Autoconhecimento

Ideologia, o que é?

Luis Lemos
Escrito por Luis Lemos

Dentre todos os atos do atual governo brasileiro até aqui, o que têm chamado mais a minha atenção é o uso da palavra ideologia. 

Dessa forma, enquanto filósofo, sinto-me na obrigação de “discutir” o termo ideologia e quais suas consequências para a população brasileira. 

Como o questionamento é o ponto de partida para o conhecimento filosófico, faço uso dessa ferramenta para atingir tal objetivo. 

E começo logo indagando: O que o atual presidente entende por ideologia? Será que ele pensa que existe alguém ou alguma instituição sem ideologia? 

De que forma sou influenciado pela ideologia do outro? Como eu posso influenciar o outro com a minha ideologia? Afinal, o que é ideologia? 

Vamos discutir esta palavrinha? 

Mulher olhando para cima. Uma lâmpada surge acima da cabeça dela. Vários desenhos que representam ideias ao lado.

Em primeiro lugar, a palavra ideologia não significa nada além daquilo que a sua própria etimologia explica, isto é, “estudo das ideias”

Em segundo lugar, ideologia pode significar também: “conjunto de ideias, valores e maneiras de pensar de pessoas e grupos”

Dessa forma, a palavra ideologia é uma das palavras mais usadas e, ao mesmo tempo, mais complexas da língua portuguesa. 

Em preparação para escrever este texto, li e escutei vários discursos de “gente mais fina”, em que a palavra ideologia era empregada fora de contexto. 

Infelizmente, muito políticos usam a palavra ideologia apenas no sentido negativo para dissimular a realidade ou para apresentá-la de forma incompleta, falsa. 

Portanto, o assunto ideologia é tão amplo e tão complexo que o melhor é explicar através de um exemplo: O Brasil não pode ser outra coisa, se não ele mesmo! 

Pessoas com etnias diferentes levantando cartazes que representam ideias. Cada um com uma ideia diferente.

A população brasileira precisa saber que a reprodução ideológica se manifesta através de representações que a pessoa elabora sobre si mesma, sobre o seu país, etc. 

Quando eu digo: “Quero muito aquele emprego”, a chance que eu tenho de consegui-lo é muito maior do que quando eu penso: “Aquele emprego não é para mim”. 

Assim, não existe ninguém que não possua ideologia. Ela envolve a todos, até mesmo aqueles que dizem não ter ideologia. 

Isto porque, a ideologia está sobre tudo aquilo que implícita ou explicitamente é atribuído valores: Certo-errado, bom-mau, verdadeiro-falso, azul-rosa, etc. 

Dessa forma, a palavra ideologia merece ser entendida por todos os brasileiros, mesmo porque, não há ninguém que consiga viver sem ideologia. 

É isso mesmo. Não há ninguém que consiga viver sem ideologia. O poeta brasileiro Cazuza já cantou: “Ideologia eu quero uma pra viver”. 

Se você não tem uma ideologia, você é um alienado, um doido varrido; precisa ser tratado. O que você não precisa é seguir a ideologia deste ou daquele governo. 

Somos essencialmente livres! Façamos de nossas escolhas as nossas ideologias e sejamos por elas responsáveis! 


Você também pode gostar de outro artigo deste autor. Acesse: O sumário de uma vida

Sobre o autor

Luis Lemos

Luis Lemos

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA); Graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Bacharelado em Filosofia pelo Centro do Comportamento Humano (CENESCH).

Professor de Ciências Naturais na Secretaria Municipal de Educação de Manaus (SEMED/AM). Professor de Filosofia da Educação, Ética e Filosofia Jurídica na Faculdade Martha Falcão/Devry Brasil.

Tem experiência na área de Filosofia da Ciência, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente com os temas: Educação, Ensino de Ciências, Epistemologia, Ética e Ética Profissional.

Autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016).