Autoconhecimento Coaching Espiritualidade

Por que a espiritualidade deve ser inserida nas empresas?

Ricardo Ricchini
Escrito por Ricardo Ricchini
O tema espiritualidade está sendo fortalecido na sociedade, portanto, acaba indo parar também nas empresas. E o primeiro ponto importante desse assunto é: Espiritualidade tem a ver com religiosidade? Afinal, uma empresa pode ter colaboradores de várias crenças…

Espiritualidade nas empresas não significa crenças ou dogmas religiosos. Uma empresa que leva as bases da espiritualidade para dentro de sua organização, é uma empresa que está inserindo (ou solidificando) procedimentos éticos e morais, que na verdade não deveriam estar separados das atuações de negócios, métodos e procedimentos de nenhuma corporação, assim como não deveria ser possível separar esses valores em um indivíduo.

Trabalhar a espiritualidade nas empresas é entender de verdade o propósito delas no mercado. E, partindo dessa análise, fazer as melhores escolhas.

O que isso significa? 

Toda empresa tem várias vocações condizentes com princípios espirituais, como levar soluções para a sociedade (produtos e serviços que resolvem problemas) ou gerar abundância (pagando salários e impostos).

Essas características das corporações se desalinham quando os propósitos não acompanham essas vocações, como não ter interesse real que seu produto ou serviço sirva à sociedade, gerar abundância apenas para o empregador, prejudicando os colaboradores e suas famílias.

As consequências do desalinhamento são óbvias, mas isso não impede que aconteçam.

Não havendo benefício real do serviço ou produto, ele vai depender de muito marketing ou manipulação para que seja vendido. Vai sofrer vários ataques em redes sociais (por exemplo), vão ocorrer processos judiciais e um desgaste natural que exigirá troca ou aprimoramento constante.

Não havendo interesse real em gerar riqueza para a sociedade, o empresário desenvolve sentimentos negativos severos, como egoísmo, ganância e arrogância, que descontrolam seus desejos (mais e mais) e o conduzem a uma espiral descendente de níveis de consciência, pois a ganância leva ao medo (de perder o que foi conquistado), tristeza, aflição, culpa e vergonha. São esses sentimentos negativos que levam ao estresse e doenças, que podem ser considerados os preços espirituais que são pagos ao não valorizar condutas éticas e morais.

Nesse ponto você entendeu que espiritualidade não tem nada de místico e que você já conhecia todos esses preceitos. O que a espiritualidade traz de valioso é o ensinamento básico que toda escritura sagrada tem ou que todo mestre espiritual diz, independentemente da maneira como é transmitido:

Transforme conhecimento em prática.

De nada adianta ter todo o tipo de informação e conhecimento sobre conceitos morais se você não os aplica na sua vida. Ou no caso deste artigo, aplique conceitos básicos espirituais nas empresas.

Buda disse:

“Mesmo que você leia as escrituras sagradas e mesmo que você fale sobre elas, qual o bem que elas fazem se não agir sobre isto?”

Jesus disse:

& #8220;Conheça a verdade e a verdade vos libertará.”

É possível que você considere que este artigo faz sentido, mas como dito pelos mestres acima, ter a informação correta e não transformar em vivência, é inútil.

Mas se esse é o padrão da sociedade, como fazer efetivamente para introduzir espiritualidade nas empresas?

Seja você patrão ou um colaborador, é possível que os princípios espirituais façam parte de sua vida profissional se você começar aos poucos, com uma atitude por vez, ou por ciclo de aprendizado. Para iniciar, basta fazer essas sinceras reflexões:

& #8211; “Meus colegas, meus subordinados e meus chefes estão felizes? O que eu poderia fazer para trazer mais felicidade para o ambiente de trabalho?”

– “O que eu devo mudar para ter mais carinho e amor pelo que faço?” 

– “As pessoas que trabalham comigo gostam do que elas fazem? Eu poderia de alguma forma ajudá-las nisso?”

– “O trabalho que executo serve à sociedade?”

Ao fazer esses questionamentos, você começa a enxergar o ser humano por trás de números, de tarefas, de serviços e de dinheiro. Naturalmente, a espiritualidade começa a se fazer presente.

Na verdade, um bom sinônimo de espiritualidade é conexão. Conexão com as pessoas significa conexão com algo maior, com algo divino.

Experimente buscar a essência do outro, criar uma conexão, coração a coração, com quem você convive de segunda a sexta. Veja que esse tipo de conexão não se vê normalmente no ambiente empresarial, e só isso já é um tremendo diferencial competitivo!

Quando eu me importo com os outros, eu dou o meu melhor para resolver problemas. Ao menos eu estarei solícito para que as situações desafiadoras de trabalho possam ter boas resoluções.

Levar espiritualidade para as empresas não significa levar conceitos divinos. Significa, tão somente, estar presente.

Boas práticas!

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Ricardo Ricchini

Ricardo Ricchini

Treinador de Alta Performance, palestrante e professor de meditação na Pandora Treinamentos

www.pandoratreinamentos.com.br