Autoconhecimento Meditação

Você está com a sensação de que parece que não aprendeu nada?

Mulher apoiada em sofá com olhar tenso
Dulcineia Santos
Escrito por Dulcineia Santos

O professor espiritual Ram Dass conta que passou um tempo em um retiro e, ao voltar e lidar com sua família, teve a impressão de que não havia aprendido nada.

Como lidar com esse sentimento de que a gente estudou, praticou, meditou, e no dia a dia o que parece na verdade é que andamos um pouco para trás? Ou com a impressão de que o seu esforço pouco adiantou; ou de que, depois que você começou a trabalhar em si mesmo, a coisa parece ter ficado pior?

A verdade é que todo o esforço que você coloca na sua evolução é válido, ainda que a princípio não pareça. O que acontece é que, à medida que você investe tempo no seu autoconhecimento, algumas coisas que você precisa trabalhar são trazidas do subconsciente para a superfície, para que você possa lidar com elas também.

Mulher deitada omendo pipoca e ligando a tv
Foto de JESHOOTS.com no Pexels

Sabe quando você assiste a um filme uma vez, gosta, resolve assistir de novo, e aí percebe um monte de coisas de que não tinha se dado conta na primeira vez? É assim que acontece no caminho evolutivo. As coisas são colocadas em nosso caminho para que possamos reparar nelas e, através disso, mudá-las.

Aliás, eu tinha um terapeuta, que às vezes me indicava alguns filmes para ajudar no meu processo. Quando eu dizia “a esse eu já assisti”, ele respondia: “você assistiu com a consciência que tinha naquela época. Agora assista novamente com a consciência que tem hoje”.

Louise Hay traz outro aspecto sobre isso. A frase dela é tão perfeita, que vou apenas traduzir:

“Como saber se você realmente resolveu uma questão, se ela não voltar mais uma vez para que você veja como reage? Se voltar a reagir da maneira antiga, então você sabe que não aprendeu realmente aquela lição.”

Então, não é que as coisas pioraram, é apenas que você está sendo chamado a colocar em prática o que aprendeu. Caso contrário, a gente cria a ilusão de que sabe tudo e se torna uma pessoa que prega uma coisa sem praticar.

Sem contar que passar por aquela situação faz desenvolver a compaixão para com o próximo. Quando alguém mostrar dificuldade em fazer algo que sabe ser o certo, você experienciou o quanto aquilo foi difícil para você também. Uma pessoa que nunca fumou não sabe quão difícil é para o outro parar de fumar. Uma pessoa que tentou parar de fumar cem vezes sabe.

Outra coisa que acontece é que às vezes você aprendeu a lição em um nível e agora precisa aprender outro aspecto daquela mesma lição. Por exemplo, às vezes eu ficava incomodada com um ou outro comentário no meu post. Outro dia percebi que eu posso escolher não interagir com determinadas pessoas, essa era uma lição. Significa que ninguém mais vai postar coisas que me incomodam? Não, talvez a próxima lição seja exatamente o contrário: saber quando responder e mostrar compaixão pela dor de outra pessoa, até eu ser evoluída o suficiente para que nada do que comentem me aflija.

Você também pode gostar

Eckhart Tolle usa outra explicação. Vamos supor que você seja uma pessoa explosiva. À medida que você vai criando consciência e trabalhando em si mesmo, primeiro você percebe que é explosivo, mas isso não o impede de explodir. Na próxima vez, você explode, mas já se arrepende, porque sabe que não é o melhor caminho, o caminho do amor e da evolução. No começo você leva dois dias para se arrepender, depois um, depois se arrepende cinco minutos depois. Depois de um tempo, você começa a perceber, alguns segundos antes, que vai explodir, você consegue se observar, e esse é um grande passo. Mesmo assim, você ainda não tem a força de vontade necessária para impedir a explosão. Mas veja: não significa que você não evoluiu, é um passo de formiga, mas é um passo. E assim continua, até que um dia você escolhe não explodir. Mas, para você escolher não explodir, teve de aparecer uma situação em que normalmente a reação seria outra.

Então não desista. Você está no caminho certo. Tenha em mente o seu gol (não explodir, ser mais amoroso, ser um familiar melhor) e siga em frente.

Sobre o autor

Dulcineia Santos

Dulcineia Santos

Dulcinéia Santos é terapeuta multidimensional, life coach e praticante certificada das ferramentas MBTI® de tipos psicológicos e Barras de Access®. É também autora do livro: “A Namorada do Dom”, em que conta sobre as lições que aprendeu nos relacionamentos e sua jornada até a Suíça.

Acredita que a vida é cheia de lições, e que se não as aprendemos não passamos pro próximo nível do jogo. Saiu de casa cedo e foi morar no mundo – agora está na Suíça, onde estudou antroposofia por três anos. Gosta de tomar cerveja no boteco enquanto papeia, de aconselhar, da língua portuguesa, de cozinhar, de ficar só e de flexibilidade de horários. É esotérica, mas acha que estamos encarnados para viver as experiências terrenas com o pé no chão – de preferência dançando.

Formações:
Brain Based Coaching Certification
NeuroLeadership Group - Londres

MBTI® - Myers-Briggs Type Indicator - Step I and Step II
Myers-Briggs Foundation - Florida, USA

Antroposofia
Goetheanum - Dornach, Suíça

Terapia Multidimensional
Genebra - Suíça

Access Bars®
Nyon - Suíça

Contatos:
Site: dulcineiasantos.com

Facebook: Cura de Amor

Youtube: Canal Cura de Amor

Instagram: @dulcineia.curadeamor

Blog: medium.com/@dulcineiasantos

E-mail: [email protected]