Energia em Equilíbrio Feng Shui Mesas Radiônicas Radiestesia

O que é radiestesia e radiônica?

Cartas de taror e radiestesia
Humonia / Getty Images / Canva
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Independentemente de qual seja a sua crença ou a sua religião, sabemos que, como seres humanos, emanamos e absorvemos energia a todo momento, e é isso o que determina o nosso humor, a nossa saúde, as nossas emoções e os nossos sentimentos. É como se fôssemos uma antena que está sempre sintonizada, recebendo frequências de todos os lugares, ambientes e pessoas, mas também transmitindo sem parar. Energia é tudo e muitas vezes perdemos o controle sobre a frequência na qual vibramos.

Desequilíbrios e desarmonias nessa energia podem causar graves problemas emocionais, psicológicos e de saúde. No geral, então, assim como vamos a um médico quando temos uma dor no braço, por exemplo, precisamos procurar ajuda quando sentimos que estamos vibrando uma energia negativa ou doentia.

Duas das principais técnicas disponíveis para cuidar da energia têm nomes muito parecidos e, frequentemente, são confundidas: radiestesia e radiônica. Essas técnicas são capazes de ampliar nossas reações à absorção e à transmissão de energia. Portanto podem ser utilizadas para corrigir e identificar possíveis fontes de transmissão de radiação e energia nocivas, sejam ambientes, objetos ou pessoas.

Os profissionais que realizam essas técnicas estão aptos a cuidar da recepção, da transmissão e da emissão de energias, que são invisíveis e praticamente imperceptíveis, mas que nos afetam física, energética e espiritualmente.

O que é a radiestesia e como ela funciona?

Radiestesia (também chamada de radioestesia) é uma pseudociência, isto é, não há comprovação científica de que os resultados que ela promete de fato são entregues pelos profissionais que a praticam. A radiestesia defende que algumas pessoas têm uma sensibilidade a radiações (também chamada de energias) que são emitidas por elementos da natureza e por seres vivos. O nome da técnica vem da junção de dois termos: a palavra em latim “radium”, que vem de “radiação”, e a palavra grega “aísthesis”, que significa “percepção pelos sentidos”. Pêndulos de radiestesia foram encontrados no Egito e datam de mais de 4.000 anos.

radiestesia
NikkiZalewski / Getty Images / Canva

Os radomantes fazem uso de pêndulos, bastões e outros instrumentos para analisar, transmitir e absorver energias e radiações, com a intenção de corrigi-las. Além de auxiliar a saúde das pessoas, os radomantes podem fazer tarefas como encontrar água subterrânea em lugares onde podem ser furados poços, por exemplo.

Quanto às energias emitidas e absorvidas pelo corpo, os praticantes da técnica afirmam que a radiestesia capta a energia cósmica (que também é chamada de chi, ki, prana, entre outros nomes), que é a energia vital e universal da vida, por meio da cabeça e do chakra coronário, distribuindo, em seguida, para o restante do corpo. Essa energia, segundo as pessoas que acreditam na técnica, é emitida pelos seres humanos e por outros seres vivos, mas também pelo Sol, pela Lua e por cada um dos elementos da natureza.

Como funciona o pêndulo na radiestesia?

O pêndulo é o principal instrumento da técnica da radiestesia. Mas o que é o pêndulo? O pêndulo consiste em um objeto que sirva de peso pendurado em um fio resistente e flexível, para que possa fazer os movimentos necessários. É claro que há pêndulos feitos com cristais como peso, e cada cristal tem suas propriedades específicas, mas o material pouco importante na radiestesia. Tendo um pêndulo, seja lá do que ele for feito, é o suficiente para que ela seja realizada.

O motivo pelo qual nem todo mundo pode manipular o pêndulo na radiestesia se encontra no fato de que aquele que o faz precisa ser dotado da sensibilidade necessária para identificar nos movimentos do pêndulo possíveis desequilíbrios e doenças, com o objetivo de trabalhar uma cura completa. Fazendo movimentos horários e anti-horários, com o objetivo de identificar esses males.

Além dos movimentos com o objetivo de identificar esses desequilíbrios, o profissional da radiestesia pode fazer perguntas ao pêndulo, que responderá com “sim” ou “não”, o que pode ajudar a entender as origens de determinados males e certas desarmonias.

Muita gente se pergunta: por que um pêndulo? Por que esse objeto específico? O pêndulo, por estar em constante movimento único, é capaz de encontrar microvibrações que podem ser sentidas por aqueles que têm a sensibilidade necessária para realizar a técnica.

O que é a radiônica e como ela funciona?

A radiônica também é uma pseudociência, mas, por sua vez, essa técnica defende que doenças podem ser diagnosticadas e, em seguida, curadas por meio de uma energia (radiação eletromagnética) semelhante a ondas de rádio. O método foi desenvolvido em 1909 pelo norte-americano Albert Abrams, que fez fortuna alugando equipamentos para a realização da prática que desenvolveu.

Também conhecida como terapia da mesa radiônica, essa técnica parte do pressuposto de que, se podemos mensurar e identificar a radiação, podemos também alterar os padrões vibratórios emitidos e recebidos ao emitirmos vibrações específicas.

Radiônica
NikkiZalewski / Getty Images / Canva

Há dois principais tipos de tratamentos radiônicos: aqueles que utilizam equipamentos eletrônicos para emitir determinadas frequências em ondas de rádios, que supostamente seriam responsáveis por alterar e corrigir os padrões vibratórios de alguém. Esses equipamentos, porém, além de custosos, são grandes e complexos de serem manipulados. O outro tipo de tratamento radiônico é feito sem o uso de equipamentos, apenas com a sensibilidade do profissional, que manuseia suas mãos e faz uso de sua psique com o objetivo de alterar os padrões vibratórios do paciente.

Qual a diferença entre radiestesia e radiônica?

De forma geral, radiestesia e radiônica têm o mesmo objetivo: diagnosticar e corrigir vibrações e padrões energéticos negativos e causadores de doenças, desarmonias e desequilíbrios.

Enquanto a radiestesia faz isso com base na sensibilidade daquele que pratica a técnica e apenas sente, por meio de microvibrações de um pêndulo colocado em movimentos sobre a cabeça do paciente, quais são os males que estão o afetando, a radiônica faz isso por meio de ondas eletromagnéticas. Ou seja, enquanto a radiestesia lida puramente com a energia vital e universal, com o chi, a radiônica lida com vibrações eletromagnéticas.

As duas técnicas, porém, não são opostas, mas complementares, já que podem ser realizadas em conjunto para que o paciente identifique quais são os males que o afetam e como é possível corrigi-los, com o objetivo de alinhar o todo (emoções, saúde física e espírito), promovendo mais bem-estar e harmonia, livrando de doenças e outros desequilíbrios.

Enfim, radiestesia e radiônica são técnicas que podem ajudar você, caso esteja sentindo desequilíbrios em sua energia ou nas vibrações que recebe e que emana. É importante lembrar duas coisas: a primeira delas é que nem todo mundo pode aplicar a técnica, já que os profissionais que a fazem estudaram para isso.

A segunda, mais importante ainda, é levar em conta que ambas as técnicas são pseudociências sem comprovação científica de sua eficácia, então se você está passando por algum quadro clínico, seja ele uma doença física ou emocional, como depressão, procure ajuda médica e faça uso de tratamentos como radiestesia e radiônica como terapias auxiliares e complementares ao tratamento médico necessário e com o aval do médico que está responsável pelo seu tratamento. Não negligencie a sua saúde.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br