Autoconhecimento Constelação Familiar Constelação Sistêmica

O que é Constelação Familiar?

constelações sistêmicas
Rosemary Quionha
Escrito por Rosemary Quionha

Linguagem do amor

Sabedoria nativa, que felizmente chegou até nós através de Bert Hellinger.

Consciente e inconscientemente estamos todos conectados, e muito mais profundamente a nossa família biológica ou do coração.

Esta conexão interfere diretamente em todos os setores de nossa vida. Como agimos, o que nos permitimos fazer ou não, como nos expressamos e como realizamos nossas escolhas. Assim como nossas características físicas, herdamos também de alguma forma a história dos que vieram antes de nós, sua forma de perceber, acreditar e seguir na vida.

Todos nós estamos em um eterno aprendizado, e como todo aprendizado erramos e acertamos. A constelação fala deste caminho entre o erro e o aprendizado. É uma forma pela qual o Constelado consegue enxergar, perceber qual foi o caminho errado que estava seguindo e agora, conscientemente, fazer novas escolhas e passar a honrar os que vieram antes, corrigindo este caminhar e, assim, transmitir esse melhor para as próximas gerações.

Gosto de afirmar que não é mágica, é aprendizado e escolhas conscientes.

Tem uma frase que gosto muito, que é a seguinte: “Não sou melhor, nem pior do que você”. Ela é simples e verdadeira, sem julgamentos, e é uma forma de dizer “eu vejo você e estamos juntos”.

E tão somente quando isso se torna verdadeiro é possível dizer: “Peço permissão para fazer diferente, nem melhor e nem pior, somente diferente, sem julgamento, sem cobranças. Peço permissão para te honrar agora pelo amor, pela prosperidade, pela saúde, pela liberdade, pelo melhor e me liberar e te liberar da dor e de todo o mal-entendido do passado, das limitações, dos medos, das injustiças, porque somos aprendizes, somente isso, e errar é natural, aceitável e faz parte. Aprender, evoluir, crescer e fazer diferente faz parte também. Este é o caminho do amor, da evolução”.

Em todo sistema existe uma ordem, cada um tem o seu lugar e cada um tem a medida certa de inter-relação, de dar e receber. Vamos imaginar um relógio. Se tirarmos o ponteiro de seu lugar e tentarmos colocar em outra posição, ele não vai funcionar, certo? Outro exemplo é nosso corpo, que é um sistema. Imagina se o rim resolvesse ficar no lugar no pulmão, como seria? Uma catástrofe, não é mesmo?

É uma ferramenta maravilhosa, de muita transformação, de muita cura interior, de eterno aprendizado.

Mas infelizmente, em nossas famílias, no trabalho, em nossas amizades, na sociedade é muito comum isso acontecer, um filho que se acha superior aos pais, se acha melhor. Um filho mais novo querendo mandar no filho mais velho. Um cônjuge que está em seu terceiro ou quarto relacionamento querer excluir os anteriores. Ou alguém que se exclui da família por se achar muito diferente ou a família que tenta excluir um de seus familiares por ser diferente.

Tudo isso tem consequências, todo o sistema sente. Muitas vezes, quem é mais sensível acaba percebendo tudo isso inconscientemente e seguindo ou repetindo os padrões limitantes.

Assim, percebemos os padrões repetitivos nas famílias. Doenças que gerações reproduzem, alcoolismo, depressão, diabetes, entre outras enfermidades, insucessos profissionais, relacionamentos infelizes, tragédias, frustrações, mal-entendidos.

Na constelação falamos de perdão e autoperdão, sobre perceber que por falta de conhecimento e de entendimento foram feitas algumas escolhas erradas. Para que se mude esse padrão é importante como primeiro passo entender o erro, aceitar e se perdoar, simples assim.

constelações sistêmicas

Assim como quando estamos dirigindo e entramos em uma rua errada, se pararmos o carro e ficarmos nos lamentando o que irá acontecer? Nada, não é mesmo? É preciso ter consciência que entrou em uma rua errada, aceitar esse fato, se perdoar e fazer novas escolhas, voltar e encontrar o caminho certo.

Existem três leis pelas quais observamos as constelações:

1 – Lei do Pertencimento: cada um dos elementos tem o direito de pertencer a este sistema, isto assegura a sua existência. Na família existe uma necessidade de vínculo e de compensação, partilhada por todos que não toleram a exclusão de nenhum membro. Não existe ex-pai, ex-filho, ex-irmão, ex-tio, quando tentamos excluir alguém do sistema isso gera desarmonias e problemas.

2 – Lei da Hierarquia: estabelecida pela ordem de chegada. Ordem Cronológica direta assegura o crescimento do sistema. Ordem Cronológica inversa assegura a reprodução do sistema. O ser é definido pelo tempo e, através dele, recebe seu posicionamento.

3 – Lei do equilíbrio entre o dar e o receber: sentimos-nos credores quando damos e devedores quando recebemos. Tanto o que dá quanto o que recebe conhecem a paz se o dar e o receber forem iguais.

Quando eu aceito a minha família exatamente como ela é, aceito o meu lugar e o meu papel nesta família com equilíbrio entre o dar e receber, sentindo-me grato por tudo o que eu recebi da forma que foi possível me darem.

Sem julgamentos, consigo me curvar ao meu passado, agradecer e me sentir livre para seguir meu caminho, tendo permissão para crescer, para prosperar, para ser feliz, ter saúde, para fazer diferente, nem melhor e nem pior que os outros, somente diferente.

Mesmo que os anteriores a mim não tenham tido este caminho, sigo assim, porque me sentindo grato por eles o meu melhor de alguma forma volta para eles como reconhecimento de seus esforços, fazendo com que se sintam honrados ao saber que deu certo, porque houve continuidade ao que eles iniciaram e, agora, abençoam o caminho de seus sucessores.

Este é o caminho da sabedoria, do amor, da evolução do perdão e do autoperdão. A Constelação Familiar traz um despertar para a alma, uma nova forma de se ver, entender, aceitar e respeitar suas escolhas e as escolhas do outro.

É uma ferramenta maravilhosa, de muita transformação, de muita cura interior, de eterno aprendizado. Impossível explicar em palavras o que acontece nas constelações, assim como não é possível explicar e uma pessoa entender o sabor de uma fruta, é preciso experimentar, e mesmo assim pode ser que você goste ou não. E sem julgamento. Apenas aceito e respeito o seu caminho.

Com muito amor, te convido a conhecer e a se permitir passar por esta experiência.

Sobre o autor

Rosemary Quionha

Rosemary Quionha

Coach certificada na Sociedade Euro-Americana de Coaching. Master em Programação Neuro-Linguística. Consteladora Sistêmica Familiar e Organizacional. Hipnoterapeuta Ericksoniana. Quinze anos de experiência na área Administrativa. Palestrante e Treinadora de Equipes.

Telefone: 11 97407-1224
E-mail: [email protected]
Facebook: https://www.facebook.com/rosemarypremd
WordPress: http://rquionha.wix.com/atitude
Skype: Rosemary Quionha