Convivendo Saúde da Mulher

Menarca: o que é e como lidar?

Uma mulher sofrendo de cólica.
belchonock / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Por mais natural que isso seja, e por mais avançada que a sociedade atual aparente ser, a menstruação ainda é um tabu. Apesar de as mulheres menstruarem todo mês durante mais da metade de suas vidas, infelizmente ainda passam por muitas situações relacionadas com esse assunto em segredo, sem falar muito a respeito disso.

Para uma menina que começa a menstruar, então, esse período da puberdade pode ser muito difícil, porque encarar um tabu dentro do próprio corpo é um desafio e tanto para uma cabeça jovem em formação. Por isso, a menstruação precisa ser desmistificada e trazida como pauta com mais frequência, inclusive no nosso dia a dia.

Nesse mesmo sentido, é preciso que entendamos o que é menarca e que outros acontecimentos estão envolvidos com esse processo, para que saibamos como auxiliar moças e meninas nesse momento tão importante da vida delas, tratando o assunto com atenção. Confira!

O que é menarca?

A primeira menstruação de uma mulher é denominada menarca. A menarca é uma das últimas fases da puberdade de uma garota e representa a entrada do corpo feminino na vida reprodutiva, já que o ciclo menstrual é, de fato, o ciclo reprodutivo da mulher.

Qual é a idade da menarca?

Na maioria dos casos, a menarca acontece entre os 10 e 15 anos de idade, mas pode variar de corpo para corpo, vindo bem antes desse período (menarca precoce) ou até mesmo depois (menarca tardia).

Dois absorventes dispostos num plano de fundo azul. Um contém pequenos adornos vermelhos, e o outro não.
JulyProkopiv de Getty Images / Canva / Eu Sem Fronteiras

Por envolver tantas mudanças físicas e diferentes pressões sociais, o período da menarca pode ser realmente confuso e desafiador para as meninas. Por isso, é importante entender sobre o assunto e prestar todo o apoio possível a elas nesse momento.

Como é o fluxo da menarca?

Nos primeiros meses da menarca, o fluxo tende a ser irregular. Após a primeira menstruação, podem ocorrer algumas variações, tanto do ciclo menstrual como também do próprio fluxo, uma vez que o corpo está em processo de adaptação a esse novo processo.

Quais são os primeiros sintomas da menarca?

Durante a adolescência, são muitas as mudanças que ocorrem no corpo de uma garota. É normal, inclusive, que as meninas sintam ansiedade e insegurança durante esse período; afinal, não apenas os diversos hormônios menstruais estão mexendo com o organismo delas, como também se trata de uma desafiadora fase de autoconhecimento. Para saber identificar se a menarca está chegando, aponta-se a seguir os 3 principais sinais.

Crescimento das mamas

Um dos principais sinais da puberdade feminina é o crescimento das mamas, bem como a maior sensibilidade nessa área. Primeiramente, é possível sentir pequenos caroços nos mamilos da garota, e, em seguida, começa a se apresentar um volume ao redor deles.

É importante destacar que o uso do sutiã não é obrigatório nesse momento — aliás, em nenhum momento. Afinal, tanto meninas quanto mulheres devem escolher utilizá-lo de acordo com as próprias preferências e necessidades. A garota que concluir precisar de um sutiã deve escolher um modelo que lhe seja o mais confortável possível.

Corrimento

Alguns meses antes da primeira menstruação, pode começar a aparecer nas calcinhas um corrimento de cor branca ou amarelada, que é, na verdade, uma secreção normal da vagina. Nos dias que antecedem o sangramento, pode ser que uma secreção seja mais notável.

Uma mulher segurando uma pequena placa vermelha que tem um rosto de semblante triste.
iuriimaksymivphotos / Canva / Eu Sem Fronteiras

Pode ser uma boa alternativa, para a garota que está com corrimentos, utilizar protetores diários descartáveis, disponíveis em qualquer farmácia ou supermercado. Além de acostumar a menina com a ideia de utilizar absorventes, isso pode evitar que as calcinhas fiquem manchadas.

Mas o importante é optar pelos que deixam a pele respirar, evitando usar todos os dias, já que eles retêm a transpiração vaginal, favorecendo o surgimento de micro-organismos nocivos que causam corrimentos e infecções.

Desenvolvimento dos pelos

Outro sinal notável da menarca, que se prolonga por todo o período da puberdade feminina, é o desenvolvimento dos pelos. Inicialmente, eles se apresentam finos e macios, predominantemente nas regiões íntimas e nas axilas. Com o passar do tempo, os pelos tendem a engrossar e crescem em maiores quantidades.

Não é recomendável que garotas se depilem logo que os primeiros pelos começam a aparecer pelo corpo, pois, nesse momento, a pele está sensível, e a depilação pode causar lesões desnecessárias.

O que esperar dos primeiros ciclos

Os primeiros ciclos menstruais são sempre irregulares, e devem se regularizar apenas após 4 anos de recorrências. Então, no início, o fluxo e a duração do sangramento feminino podem variar muito de uma menstruação para outra, podendo ainda haver intervalos maiores ou menores, sem que se consiga prever e calcular as fases do ciclo.

Ainda que não sinta as dores da ovulação, que começam a acontecer apenas 2 anos depois da menarca, a garota que começa a menstruar pode sentir bastante cólica. Por isso, é bom que compressas de água morna e medicamentos estejam à disposição dela a todo o tempo.

Um absorvente aberto.
Polina Zimmerman de Pexels / Canva / Eu Sem Fronteiras

Quanto ao uso dos absorventes e à higiene em relação aos sangramentos, é importante que a menina seja tranquilizada e muito bem orientada, para que aprenda a lidar da melhor maneira possível com isso. Fluxos muito intensos, por exemplo, podem causar pavor e medo nas recém-menstruadas, principalmente porque vazamentos podem vir a acontecer, o que pode deixá-las constrangidas em público.

Hoje em dia, são muitas as opções de se lidar com a menstruação, não precisando necessariamente render-se aos absorventes descartáveis de uso mais comum. Absorventes de pano reutilizáveis, coletores menstruais e calcinhas absorventes são novidades de ampla adesão. Para as meninas que acabaram de passar pela menarca, recomenda-se o uso de absorventes externos, porque, num primeiro momento, dispositivos como o coletor menstrual e o famoso “O.B.” (absorvente interno) podem machucá-la. Para prevenir vazamentos, portanto, calcinhas absorventes destinadas a fluxos intensos podem ser a melhor (e mais confortável) alternativa.

Menarca precoce: o que é

É denominada menarca precoce quando a primeira menstruação acontece antes dos 8 anos de idade, e, nesses casos, é importante que seja consultado um médico pediatra. A maioria dos casos desse tipo não têm uma causa definida, e, por isso, o tratamento pode variar bastante, podendo tratar-se apenas de um acompanhamento da puberdade da menina, ou implicar o uso de medicamentos que adiem a menstruação.

Há casos de menstruação precoce explicados por exposição a algumas substâncias químicas ou ingestão de medicamentos específicos que fazem o organismo da menina produzir os hormônios sexuais que levam à puberdade. Hipotireoidismo primário grave e obesidade infantil também são apontados como causa desse acontecimento.

“Menstruei cedo. Há motivo para culpa ou vergonha?”

Essa é uma grande e angustiante dúvida que pode passar pela cabeça de muitas meninas com menarca precoce. E, com certeza, a resposta é não. Cada corpo é um corpo e deve ser investigado e respeitado de acordo com as próprias exigências e limites.

Para uma criança, porém, encarar a menarca precoce pode ser bastante desafiador, e se tornar motivo para uma série de inseguranças. Dentro disso, inclui-se uma sensação de solidão, já que, enquanto a menina lida com as várias dificuldades do ciclo menstrual (sangramento, dores físicas e afins), pode demorar anos para ver suas amigas na mesma situação.

Uma mulher e a sua filha deitadas numa cama.
olimpic / 123RF

É por isso que é importante estar ao lado delas nessa situação, prestando todo o apoio possível e frisando a todo o tempo que tudo está bem. Mais importante ainda é incentivar a menina a continuar brincando e exercendo sua infância, sem apartá-la do universo infantil e, ainda, protegê-la de possíveis assédios e comentários maldosos que ela possa ouvir durante esse período.

Infelizmente, muitas pessoas ainda associam a chegada da menstruação à entrada na vida adulta e à disponibilidade sexual, mas é sabido que, diante da sociedade atual, não é disso que se trata o assunto. É possível que uma menina menstrue e continue a agir, pensar e viver como uma criança, e essa é, sem dúvida, a alternativa mais saudável para seu desenvolvimento psicológico e social.

Menstruação tardia

Na contrapartida dos casos precoces, existe também a menarca tardia, que é quando garotas passam a menstruar apenas depois dos 16 anos de idade. Apesar de a causa mais comum ser o atraso constitucional do crescimento (também chamado de RCCP – retardo constitucional de crescimento e puberdade) por motivos genéticos, a menstruação tardia é comumente observada em garotas atletas e de baixo peso corporal.

Praticantes de ginástica rítmica, natação, balé e tênis, por exemplo, costumam sofrer com esse atraso na puberdade por causa do treinamento de alta intensidade, do estresse e do déficit energético crônico na prática dessas modalidades esportivas.

Assim que notado o atraso da menarca, um médico ginecologista deve ser consultado, para que a garota tenha os devidos acompanhamentos, podendo passar por algum tratamento para que seu desenvolvimento não seja prejudicado como um todo. No caso das atletas, é possível que uma pausa nas práticas esportivas seja recomendada.

Independentemente da idade em que a menarca vier a acontecer, é importante que a garota que começa a menstruar leve o período com tranquilidade, aceitando suas mudanças e inconstâncias, sem que isso provoque nela algum trauma ou angústia. Por isso, ser compreensível e prestativo nesse momento é um ato de suma importância.

Você também pode gostar

Não é preciso que se faça grande caso da primeira menstruação de alguém querido, com comemorações e super-reações a respeito da notícia, mas é melhor que isso seja encarado com atenção e, principalmente, conversado com zelo. Afinal, já está mais que na hora de normalizarmos falar sobre a menstruação e torná-la algo amplamente aceito na sociedade.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br