Convivendo

Você sabia que ler nos faz felizes?

Father and young daughter reading together
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A comunicação surge entre os homens com o objetivo de preservar a boa convivência, possibilitar a troca de experiências e proporcionar o estabelecimento de regras comuns para a sustentação de uma sociedade.

Primeiramente, com símbolos e formas, o homem passou a registrar seus pensamentos. Mais tarde, a escrita possibilitou o surgimento de certos padrões comunicativos e de registros materializados nas palavras, com todo seu poder de significado e transmissão.

A evolução

Ao longo do tempo, os métodos e formatos de escrita foram se modificando e se aprimorando até que, nos dias de hoje, é impossível pensar em um mundo sem ela.

Ler e escrever não são, infelizmente e injustamente, atividades comuns a todos. Ainda há um alto nível de analfabetismo no Brasil e no mundo. Esse conhecimento enriquece a experiência humana de um jeito indescritível, permite maior acesso à informação, desenvolve habilidades de pensamento lógico e diretamente promove inúmeras possibilidades de comunicação, no papel e fora dele.

Felicidade na leitura

Além de toda essa importância, estudos feitos em Roma provaram que a leitura é muito mais que um método comunicativo, mas também fonte de felicidade. Provou-se que os leitores se mostram mais felizes, satisfeitos e dispostos com a vida. Por que será?

O ato de ler se encaixa em diversas das atividades de nosso dia a dia. De manuais de produtos novos, passando por tabelas nutricionais, relatórios, notícias, outdoors e muitos outros espaços, as palavras têm um grande efeito em nosso cérebro. A junção delas, trazendo um sentido geral, desperta em nós a cognição, ou seja, uma interpretação e entendimento, que, consequentemente, ativam as emoções, sensações e outros pensamentos.

Os experimentos e pesquisas que comprovaram um maior nível de felicidade e satisfação nos leitores assíduos, referem-se principalmente àquele que tem o hábito da leitura. O indivíduo que tem como costume fazer leituras mais longas, mergulhar em livros, revistas e jornais diariamente é o que mostra maior poder de ativação do imaginário, criando imagens e desenvolvendo novos raciocínios e habilidades.

Efeitos eternos

Cada situação que vivemos durante a nossa vida nos traz uma experiência e aprendizado novos, por mais que não possamos perceber. A leitura se encaixa nas atividades que, da forma mais natural e direta, nos acrescentam conhecimento.

Quando lemos um livro, um artigo ou qualquer outra coisa, estamos, simultaneamente, formando novos conceitos em nossa mente e em contato com uma nova informação. Ou seja, a cada leitura, se aprende um pouco mais.

Por mais que esse conhecimento não pareça significativo ou tão visível, ele está lá e nunca sairá de dentro de nós, será parte integrante de nossa bagagem intelectual e fará parte da construção de nossa personalidade e mentalidade.

Esse exercício da mente é talvez o grande responsável pela felicidade dos leitores. Assim como é possível sentir bem-estar após a atividade física, o exercício do cérebro tem o mesmo efeito. Traz a boa sensação de “forçar” o pensamento e chegar à alguma conclusão, ou debater uma questão, ou, de repente, simplesmente, “viajar na maionese” por meio das palavras, e viver novas experiências, apenas pelo fato de ler.

Ter contato com grandes obras e ter o hábito da leitura faz um indivíduo ser mais rico intelectualmente, apto para tomar decisões e tirar conclusões com mais segurança, afinal, o embasamento do pensamento de um grande leitor é variado, amplo e dá segurança para as suas ações.


Escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]