Espiritualidade Xamanismo

Xamanismo e a Oração indígena para o amor

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O xamã observa em silêncio todos ao redor. Seu rosto é iluminado pela luz do fogo. Todos fazem silêncio, até que o som do tambor soa. O xamã bate em seu tambor com ritmo e intensidade contínuos. Todos fecham os olhos e entram em estado de transe.

Essa é uma prática envolta em mistério. O xamã parece ter um poder sobrenatural. Ou seria algo natural?

O xamanismo é uma prática mágica, espiritual e de cura que era (e ainda é) praticada por xamãs de tribos antigas. A sua origem é incerta, pois em diversas localidades do mundo existia nas tribos um líder espiritual que era responsável pelos rituais e práticas mágicas. O que indica que o xamanismo não é uma religião ou prática filosófica unificada, mas uma prática que se desenvolveu em paralelo em diversos povos desconexos espalhados pelo mundo.

O xamã conquistava esse papel na tribo devido aos seus poderes incomuns como entrar em transe, entrar em contato com os espíritos de seus ancestrais, ter habilidade para conduzir rituais, conhecimento de ervas e plantas medicinais, além de exercer um papel também de conselheiro.

Outro aspecto importante do xamanismo é o contato com a natureza. A sobrevivência das tribos estava diretamente ligada aos fenômenos da natureza. Se o tempo ficava por muito tempo fechado e com neve, por exemplo, a caça não podia ser feita, e as pessoas ficavam sem comida. Dessa forma, os xamãs faziam rituais para invocar e reverenciar os espíritos da natureza, para pedir ajuda e proteção para a tribo.

O contato com os animais também era algo visto como sagrado. Era deles que vinha o alimento, e isso significava vida e sobrevivência para todos. O xamanismo também associa o comportamento dos animais com as diferentes personalidades humanas, e disso surgem os “animais de poder” que são representações simbólicas de uma força individual de cada pessoa. Por exemplo, uma pessoa com senso de coletividade e de proteção muito grande poderia passar por um ritual xamânico e descobrir que seu animal de poder era um lobo, pois é um animal que tem essas características em evidência.

Nos dias de hoje, a prática do xamanismo foi perpetuada, mesmo em meio a cidade grande. Pessoas que se interessam pelo contato com a espiritualidade através dos símbolos xamânicos levam esses rituais adiante. E, se você tem interesse por esse mundo, é possível encontrar xamãs, seja em tribos afastadas, ou em meio a sociedade moderna. E você verá como os rituais continuam, com a mesma batida constante do tambor.


  • Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]