Sagrado Feminino

Sagrado Feminino – Respeitando sacralidade do corpo

Mulher de costas em um campo, de braços abertos, ao pôr do sol.
123RF/olegdudko
Jucelma Pereira
Escrito por Jucelma Pereira

No resgate da espiritualidade feminina, honrar o corpo e respeitá-lo é uma das principais formas de viver o Sagrado feminino, pois ele representa o templo pessoal da mulher, onde há as manifestações da energia feminina.

Devido à era moderna e à necessidade de atender a padrões sociais, muitas mulheres acabam se sentindo obrigadas a atender essas solicitações externas em detrimento do seu bem-estar natural.

Olhar o corpo feminino como um templo sagrado é algo ancestral que foi abandonado, devido às mudanças na civilização e à queda do matriarcado, fazendo com que as mulheres perdessem essa forma de enxergar a si mesmas, submetendo-se a mutilações e sacrifícios, em especial atendendo às exigências masculinas.

Mesmos as mulheres que possuem os encantos de Afrodite não estão satisfeitas com a sua aparência, buscam sempre alguma forma de se queixar e procuram formas práticas para mudar o seu natural.

Mulher chorando enquanto olha para o seu reflexo no espelho.
Foto de Polina Zimmerman no Pexels

Essas atitudes afastam as mulheres de sua sacralidade. Isso não quer dizer que deve haver ausência de zelo com a própria aparência, mas que honrar o corpo como sagrado e respeitá-lo, aceitando a sua natureza, promove na mulher sensações de equilíbrio e bem-estar.

Para que você possa identificar se honra a sacralidade do seu corpo, observe como cuida de si mesmo, se você trata seu corpo a partir do que “os outros vão achar” ou se cuida da sua beleza conforme o que acredita e se sente segura em se cuidar assim.

Você também pode gostar

O fator beleza atualmente é um dos principais fatores de baixa autoestima nas mulheres, causando inseguranças não somente em suas relações, mas também no seu posicionamento perante a vida.

Proponho um exercício prático para honrar a sacralidade do corpo.

Você vai precisar de:

  • Papel e caneta
  • Um recipiente de preferência de metal
  • Um punhado de ervas secas

Primeiramente, escolha um lugar onde não poderá ser incomodada, com papel e caneta reflita sobre todos os conceitos que tem sobre ser mulher, quais deles são negativos e possuem mensagens negativas em relação a sua aparência, talento, capacidade.

Folha de árvore sobre as costas de uma mulher, que segura o cabelo para cima.
Foto de Matheus Bertelli no Pexels

Escreva todas essas mensagens na folha de papel, mentalizando que essas afirmações já não fazem mais parte da sua vida.

Jogue o papel e o punhado de ervas do recipiente e imagine neste momento que o fogo está desimpregnando do seu ser esses conceitos, sinta que essas afirmações estão sendo eliminadas.

Após isso, tome um banho de purificação (calêndula, jasmim e hibisco) e mentalize cada parte do se corpo que até então era rejeitado, receba-o amorosamente, fazendo as pazes com o sagrado.

Sobre o autor

Jucelma Pereira

Jucelma Pereira

Terapeuta holística, taróloga, focalizadora de círculo de mulheres, atualmente estudante de psicoterapia junguiana e atuante na área de terapias holísticas, tais como radiestesia e radiônica, ervas e cuidados naturais, numerologia, mesa quântica estelar, alinhamento de chacras com cristais e apometria.

Contatos:
Email: [email protected]
Facebook: Pacha Mama - Espiritualidade Feminina
Instagram: @jucelmapereira_terapias