Comportamento Espiritualidade Religiões

O que significa Quaresma, afinal?

Imagem de fundo branco e em destaque uma cruz na cor preto e o lado dois quadros. À frente um mesa de pedra, representando o altar de uma igreja preparado para a quaresma.
Elizabethalliburton / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você sabe o que significa Quaresma? Provavelmente você já deve ter, pelo menos, escutado falar dessa expressão. A palavra Quaresma possui origem latina (quadragesima dies) e significa o período de 40 dias de preparação para a Páscoa. Ocorre após o Carnaval, tendo o seu início na Quarta-Feira de Cinzas e o seu fim no domingo de Páscoa.

A Quaresma é bastante comum entre a Igreja Católica e seus fiéis, visto que antecede a maior festa cristã, a Páscoa. Nesse período, as pessoas costumam se aproximar de Cristo, fazendo orações intensas e diárias, além de jejum e penitências. E assim se preparam para a Páscoa, uma época de renovação e purificação pela ressurreição de Jesus Cristo após a crucificação. Essa tradição está presente na vida dos católicos desde o século 4.

Qual a origem da Quaresma?

Essa celebração teve início, conforme a história, no ano 350 d.C., quando a Igreja Católica decidiu expandir o tempo de preparação para a Páscoa, pois apenas o tríduo sagrado (Quinta-Feira Santa, Sexta-Feira da Paixão e Sábado de Aleluia) não era o suficiente para se preparar adequadamente para um evento tão importante como esse.

Agora você deve estar se perguntando o porquê de serem 40 dias… e, sim, há uma explicação! Na “Bíblia”, o período de tempo em torno do número 40 aparece diversas vezes marcando fatos importantes, como quando Jesus ficou por 40 dias no deserto, Moisés no Monte Sinai, a duração do dilúvio, entre outros. Assim, pode-se dizer que o tempo de 40 dias, a Quaresma, é uma característica de um período de dor e sacrifício que ocorre antes de acontecimentos marcantes, como esses citados acima.

O uso da cor roxa durante a Quaresma

Além disso, você sabia que a Quaresma é representada pela cor roxa? O roxo é uma das cores litúrgicas do catolicismo, por isso é comum de ver nessa época do ano os padres vestidos de roxo e as igrejas decoradas também nessa cor, é uma das etapas de uma preparação adequada pela espera da Páscoa.

Imagem de fundo preto e em destaque uma rosa na cor roxa, representando o significado da cor roxa na quaresma.
Glady / Pixabay

Para os católicos, o roxo representa a penitência, o jejum e as orações, assuntos bastante presentes na Quaresma, estimulando a purificação do corpo e da mente. É a simbolização do luto da Igreja pelo sofrimento de Jesus Cristo.

Há quem diga que a Igreja veste seus sacerdotes com roxo por simbolizar a tristeza e a dor do momento, já que também é utilizado roxo nas missas pelos mortos. Muito interessante, né?

As energias presentes no período de Quaresma

Durante a Quaresma é possível sentir a presença de grandes energias e vibrações de amor, solidariedade, compaixão, empatia, renovação etc. Isso porque é uma época marcada por ensinamentos e boas práticas, como respeito, fraternidade e, principalmente, amor e caridade. É na Quaresma que o ensinamento de amar o próximo se faz mais que necessário, tendo sempre em mente o exemplo de Cristo ao ajudar seus fiéis em sua transformação interior.

Além do mais, existem três principais práticas realizadas no período de Quaresma, sendo elas: a oração, a caridade e o jejum. É muito comum observar as pessoas, principalmente no âmbito católico, fazendo promessas de não comerem carne vermelha, por exemplo, durante esse período. Trata-se de uma prática penitencial. Isso porque o ato de comer carne vermelha está relacionado ao derramamento do sangue de Jesus Cristo durante o seu sacrifício.

Imagem com um quadro pequeno de jesus, um cruz, um copo com água e um pedaço de pão, simbolizando o jejum durante a quaresma.
Prierlechapelet / Pixabay

Essa prática perdeu um pouco de força com o passar do tempo, e atualmente é mais comum que ocorra durante a Quarta-Feira de Cinzas e na Sexta-Feira Santa do que em toda a Quaresma. Hoje em dia, a Igreja defende piamente que a prática deva ocorrer pelo menos na Sexta-Feira Santa.

Claro que existem algumas exceções para a Igreja, como as mulheres grávidas, já que necessitam de maiores quantidades de nutrientes, e pessoas pobres, que podem receber carne para comer. Entretanto, o que se deve ou não consumir durante a Quaresma ou na Sexta-Feira Santa está diretamente relacionado com a consciência, o desejo e no que cada pessoa acredita.

Você também pode gostar

Contudo, apesar de ser uma tradição religiosa, qualquer pessoa que tenha interesse por essa experiência pode aderir à prática da Quaresma, já que é um tempo de dedicação, reflexão, fé e cura, além do espiritual. Basta acreditar e ter boa vontade! E o que é mais importante do que as penitências e o jejum é, sem dúvida, o momento de reflexão em busca da evolução do espírito e a proximidade com Deus.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]