Nutrição Nutrição Orgânica

Produção 100% orgânica? Sim! Este é o objetivo da Dinamarca até 2020

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Enquanto alguns países ainda estão tentando aumentar a produção orgânica, outros já pretendem atingir a marca de 100% dos alimentos produzidos dessa forma. É o caso da Dinamarca, que quer acabar com os produtos livres de agrotóxicos e aumentar de vez a produção de orgânicos.

Somente em 2015 o governo dinamarquês investiu mais de 53 milhões de euros para ampliar a agricultura biológica. Mas é preciso pontuar que isso não aconteceu de uma hora para outra. Já faz mais de 25 anos que a Dinamarca tem a aplicação de leis sérias de proteção à natureza.

Para aumentar a produção, o país pretende trabalhar em duas frentes: aumentar a quantidade de terras agrícolas que usem agricultura biológica e estimular maior demanda desses produtos.

Além desses focos, o país trabalha o conceito em muitas outras frentes, até na educação, já que cursos de nutrição, alimentação saudável e agricultura natural farão parte do currículo escolar. Ou seja, por todos os lados estão sendo feitas ações que saem da teoria para tornar essa questão real.

[block]0[/block]
Exemplo

A Dinamarca está dando um verdadeiro exemplo de que é possível ampliar a produção de alimentos orgânicos e todo mundo que participar desse ciclo sair satisfeito. A produção da cultura de que os orgânicos não são possíveis no país é um mito.

No Brasil, esse mercado está crescendo, mas devagar, ainda não tendo deslanchado. Em um quesito, porém, infelizmente estamos na frente: desde 2009, o Brasil figura como o líder mundial no consumo de agrotóxicos. Uma triste realidade.

Falta de logística, leis, incentivo
Desde 2009, o Brasil é líder mundial no consumo de agrotóxicos.

A realidade da produção orgânica no Brasil esbarra em muitas questões, a começar pela falta de logística. É preciso também leis que saiam do papel e órgãos que controlem a produção no Brasil. O incentivo para a produção de orgânicos ainda é longe do esperado.

Ao mesmo tempo, a educação precisaria de apoio, divulgação de cursos e mais programas voltados para a produção orgânica. Ainda vivemos com o pensamento de que os orgânicos são mais caros, mas ninguém reflete sobre o futuro e os problemas que o uso excessivo de agrotóxicos pode causar ao nosso organismo.

É uma série de questões sobre as quais seria mais importante haver diálogo em todos os espaços, mas precisamos afirmar que ainda há muita ambição por trás. Não vamos a fundo porque o buraco é grande, todavia não podemos deixar de sonhar e acreditar que é possível. Sempre podemos começar por nós. Comece sua hortinha no espaço que dispões, seja qual for. Plante e cultive você mesmo! Boa sorte.


Escrito por Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]