumento de fluxo menstrual e também reduz as cólicas que podem ser mais fortes nos primeiros meses de colocação do contraceptivo. Por ter um formado similar ao “Y” e por ser um pouco menor do que o DIU de cobre, o procedimento de colocação do DIU de prata tende a ser menos incômodo. Essa opção é eficaz por aproximadamente 5 anos.

DIU mirena

Doutora segurando DIU ao lado da paciente
mariakraynova/123RF

DIU mirena, DIU hormonal ou SIU (Sistema Intrauterino), é uma opção de DIU revestida por um hormônio sintético chamado de levonorgestrel que provém da progesterona, um hormônio sexual. O levonorgestrel age afinando o tecido que reveste o útero e altera o muco cervical, que torna o ambiente uterino impróprio para a fecundação dos espermatozoides.

Enquanto a opção de cobre pode aumentar as cólicas e o fluxo menstrual da mulher, o mirena reduz tais desconfortos, pois ele age diminuindo a inflamação do local. Algo muito importante a ser dito, é que como o DIU mirena libera hormônios, é bem provável que algumas mulheres não menstruem mais após seis meses de uso. Essa opção é eficaz por cerca de 5 anos, e é a mais indicada às mulheres que sofrem com a adenomiose ou endometriose.

Como é colocado o DIU

O procedimento de colocação do DIU é extremamente simples e dura em média de 15 a 20 minutos e pode ser feita em consultórios ginecológicos. O DIU pode ser colocado em qualquer momento do ciclo menstrual, mas os médicos recomendam que esse procedimento seja feito enquanto o útero está mais dilatado do que o habitual, ou seja, no meio da menstruação.

Para que o DIU seja inserido na cavidade uterina, a mulher deve ficar na comum posição ginecológica: com as pernas abertas e afastadas, para que o médico ginecologista insira o dispositivo até o útero. Assim que o DIU for colocado, o médico deixa dentro da vagina um fio bem pequeno que indica a colocação correta do dispositivo. É possível sentir esse fio com o dedo, mas é imperceptível durante as relações sexuais.

Colocar DIU dói?

Mulher com as mãos na barriga sentindo dor
Aleksandr Davydov/123RF

Como a colocação do DIU é feita comumente sem nenhum tipo de anestesia, a mulher pode sentir um certo desconforto. Mas como há a opção de realizar esse procedimento com anestesia local, os desconfortos podem ser minimizados. Já no dia seguinte da colocação, é bem provável que a mulher sinta um pouco de cólica, mas isso não ocorre sempre, pois muitas mulheres afirmam que não sentiram nenhum tipo de dor ou incômodo.

Possíveis efeitos colaterais do DIU

O Dispositivo Intrauterino pode causar contrações ou dores uterinas, especialmente nas mulheres que nunca passaram pelo período de gestação; também pode causar um pequeno sangramento após a sua colocação, corrimento vaginal, menstruações mais intensas ou desmaios. Tais sintomas podem sim ocorrer, mas na maioria dos casos as mulheres que usam esse método contraceptivo não sentem essas reações adversas.

Engravidar com DIU: é possível?

Mulher grávida segurando sua barriga encostada em uma parede
Lucas mendes/Pexels

Sim. As chances são mínimas, na verdade, raras! Mas uma mulher com DIU pode engravidar, principalmente se o dispositivo foi colocado de forma incorreta, ou se está em uma posição diferente da inicial, promovendo uma gestação ectópica, ou seja, uma gravidez fora do útero.

Você deve se perguntar se um bebê nasce junto com DIU, e saiba que sim! Existem alguns casos raríssimos em que o bebê nasceu com o DIU no cabelo, no pé, ou até mesmo segurando o dispositivo. Mas mesmo com esses acontecimentos totalmente incomuns, o DIU é o método contraceptivo mais eficaz que você pode encontrar!

O DIU engorda?

O DIU de cobre e o de prata não engordam nem alteram o apetite da mulher. Mas o DIU mirena, que libera hormônios ao organismo pode causar algum tipo de alteração corporal. Por esse e outros fatores, é sempre muito importante ter um acompanhamento médico e tirar todas as suas dúvidas, conforme o funcionamento do seu organismo e as suas necessidades.

Valor do DIU

Doutora segurando DIU com as duas mãos
Jean-Paul/ 123RF

Se você quer saber quanto custa o DIU, essa é a hora! O valor do DIU de cobre e de prata gira em torno de R$50,00 a R$150,00. Já o DIU mirena tem um valor bem mais alto, podendo custar de R$600,00 a R$800,00.

Quando procurar um médico

Se por acaso a mulher não sinta mais o pequeno fio do DIU que fica na vagina, ou se surgirem sintomas como calafrios, febre, inchaço genital ou cólicas muito fortes, é muito importante que ela procure ajuda médica. Além disso, se houver um aumento significativo do fluxo menstrual, hemorragias ou dores durante atos sexuais, também é indicado procurar um médico.

Você também pode gostar

Nesse artigo, nós respondemos as principais questões que pairam sobre o DIU. Caso esteja pensando em adotar esse método contraceptivo, consulte um médico ginecologista que irá lhe indicar a melhor opção de acordo com a sua necessidade!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]