Autoconhecimento Comportamento

Empreendedorismo feminino

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Empreendedorismo feminino consiste em qualquer atuação ou atividade empreendedora realizada especificamente por mulheres. A palavra “empreendedorismo” geralmente remete às grandes organizações, projetos ou empresas, mas é importante ressaltar que, especialmente o empreendedorismo feminino, é muito mais do que isso. Além de conquistar o próprio negócio e obter lucros com ele, o empreendedorismo feminino promove um empoderamento, abre caminhos e um grande espaço para que as questões de gênero sejam tratadas com seriedade.

Por isso, as mulheres que iniciam grandes projetos e abrem grandes empresas estão revolucionando o mundo com o empoderamento feminino. Mas além delas, a mulher que faz doces e salgados por encomenda e vende os seus produtos pela cidade é uma empreendedora. A mulher que compra roupas para revender é uma empreendedora. A mulher que criou um site virtual para vender as suas artes também é!

Sabemos que as mulheres são fortes e determinadas, mas, desde a antiguidade, elas sofrem por simplesmente serem mulheres, em praticamente todas as áreas da vida. Empreender pode parecer algo simples, mas, quando a ideia ou o projeto vêm de uma mulher, a sociedade machista costuma diminuir e até mesmo desvalorizar qualquer proposta.

Se você parar e pensar um pouco, há menos de um século a mulher casada precisava pedir autorização ao marido para que pudesse trabalhar. Concordemos que esta situação absurda mudou, mas ainda não vivemos em um cenário ideal. No Brasil, mesmo com igual nível de escolaridade ou com as mesmas funções, as mulheres recebem salários que chegam a ser a metade do valor dos salários dos homens. Porém, ainda com todo esse quadro desanimador, somado ao preconceito por conta do gênero, as mulheres têm avançado cada vez mais profissionalmente e têm alcançado grande destaque no âmbito profissional.

Segundo uma pesquisa feita pelo SEBRAE, de 2011 a 2016, o número de mulheres que abriram o próprio negócio cresceu 21%, enquanto o de homens evoluiu apenas 9%. Além deste incrível fato, a Serasa Experian afirma que até o ano de 2016, 43% de todos os empreendimentos do Brasil tinham mulheres no comando.

Imagem de das mãos de uma mulher em um tear tecendo um lindo trabalho colorido.
Imagem de MBatty por Pixabay

A importância do empreendedorismo feminino

Como foi dito anteriormente, por mais que o cenário do mercado de trabalho esteja sendo transformado e conquistado pelas mulheres, ainda não vivemos em um tempo onde elas recebem as melhores condições de trabalho. Mesmo a cada conquista, a mulher precisa ser forte e persistente, e é justamente por isso que o empreendedorismo feminino é um grande instrumento para transformar a sociedade. Ele é um movimento que fortalece a visibilidade feminina e abre um leque de oportunidades para o universo das mulheres.

Esse empreendedorismo faz com que muitas mulheres criem forças para lidar com o ambiente onde vivem, pois, por meio dele, elas buscam novas formas de sustento, lutam por espaço na sociedade, se desprendem de relações de dependência e conquistam a liberdade desejada por todos — e isso prova o quanto ele é importante. Além da conquista por espaço e da luta pela a igualdade, o empreendedorismo feminino também promove a satisfação pessoal e a autoestima financeira, pois as mulheres arriscam e percebem que são importantes, não só para as suas famílias, mas também para o mundo.

Empreendedorismo feminino no Brasil

Nos últimos anos, as mulheres vêm crescendo na esfera do empreendedorismo no Brasil. Desde que a crise econômica começou a ganhar força no ano de 2015 no país, muitas mulheres depararam com o desemprego ou acompanharam a demissão de seus maridos. Com esses acontecimentos desagradáveis e preocupantes, elas começaram a empreender para garantir o sustento de suas famílias.

A GEM (Global Entrepreneurship Monitor) fez uma pesquisa em 2018 em parceria com a SEBRAE, que apontou que existem cerca de 24 milhões de mulheres empreendedoras no Brasil — número não tão distante dos homens empreendedores, que é de aproximadamente 25 milhões. Além destes dados numéricos, o estudo também constatou que as empreendedoras brasileiras possuem um nível de escolaridade muito maior do que o dos homens empreendedores.

Com isso, podemos perceber que a cada dia que passa as mulheres conquistam mais o seu espaço no Brasil, vencendo todas as barreiras impostas pela sociedade e pelo machismo daqueles que acham que somente os homens têm a capacidade de ter o próprio negócio.

Imagem das mãos de uma mulher na cozinha. Ela está picando legumes sobre uma tábua branca.
Imagem de Martin Vorel por Pixabay

Os desafios das mulheres empreendedoras

Por mais que as mulheres avancem no meio empreendedor, existem muitas dificuldades que ainda travam a evolução e o crescimento do empreendedorismo feminino. A principal pedra no meio do caminho é o preconceito de gênero! Tal preconceito vem desde a antiguidade, pois por muito tempo a mulher foi vista como alguém que simplesmente deveria cuidar da sua casa e dos seus filhos, fazer comida e cuidar do marido. Por causa desta visão, a sociedade tratava a mulher como um ser humano sem capacidade de executar qualquer tarefa que não tivesse relação com a maternidade ou com o lar. Com o passar do tempo, muitas mulheres decidiram reivindicar os seus direitos e não se calaram mais. Elas foram para as ruas, fizeram manifestações e mostraram que elas podem tudo! Graças à coragem de muitas, toda a força machista foi se transformando, e elas começaram a dar os seus próprios passos: estudaram, entraram para o mercado de trabalho, conquistaram grandes cargos e atualmente empreendem!

Apesar de todas as conquistas, as mulheres ainda precisam lutar para provar a todos que elas podem o que quiserem. Você deve conhecer a famosa frase que ecoa em todo o Brasil e em diversos países: “Lugar de mulher é onde ela quiser”, e essa é uma das maiores verdades que você lerá hoje! Mas não são todas as pessoas que pensam assim, pois, quando elas decidem abrir o próprio negócio, deparam com a falta de respeito e são menosprezadas — principalmente quando têm que lidar com homens. Essa “recepção” e falta de apoio que recebem são grandes fatores que podem comprometer o sucesso e até abalar em um primeiro momento a confiança delas.

Outro ponto que pode influenciar de forma negativa o empreendedorismo feminino é a falta de autoconfiança. Por serem relativamente “novas” no mercado empreendedor, um primeiro contato com este mundo pode ser um pouco amedrontador — o que geralmente não ocorre com homens, pois eles sempre têm o apoio de todos. A insegurança pode surgir e fazer com que uma mulher se sinta despreparada, mesmo ela sendo totalmente capacitada para empreender. Além de este fator ser um grande problema pessoal para a mulher que empreende, ele pode refletir nas suas escolhas e decisões, fazendo com que ela seja vista de forma negativa por outras pessoas do mundo dos negócios.

Podemos concluir que, por mais que uma mulher seja capacitada e tenha o melhor plano do mundo, ela infelizmente ainda precisará provar que ela pode, que ela tem a mesma e até maior capacidade do que os homens e que ela é quem decide o que quer fazer.

Imagem de duas mulheres se cumprimentando.
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Como podemos incentivar o empreendedorismo feminino?

Para incentivar o movimento, é preciso fomentar a confiança que cada mulher deve ter em si mesma, no seu conhecimento, nas suas aptidões, no seu trabalho e na sua experiência. É preciso promover um empoderamento para que as mulheres não desistam, mas persistam nos seus desejos, independentemente do que a sociedade tem a dizer. É preciso estar ao lado, dar apoio, mostrar novos caminhos e possibilidades. Já dissemos aqui que lugar de mulher é onde ela quiser, então o céu é o limite para o universo feminino!

Incentivar o empreendedorismo feminino é muito mais do que incentivar uma mulher a abrir o próprio negócio: é dar visibilidade e valor a estas pessoas que precisam lutar pelo básico desde a antiguidade. Estar ao lado destas mulheres empreendedoras é muito importante, porque, quanto maior for a união, maiores serão as chances de sucesso!

Você também pode gostar

Obs.: saiba que, ao entrar para o mercado de empreendimentos, é preciso estar sempre por dentro do que acontece no meio desejado. Por isso, fazer pesquisas e sondar estabelecimentos ou projetos similares é de grande valia para manter-se sempre atualizada e por dentro de tudo.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]