Mitologia grega

Hermes: o deus mensageiro

Estátua dos pés de Hermes
zummolo63/ 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Quem nunca sonhou em ser um deus? Ter os poderes de uma divindade e passear pelo Olimpo, ocasionalmente? De acordo com a mitologia grega, existem deuses e deusas que olham pelos humanos, controlam a natureza e representam as virtudes que uma sociedade deve apresentar.

Eram os mitos que permitiam que a sociedade grega compartilhasse histórias fantásticas, com seres poderosos e que, apesar disso, ainda apresentavam defeitos. E era exatamente isso que tornava as narrativas tão interessantes!

Para mergulhar nesse universo, conheça um dos deuses marcantes da mitologia grega, Hermes, mensageiro dos deuses, deus da riqueza, da sorte, da fertilidade, do sono, da magia, das viagens, das estradas, do comércio, da linguagem e dos ladrões!

Origem de Hermes

Ilustração de Zeus em uma montanha
rudall30/ 123RF

Filho do deus grego Zeus e da ninfa Maia, Hermes se mostrava um deus brincalhão e muito inclinado a cometer travessuras. Ele teve vários irmãos, como Atena, Héracles, Helena, Hefesto e Minos, mas Apolo foi o que mais sofreu com as peripécias do irmão.

Hermes nasceu no sul da Arcádia, em uma caverna localizada no alto do monte Cilene. Embora existam muitas representações do deus, a mais popular é a de que ele tinha um aspecto jovial, atlético e estava sempre vestindo sandálias com asas nas laterais, que permitiam que ele voasse.

Outro detalhe marcante sobre Hermes é que ele teria nas mãos um bastão de ouro com duas serpentes entrelaçadas, se encarando, com um par de asas na ponta. Esse objeto é chamado caduceu, e é conhecido por ser específico desse deus.

O mito de Hermes

Ilustração do Hermes segurando um pergaminho
Martin Malchev/Canva

O deus Hermes é conhecido como uma figura travessa e astuta, porque desde o nascimento ele se mostrava um gênio das brincadeiras. Depois de ser amamentado pela mãe, Maia, em seu primeiro dia de vida desceu do berço escondido e foi até Tessália, onde estava localizado o rebanho do deus Admeto, guardado por Apolo e Himeneu.

Sagaz, Hermes conseguiu despistar Apolo e roubou 50 cabeças de gado. Depois do feito, apagou as pegadas que deixou no local e chegou até Pilo. Lá, ele acidentalmente encontrou um transeunte, Bato, com quem fez uma negociação para que o crime que cometeu não fosse descoberto.

Hermes ofereceu um bezerro para que Bato não revelasse seu paradeiro a ninguém. Mesmo que o homem tenha aceitado, o deus não acreditou que ele manteria o silêncio. Então, Hermes se transformou em um pastor dentro de uma caverna e correu até Bato, alegando que seu bezerro tinha sido roubado e que recompensaria quem o encontrasse.

Seduzido pelo prêmio que receberia, Bato denunciou Hermes para ele mesmo. Como vingança pela falta de lealdade do transeunte, o deus o transformou em pedra. Assim, pôde voltar para casa com a certeza de que não seria descoberto. Lá, encontrou uma tartaruga, que interpretou como um amuleto da sorte. Matou o animal e elaborou uma lira com o casco.

Como não existe um crime perfeito, logo que Himeneu percebeu que o rebanho havia desaparecido, falou com Apolo. O deus utilizou seus poderes e desvendou o mistério: seu irmão tinha roubado os animais. Porém, quando se dirigiu ao irmão, a eloquência de Hermes o fez acreditar que o jovem não tinha qualquer envolvimento no feito.

Ainda assim, Apolo não desistiu. Recorreu a Zeus para que o pai de todos os deuses apontasse o verdadeiro culpado da situação e, como era esperado do deus mais poderoso do Olimpo, fez com que Hermes devolvesse os animais roubados. Porém, o jovem deus tinha outro truque nas mangas.

Hermes deu a lira que criou na noite anterior para Apolo tocar. Quando ele ouviu o som produzido pelo instrumento, encantou-se com o feito de Hermes e lhe concedeu o título de Deus dos Ladrões.

O culto ao deus

Ilustração de Hermes sorrindo
Evgenii Naumov/ 123RF

Hermes era um deus popular e irreverente para o povo grego. Então, muitos templos foram construídos para ele, chegando até Roma, onde ele era adorado com o nome de Mercúrio. No local atribuído ao nascimento de Hermes, estava localizado o primeiro templo em homenagem ao deus, mas em Atenas também foram encontradas construções com esse propósito.

Outro culto comum a Hermes dizia respeito à juventude do deus. Por ter uma aparência atlética, estátuas dele estavam espalhadas em estádios e em locais onde aconteciam competições e torneios de esporte. Além disso, ele era referenciado como o deus responsável pelo amadurecimento dos jovens, permitindo que eles se tornassem adultos.

O culto mais relevante a Hermes era a Hermaia, um festival dedicado ao deus que celebrava os feitos que ele conquistou e se caracterizava por ser um ritual de passagem para os homens. Eles deveriam participar de jogos olímpicos e o vencedor voltaria para a casa com a honra de ter vencido o torneio.

O que Hermes representa na sociedade?

Hermes apresenta um duplo sentido para a sociedade. Ao mesmo tempo que ele é um ladrão eloquente, capaz de enganar e de usar seus poderes para o mal, Hermes também tem a capacidade de ajudar os outros. Inclusive, ele auxilia Perseu a recuperar o raio de Zeus, quando é roubado.

Dessa forma, Hermes é uma figura ambígua, que representa os humanos com fidelidade. Todas as pessoas podem usar suas habilidades de forma positiva ou de forma negativa, e sempre encontrarão meios de justificar suas atitudes, com muita ou com pouca eloquência.

Você também pode gostar

Outra característica que Hermes agrega para a sociedade é a ideia da jovialidade e do amadurecimento. Ele permanece com a aparência de um garoto, embora acumule conhecimento com o passar dos anos e seja capaz de feitos incríveis. Hermes permite que as pessoas reflitam sobre as consequências de suas atitudes, optando por aquela que trará menos prejuízos.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]