Saúde Integral

Qual é a ligação entre nosso intestino e o nosso cérebro?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Falar sobre os intestinos nunca foi lá uma conversa de roda de amigos. Muitos nem sabem onde de fato eles se localizam em nosso corpo. Só sabem que estão lá. Mas acreditem, os intestinos podem estar muito mais ligados ao cérebro do que você imagina.

Com a função de absorção de nutrientes e água, eles fazem parte do sistema digestório. Mas no livro “A Vida Secreta dos Intestinos”, escrito pela alemã Giulia Enders, de 25 anos, formada em Gastroenterologia pela Universidade Goethe de Frankfurt, os intestinos têm uma relação com o nosso humor e até com a depressão e o estresse.

Intestinos x cérebro

Em seu livro que já emplacou muitas vendas, Giulia afirma que existe uma ligação direta do intestino para o cérebro e que alguns sinais podem estar ligados a motivação, medos. A própria medicina Ayurvédica  já falava da relação do cérebro com os intestinos.

Essa ligação se define justamente pelo fato do intestino delgado ser reconhecido como ‘segundo cérebro’ por ser o único órgão do corpo humano capaz de executar funções independetemente do sistema nervoso central (SNC).

Pesquisas entendendo essa conexão

Não foi somente Giulia Enders que fez este estudo e reconhece a ligação. No Brasil, o Laboratório de Pesquisas em Neurônios Entéricos da Universidade Estadual de Maringá/PR, vem fazendo pesquisas sobre o assunto. Para o Dr. Marcílio Hubner de Miranda essa aproximação se deve a três assuntos:

Natureza Associativa: conduzem as informações a serem processadas.

Natureza Motora: respondem aos estímulos.

Natureza Sensorial: captam os estímulos do meio ambiente e os transmitem aos centros nervosos.

E quando há uma alteração física ou mental dos movimentos peristálticos, há consequências. A diarreia é a desidratação e perda de sais minerais, e a prisão de ventre é o ressecamento e acúmulo de fezes na parede intestinal. Está aí a prova de que tudo está interligado e no corpo não poderia ser diferente.

Porque aquela dor de barriga antes de fazer a prova? Existe uma explicação.
Depressão x Intestino

Muitas pesquisas já vêm mostrando que alguns casos de depressão podem estar conectados com o não funcionando ideal do intestino. Mesmo sendo considerado um problema psíquico, estudos encontraram no intestino a razão pela depressão de muitas pessoas.

Em 2008 foi publicado um estudo na renomada revista “Neuroendocrinology Letters”, mostrando que a disfunção intestinal desempenha um papel fundamental na fisiopatologia inflamatória da depressão. A partir desta pesquisa, houve alteração também no modo como as pessoas depressivas se alimentam.

Sendo assim considerado importante atentar para o fato da alimentação agravar ou não o estado de depressão do paciente. Muitos especialistas também já começam a alertar para se ter uma visão mais holística da saúde, para não apenas tratar a doença, mas sim pesquisar de onde se originou.

Ouça seu corpo

shutterstock_121644619-2 Por essa muita gente não esperava. Se você tem problema com seu intestino, procure entender de onde vem às causas, talvez esteja na alimentação ou até em um sentimento resguardado. Praticar atividades físicas, conhecer o seu corpo, o alimento que come, como foi produzido, pode lhe parecer bem simples, mas pode prevenir sérias doenças e mal-estar. E uma observação: 90% da serotonina, o hormônio do prazer, é produzido no intestino. Então, vale o cuidado e toda atenção.

Atente ao que você come! Temos várias matérias sobre os diferentes tipos de nutrição que podem ajudar na escolha da que se adapta melhor a sua escolha de vida, além de receitas super saudáveis e gostosas!

Faça uma opção por você! 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]