Espiritualidade Mitologia grega

Hera: a deusa do casamento e do parto

Imagem da estátua da deusa Hera. A imagem é do rosto e uma parte do colo da deusa.
Daniel Ferreira-Leites Ciccarino / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A mitologia grega é uma área de estudo abrangente e enriquecedora. Vemos representações dela nos filmes, nas séries, nos livros, nos produtos que compramos e em programas de televisão. Qualquer pessoa pode se encantar com as narrativas que foram criadas pelos gregos para justificar fenômenos e comportamentos da sociedade.

Entre tudo que podemos conhecer da mitologia grega está a deusa Hera. As deusas são figuras divinas que apresentam comportamento próximo ao dos humanos, ainda que tenham poderes e habilidades mais refinados do que uma pessoa mortal. Então, o que se pode prever sobre Hera é que ela é imortal e poderosa, mas também pode cometer erros.

É justamente a dualidade dos deuses gregos que faz com que tantas pessoas se identifiquem com as histórias da mitologia. Sentimos empatia por cada personagem e compreendemos as atitudes que eles tomam, na maioria das vezes. Com a história de Hera, é provável que você tenha sentimentos negativos por outros personagens da mitologia.

A seguir, aprenda mais sobre a conhecida deusa do casamento e do parto e saiba por que a história dela comprova a aproximação do comportamento dos deuses com o comportamento dos humanos. Preste atenção nos tópicos seguintes e desvende quais são os mistérios que Hera esconde!

A origem de Hera

Hera nasceu da união de dois titãs, Cronos e Reia, sendo irmã de Zeus, Hades, Héstia, Poseidon, Deméter e Quíron. Na mitologia romana, ela recebe o nome de Juno. Nas duas histórias, Hera é conhecida como deusa do casamento e do parto, porque prezava pela monogamia e por um matrimônio que gerasse frutos.

Apesar disso, ao casar-se com Zeus, o que Hera mais prezava não era atendido. Ela teve seis filhos com o deus: Ares, Ênio, Éris, Hebe, Hefesto e Ilícia. Porém, Zeus teve outros filhos fora do casamento, o que despertou sentimentos muito negativos e prejudiciais em Hera.

Imagem da estátua de uma mulher representando a deusa Hera e ao lado dela uma criança.
Fernando Cortés / 123RF

O mito da deusa

O mito de Hera e toda a imagem que a sociedade construiu dela começa no casamento da deusa com Zeus. Os dois tornaram-se os deuses de todos os deuses, de poder indiscutível e inabalável. O que poderia ser uma linda história de amor, entretanto, acabou sendo um enredo de traição e de ciúme.

Zeus não honrava o compromisso que estabeleceu com Hera. Ainda que o casamento deles fosse monogâmico, ele estava sempre procurando outras mulheres com quem se envolver. Zeus incorporava um disfarce para atrair as mais de 20 amantes que ele teve, sem que Hera ficasse sabendo desse comportamento.

Porém, a deusa não era ingênua como Zeus imaginava. Ela tinha conhecimento das traições do marido e, por causa disso, tornou-se insegura e agressiva. Não entendia por que o homem que ela amava tinha um comportamento infiel e traidor, e acreditava que a culpa era das mulheres com quem ele se envolvia.

Inclusive, Afrodite era a deusa que mais despertava ciúme e inveja em Hera. Por ser conhecida como a mais bela do Olimpo, a qualquer momento ela poderia acabar atraindo a atenção de Zeus, o que preocupava Hera.

O ciúme que a deusa sentia e a agressividade com a qual tratava qualquer mulher que se aproximasse de Zeus, tendo empreendido muitas vinganças contra elas, fazia com que Hera despertasse medo em outros deuses. Por causa disso, apesar da beleza física da personagem, ela não era vista como uma mulher atraente.

O culto a Hera

Nas representações de Hera, vemos uma mulher jovem e dentro dos padrões de beleza, de cabelos dourados, que está segurando uma romã em uma mão (símbolo da fertilidade) e uma cápsula de ópio na outra. Ela também é representada pelas penas de um pavão, que é o animal sagrado da deusa.

Imagem da estátua de uma mulher representando a deusa Hera. A estátua mostra apenas a cabeça e uma parte do tronco.
Ruslan Gilmanshin / 123RF

Acredita-se que Hera foi a primeira deusa a ser cultuada pelos povos gregos. Foi para ela que construíram o primeiro santuário com o teto fechado chamado Heraião, em Samos, uma ilha grega. Outro grande templo que a deusa recebeu em homenagem a ela foi o templo de Argos, na Argólida.

Eram muitos os santuários que existiam para cultuar Hera, que representava os valores tradicionais da sociedade, como o matrimônio e a concepção de filhos. É importante destacar que ela era uma divindade muito admirada mesmo antes de Zeus ser cultuado.

A imagem de Hera para a sociedade

É possível analisar a influência de Hera para a sociedade a partir de dois aspectos. O primeiro deles é que a deusa é uma representação do matriarcado, já que representa a fertilidade e o nascimento das crianças, além de ter sido a primeira deusa a ser cultuada pelo povo grego.

Então, é como se os gregos tivessem aceitado o comando de uma deusa, e não de um deus, para as questões espirituais. A imagem de uma mulher poderosa não é a que prevalece nas sociedades, e a figura de Hera é uma quebra de paradigma, nesse aspecto.

Por outro lado, a maneira como narram a reação de Hera à infidelidade de Zeus estimula a crença de que as mulheres são desequilibradas e ciumentas, e que se tornam agressivas por causa disso. Como vimos, Hera tinha motivos para se sentir insegura e mal consigo mesma, porque Zeus a traía constantemente.

Um fator que está muito associado ao patriarcado na figura de Hera é também o fato de ela se vingar das amantes de Zeus, mas não do deus em si, que é a pessoa que deveria cumprir o acordo que foi estabelecido. Há a ideia de que as mulheres sempre estão erradas, e que são elas que seduzem os homens a tomarem atitudes incoerentes, eximindo-os de qualquer culpa.

Imagem da estátua de uma mulher representando a deusa Hera. Em uma das mãos ela segura um objeto.
Ruslan Gilmanshin / 123RF

Você também pode gostar

A partir das questões levantadas, podemos refletir sobre o paradoxo que existe em Hera. Ao mesmo tempo que ela representa o matriarcado e o poder que uma mulher pode ter, reproduz conceitos que são a base do patriarcado, como a rivalidade feminina.

Estudar mais sobre mitologia grega e conhecer a história de Hera é uma maneira de entender como as mulheres são representadas nesse tipo de narrativa, e como a sociedade recebia a imagem de uma deusa poderosa. Continue investigando mais personagens mitológicos para saber o que podemos aprender com cada um deles!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br