Saúde Integral

O que você precisa saber sobre inchaço nos braços e pernas

Mulher alongando seus braços
RF._.studio/Pexels
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Em algum momento da sua vida você teve algum inchaço ou soube de alguém que reclamou dele, principalmente em dias quentes de verão, depois de algum tempo de espera em pé numa fila ou depois de uma festa.

O inchaço é o resultado do acúmulo anormal de líquidos nos espaços em torno dos tecidos e nos órgãos do corpo. Os líquidos que ficam retidos são compostos por sais minerais, proteínas do plasma e, predominantemente, por água.

Na medicina, os inchaços são chamados de edemas e podem se manifestar nos pés, nas pernas, nas mãos, nos braços, nos olhos etc., mas também podem atingir pulmões e espaços do entorno, frequentemente sintomas de problema cardíaco.

Os edemas podem ter causas simples e ser facilmente solucionados ou podem sinalizar problemas mais sérios. As queixas mais comuns são em relação a inchaços de braços e pernas, por isso continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Um membro pode inchar repentinamente, entretanto o mais comum é que haja uma evolução gradativa e a pessoa nem perceba no início, notando somente quando é muito visível ou quando há um desconforto. Ficar muito tempo numa única posição, excesso de sal na dieta alimentar e roupas muito apertadas podem colaborar para a retenção de líquidos e causar inchaços nos braços e pernas.

Ao observar inchaços constantes, com dor e vermelhidão num dos braços ou numa das pernas, convém consultar um médico.

O que causa inchaço nas pernas?

Homem com inchaço na perna
x-reflexnaja / Getty Images Pro / Canva

As causas para o inchaço nas pernas são tão variadas que só uma atenção criteriosa pode auxiliar no método a ser adotado para reduzi-lo ou, ainda, ao ser relatado ao médico, permitir que ele identifique as ações a serem tomadas. Algumas causas são facilmente eliminadas e a tendência é que essa reação do organismo não ocorra ou termine rapidamente. Já outras precisam de tratamento prolongado. Veja algumas causas:

  • Ingestão excessiva de sal;
  • Varizes em geral e as agravadas com a obesidade;
  • Paralisia das pernas em decorrência de acidente vascular cerebral;
  • Período final de gravidez;
  • Problemas de circulação nas veias das pernas, quando as válvulas que estão no interior delas não funcionam plenamente e o sangue que deveria retornar ao coração não circula, ficando acumulado, causando sensação de peso e dilatação das veias, sintomas que também surgem quando se permanece muito tempo sentado ou em pé;
  • Período que antecede a menstruação, quando as mulheres podem inchar em outras partes do corpo também;
  • Efeito colateral de alguns medicamentos anti-inflamatórios, diuréticos, laxativos, anticoncepcionais, antidepressivos, à base de corticoides, para hipertensão, diabetes, e outros;
  • Formação de coágulos de sangue (trombos) no interior das veias profundas das pernas, bloqueando a circulação sanguínea e impedindo que o sangue retorne ao coração. Causam dor e são comuns em pessoas acamadas ou internadas por longo período. Pode ocorrer em pessoas com doenças do sangue que alteram a capacidade de coagulação. Os trombos podem ser muito perigosos, pois, caso se soltem, chegam ao pulmão e aumentam o risco de entupir uma artéria dele, ocasionando embolia pulmonar;
  • Doenças renais, pois os rins, quando não funcionam adequadamente, não equilibram a necessária eliminação de líquidos do corpo, ocasionando acúmulo;
  • Insuficiência cardíaca;
Mulher com dor nos rins
Kindel Media / Pexels / Canva
  • Doenças hepáticas, principalmente porque o fígado deixa de produzir a proteína albumina, que é essencial para a retenção dos fluidos corporais no interior dos vasos sanguíneos;
  • Sedentarismo, efeito da gravidade e falta de movimento em viagens longas, quando a pessoa fica muito tempo sentada;
  • Acúmulo de sangue;
  • Linfedema, que é o bloqueio do vaso linfático; o vaso linfático ajuda a drenar o líquido dos tecidos. Pode ser ocasionado por um tumor;
  • Alguns tipos de câncer;
  • Defesa do organismo a um agente alérgico (alimento, creme, perfume, produto de beleza e de higiene), quando o corpo, durante a exposição ao produto, extravasa líquido fora dos vasos sanguíneos como estratégia para neutralizar o agressor;
  • Evento traumático (tombo, pancada, queimaduras de grande proporção), gerador de um mecanismo inflamatório de defesa do corpo;
  • Temperaturas elevadas no verão, pois o sistema de controle central (situado no hipotálamo) dilata os vasos sanguíneos para possibilitar a perda de calor e proteger o corpo, o que provoca inchaço discreto nas pernas, nos pés (o sapato aperta), nos pulsos e nas mãos (relógio, pulseiras e anéis parecem ficar menores).

O que causa inchaço nos braços?

O inchaço nos braços não deve ser ignorado, principalmente se houver recorrência. Pode ser acompanhado por outros sintomas, como vermelhidão, palidez, dor, coceira, calor na pele (que ainda pode se apresentar fria e úmida), formigamento, dormência, fraqueza muscular, perda de movimento e outros. Um braço ou os dois podem estar inchados, sendo necessário buscar diagnóstico médico para identificar as causas, que podem estar relacionadas a inflamações, infecções e outras. Saiba de algumas:

  • Traumas diretos, como pancadas, arranhões, pressão etc.;
  • Fratura de ossos, o que exige atendimento médico imediato;
  • Esforço excessivo com sobrecargas musculares (tendinites, estiramentos, fadiga etc.);
  • Após exercícios com pesos e de sustentação, por exemplo, o inchaço não é preocupante. Se persistir ou for acompanhado de outros sinais, porém, é aconselhável consultar um médico;
  • Lesões em nervos;
  • Inflamação por toxinas (picadas de insetos, substâncias venenosas, drogas);
  • Queimaduras;
  • Alergias;
  • Doenças articulares, como síndrome do túnel do carpo, reumatismo, artrose e artrite;
  • Infecções causadas por bactérias, vírus, fungos ou protozoários;
  • Problemas vasculares com lesão ou obstrução do fluxo sanguíneo ao longo do(s) braço(s), que pode ser sinal de doenças cardíacas, insuficiência renal, doença hepática, aneurismas, tromboses e precisa ser logo diagnosticado e devidamente tratado;
Homem com inchaço na perna no médico
JPC-PROD / Getty Images / Canva
  • Linfedema;
  • Gravidez em período final, não apresentando consequências;
  • Temperaturas elevadas de verão.

Quando procurar auxílio médico?

Com o objetivo de evitar transtornos e ocorrências graves e emergenciais, é fundamental manter atenção à frequência, à duração e aos sintomas que acompanham o inchaço. É importante sempre ter em mente que ele pode ser facilmente solucionado, mas também pode ser um alerta para buscar medidas imediatas. Então fique atento e procure atendimento médico quando o inchaço:

  • Surgiu repentinamente;
  • Ocorreu em uma das pernas ou um dos braços;
  • Veio acompanhado de dor ou sensibilidade importante;
  • Está acompanhado de falta de ar; náusea ou tontura;
  • Se o braço ou a perna estiver com coloração azulada e houver perda total de sensibilidade ou de movimento, mesmo que uma única vez;
  • Quando retornou de uma longa viagem e o inchaço não desapareceu após alguns dias.

Qual médico procurar para inchaço nos braços e pernas?

As causas de inchaço nas pernas e nos braços são variadas. Excluindo aquelas relacionadas a um tempo longo em pé ou sentado, ao calor excessivo, à gravidez ou ao período que antecede a menstruação, é fundamental consultar um médico.

O médico angiologista é o especialista que trata de problemas relacionados a vasos sanguíneos, veias, artérias e vasos linfáticos. Outro profissional a ser consultado é o médico cardiovascular.

O que fazer para diminuir o inchaço?

O tratamento para inchaço nos braços e nas pernas é feito de acordo com as causas. Mas hábitos pouco saudáveis ou o corre-corre da rotina não devem se tornar motivos para esse desconforto. Algumas medidas podem ser adotadas, independentemente de consultar um médico. Confira algumas dicas sobre o que fazer para diminuir o inchaço quando ele surgir ou para reduzir a sua frequência:

Mulher com as pernas inchadas, deitada
comzeal / Getty Images / Canva
  • Evite a automedicação. Somente o médico pode indicar anti-inflamatórios, anti-histamínicos e outros medicamentos;
  • Preserve-se de permanecer muito tempo sentado ou em pé, buscando alternar posições;
  • Coloque as pernas para cima por pelo menos 20 minutos por dia, para estimular a circulação sanguínea, melhorar o sistema linfático, proporcionar relaxamento e aliviar o inchaço nas pernas. Uma forma fácil de elevar as pernas é deitar na cama e apoiar as pernas na cabeceira ou em almofadas e travesseiros;
  • Permaneça em local arejado;
  • Aplique uma compressa fria (exclusivamente para inchaços decorrentes de lesão por choque ou para eliminar o calor);
  • Evite faixas apertadas, relógios de pulso, pulseiras ou qualquer objeto que impeça a circulação;
  • Faça massagem manual com movimentos em direção ao coração, no caso de inchaço nos braços e de baixo para cima, no caso das pernas;
  • Esteja alerta para o surgimento de outros sintomas, como dor, vermelhidão ou calor na pele;
  • Reduza a quantidade de sal na dieta alimentar, evitando a retenção de líquidos;
  • Beba bastante água e líquidos durante o dia, pois ajuda a desinchar as pernas. Quando o corpo não está hidratado o suficiente, a tendência é reter líquidos, por isso é importante tomar diariamente pelo menos de 8 a 10 copos de água;
  • Evite a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;
  • Sente-se na primeira fila ou na saída de emergência do avião, o que dá mais espaço para movimentar as pernas. Flexione os joelhos e estique os pés a cada hora ou caminhe pelo corredor a cada duas horas, principalmente em viagem longa;
Pessoa sentada em assento de avião
Farkot_Architect / Getty Images Pro / Canva
  • Abstenha-se de ingerir medicamentos para dormir durante viagens longas de avião ou de carro, pois eles evitam que se perceba antecipadamente sintomas de inchaço;
  • Evite o uso de sapatos de salto alto por tempo prolongado, pois a distribuição de peso não balanceada dificulta o retorno venoso, causando inchaço;
  • Use roupas e calçados leves e confortáveis, principalmente em dias quentes;
  • Realize exercícios de acordo com a própria estrutura e condições físicas, sem exagero e sem pressa para o condicionamento corporal;
  • Evite temperaturas elevadas em saunas e banhos muito quentes em dias de verão intenso;
  • Faça uso de meias de compressão (mediante recomendação médica);
  • Evite o sedentarismo e a obesidade;
  • Inclua drenagens linfáticas na rotina.

Formas naturais de diminuir o inchaço nas pernas

É possível diminuir o inchaço nas pernas de forma natural. Mesmo que você veja propagandas na TV, receba conselhos de amigos e parentes sobre “bons” medicamentos para esse fim, evite a automedicação porque, além de ser muito perigosa, pode não resolver o problema. Encontre aqui algumas ideias mais seguras e mais econômicas, mas se ele ocorrer ou persistir, não hesite em procurar atendimento médico:

Chá de gengibre

Esse chá é um diurético natural que contribui para o aumento da quantidade de urina a ser eliminada durante o dia e permite diminuir a carga de líquidos no sistema circulatório. Ele atua diminuindo a concentração de sódio no organismo, que, em desequilíbrio, é um dos causadores do inchaço nas pernas.

Prepare o chá: Descasque o equivalente a seis fatias de gengibre, corte em pedaços pequenos e coloque numa panela com uma xícara (chá) de água. Leve ao fogo e deixe ferver durante dez minutos. Deixe esfriar e coe. Esprema um limão e acrescente o suco no chá frio. Beba de duas a três vezes ao dia, pela manhã e no início da tarde.

Exercícios físicos

Atividades físicas como caminhadas e hidroginástica são formas de diminuir o inchaço nas pernas porque melhoram a circulação do sangue e permitem o bom funcionamento linfático.

Pessoa andando no parque
Jens Mahnke / Pexels / Canva

As pessoas que trabalham a maior parte do tempo sentadas devem andar um pouco, movimentar-se a cada hora ou aproveitar o horário de almoço para fazer uma caminhada nos arredores da empresa. Para aqueles com atividades que exijam permanecer em pé a maior parte da jornada, vale flexionar os joelhos e ficar eventualmente nas pontas dos pés para obrigar a panturrilha a mandar o sangue das pernas ao coração.

Banho de imersão com sais de Epsom

Ricos em sulfato de manganês e facilmente absorvidos pela pele, os sais de Epsom, além de relaxar, reduzem a inflamação e o inchaço das pernas, porque facilitam a circulação do sangue.

Prepare a solução de imersão: coloque um copo (americano) de sais de Epsom em um litro de água morna. Dilua muito bem e junte à água da banheira. Permaneça imerso de 15 a 20 minutos.

Se preferir preparar um escalda-pés, use meia xícara (chá) de sais de Epsom bem dissolvida em quantidade suficiente de água morna para cobrir os pés e até pelo menos a metade da panturrilha. Permaneça com as pernas imersas por aproximadamente quinze minutos, repetindo até três vezes por semana. É apropriado usar um balde para realizar o processo.

Massagem

Excelente para estimular a circulação sanguínea, a massagem é ainda relaxante e pode ser feita a qualquer momento. Com o uso de um creme que não cause alergia, ela se torna mais fácil. Aplique com movimentos suaves no sentido dos pés para o tronco. Se preferir, associe o método à prática de elevar as pernas.

Alimentação adequada

Para evitar o inchaço nas pernas, inclua na dieta diária frutas como abacaxi, melancia ou melão, que hidratam o organismo e ajudam na circulação de líquidos, porque são ricas em água. Os vegetais verde-escuros, como couve, rúcula e brócolis, são ricos em magnésio e potássio, que reduzem a retenção de líquidos, diminuindo o inchaço nas pernas. Batata, abóbora, damasco seco e feijões também são excelentes alimentos para essa finalidade.

Mulher cozinhando com alimentos saudáveis
humanmade / Getty Images Pro / Canva

Fazer uso de especiarias e de alimentos com efeito termogênico e diurético, como a canela, o gengibre e o café, auxilia na redução do inchaço nas pernas.

É fundamental evitar produtos embutidos (presunto, mortadela, salame etc.), enlatados (possuem uma grande quantidade de sódio, que provoca a retenção de líquidos), caldos industrializados, pão branco, farinha branca, massas, bebidas alcoólicas, sucos em caixa e refrigerantes.

Vale lembrar que o sódio auxilia no volume sanguíneo e deve estar equilibrado no organismo. Antes de iniciar qualquer dieta, consulte um endocrinologista ou um nutricionista.

Respiração profunda

A retenção de líquidos também é causada pelo aumento do cortisol que o estresse diário ocasiona. Essa retenção pode provocar o inchaço nas pernas. Então, para preveni-las, exercícios de respiração profunda e abdominal podem ser diferenciais.

Faça o exercício: inspire pelo nariz e conte até cinco. Expire pela boca, contando até dez. Repita o processo três vezes.

Ao oxigenar as células do cérebro por meio do exercício, é possível sentir relaxamento e tranquilidade. Um estudo publicado na Revista de Enfermería, em 2010, informou que o controle da respiração apoiou significativamente a redução de cortisol.

Para concluir, vimos que os inchaços podem ter causas simples ou complexas. Aumento da circunferência dos braços e das pernas, pele esticada e brilhante que, ao ser pressionada com o dedo, afunda, vermelhidão e dor, entre outros sintomas, são sinais para a tomada de providências.

A retenção de líquidos é um fator fundamental a ser controlado para evitar inchaços nos braços e pernas. Uma alimentação saudável e equilibrada no sódio, além de ingestão frequente de líquidos, realização de exercícios físicos e controle do estresse ajudam a reduzir e a evitar inchaços.

Estar alerta sobre os sintomas mais simples e sobre aqueles que exigem consultar um médico é essencial para resolver a questão de forma assertiva.

Tratar a saúde de forma integral, considerando o que é bom para o corpo e para a mente, é uma forma de conquistar uma vida mais feliz e mais livre para se dedicar ao que dá prazer, usufruindo o convívio social com as pessoas queridas. Pense sobre isso! Cuide-se bem!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br