Musicoterapia Saúde Integral

Música: um calmante natural

Alexandre Faria
Escrito por Alexandre Faria

Tá tranquilo, tá favorável! Tá tranquilo, tá favorável!

Ei, psiu…leitor…você mesmo! “Tá tranquilo, tá favorável* contigo ou está mais para tiro, porrada e bomba**”?

Caso seja a segunda opção desejo uma boa leitura, agora caso seja a primeira opção desejo também uma boa leitura!

Quantas vezes você já ouviu pessoas dizerem que ouvir Beethoven, Ameno- Era e sons de cachoeira ajudam a acalmar os ânimos? Será que são mitos ou verdades estas afirmações?!

A resposta certa é… Sim e Não, talvez o depende seja a melhor resposta. Vamos compreender primeiramente os efeitos da musica no ser humano para que possamos assimilar melhor esta resposta.

Quando estamos assistindo a um filme de terror ou suspense ficamos geralmente tensos (no meu caso muito tenso). Segue o link de alguns filmes que fizeram muito sucesso e renderam muitos gritos:

Cena de Psycho (1960)

Cena de O Iluminado (1980)

Cena de Arachnophobia (Disney Sync) – 1990

Percebam que nestas cenas há sempre o silêncio acompanhado de sons agudos e pouco harmoniosos, ruídos metálicos, até que no ápice da cena há um grande estrondo causando um susto no espectador. Cenas clássicas como a mocinha ir verificar de onde vem o barulho no meio da madrugada numa casa vazia ou um grupo de amigos acampando no meio da floresta e ouvirem um barulho de motosserra no meio do luau com certeza são momentos onde seguramos mais forte na poltrona, um leve calafrio e sentimos o “coração na boca”.  

Quando enfrentamos estas situações de perigo (ou assim considerada pelo organismo) a medula é estimulada pelo sistema nervoso simpático e libera grande quantidade de adrenalina estimulando também a produção de noradrenalina, hormônio associado ao estresse, aumentando o estado de alerta, é a chamada resposta de luta ou fuga. Quando isso ocorre há um aumento da pressão arterial, aumento da frequência cardiorrespiratória e enfim estamos prontos para lutar numa competição, fugir de um cachorro ou simplesmente levar um susto no cinema.

A música também pode ter o efeito contrário no corpo humano. Caso você ouça uma canção que dentro da sua experiência de vida ela esteja associada com coisas boas, sua memória irá buscar todas as lembranças saborosas relacionadas àquele evento, causando uma sensação de prazer, isso ocorre pois há um aumento de liberação da dopamina em nossa corrente sanguínea, que é o hormônio associado ao bem-estar, ele é capaz de reduzir o estresse e aumentar a sensação de prazer em determinada ação ou até pensamento.

Músicas boas para ouvir

Multiracial music band performing in a recording studio

Imagine que a música é como um bolo, agora imagine um bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Qual foi a primeira coisa/pessoa que veio na sua cabeça? Há muitas pessoas que associam este bolo com a infância e para ser mais específico se lembram das manhãs e tardes de café na casa dos avós, há pessoas que sentem asco, pois se lembram de um antigo emprego (monótono e muito estressante) onde toda semana aconteciam reuniões de equipe para sanar conflitos internos e externos desta empresa e no final era servido justamente o mesmo bolo. A música atua da mesma forma em nosso corpo e mente, podemos ouvir Tim Maia e lembrar a festa de formatura com nossos familiares e melhores amigos, porém também podemos associar com um antigo relacionamento, conturbado, uma paixão mal resolvida. No Primeiro caso Tim Maia será sempre motivo de festa e recordações prazerosas, já no segundo caso será o oposto, serão recordações amargas.

Agora se imagine entrando numa padaria e no balcão há um bolo de chocolate e ao lado um bolo de abacaxi com nozes. Qual deles você compraria? Qual dos dois é o melhor bolo? Há pessoas que vão preferir chocolate e outras abacaxi com nozes, ainda há pessoas que não gostam de nenhum dos dois. Entenda o sabor como o ritmo ou estilo musical. Tem pessoas que adoram moda de viola, outras rock and roll, outras brega e eles podem ter boas justificativas do porque aquele ritmo é tão bom e outras que não sabem identificar o porque gostam tanto de tal ritmo pois elas simplesmente gostam muito do mesmo.

Vale a pena lembrar que não estamos falando de estética musical e sim de gosto musical.  Há músicas e ritmos que gosto mais, outras que gosto menos e outras que eu não ouço por não me identificar com aquele gênero musical. Resumindo a conversa, não existe música ruim, existe música que ouvimos e não nos identificamos, música boa é aquela que ouvimos e gostamos (escolha particular), cada um no seu quadrado e sendo feliz.

Então qual música devo ouvir para me acalmar?

Há pessoas que vão se acalmar ouvindo Ameno- Era e outras que vão ficar extremamente ansiosas ouvindo o mesmo, pois para alguns este som é algo monótono e irritante. A seguir vão algumas dicas para evitar o estresse e diminuir a ansiedade:

– Monte uma playlist com músicas que você considera menos agitadas e que te tragam a sensação de prazer, tranquilidade, paz;

-Ouça a palylist em algum lugar confortável e de preferência sozinho (em casa, no quarto, num parque, numa praça);

– Imagine coisas tranquilas e calmas potencializando os efeitos que a música por si só nos causam (dopamina);

& #8211; Quando você se deparar com uma situação de muito estresse ou que aumente sua ansiedade (fila de banco, engarrafamento, momentos antes da prova) ouça aquela playlist, cantarole as canções ou simplesmente imagine ela acontecendo na sua cabeça.

Fazendo isso você irá automaticamente ter a memória do lugar que você considera seguro e tranquilo, o resultado será a diminuição da ansiedade, irritabilidade e estresse. Utilize esta ferramenta sem moderação pois quando ouvimos algo que nos agrada ainda mais de forma consciente e com este objetivo que é nos transportar para um outro lugar, nosso organismo estará liberando dopamina enquanto você relaxa e com certeza você irá enfrentar os problemas e tensões de maneira mais amenas. Lembre-se que isso é uma dica de exercício e não uma receita.  Por tanto Keep calm and play music!


Bibliografia

HOEKSEMA, S.; FREDRICKSON, B.; LOFTUS, G.; and; WAGENAAR, W. Atkinson&Hilgard: Introdução à Psicologia. São Paulo: Cengage Learning.

MINDLIN, G.; ROUSSEAU, D.; and; CARDILLO, J. Sua playlist pode mudar sua vida. Rio de Janeiro: Best Seller: 2014

*Trecho da musica Tá Tranquilo Tá Favorável – Mc Bin Laden

**Trecho da musica Beijinho no Ombro – Valesca Popozuda

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Alexandre Faria

Alexandre Faria

Bacharel em Musicoterapia pela FMU, especialista em LIBRAS pela Faccamp e facilitador de Roda de Tambores.

Telefone:
(11) 99287-8410 - Claro
(11) 97780-4622 - Tim
E-mail: [email protected]