Comportamento Convivendo

Agradecimento aos povos indígenas

Fotografia das mãos de uma mulher indígena com pulseiras e colares em volta
Pxhidalgo / Getty Images Pro / Canva
Euclydes Zanon Filho

HA’EVEte.

HA’EVEte, em tupi-guarani, significa obrigado, gratidão.

Tenho tido o privilégio de estar convivendo junto aos índios da aldeia tupi guarani do rio Silveiras, em Boracéia litoral norte de São Paulo.

Embora os anos tenham se passado e os índios tenham se adaptado às novas tendências, a realidade deles é de superação.

Eles têm uma rotina de subsistência formidável.

São irmãos!

São seres da floresta!

São pessoas que buscam seu espaço e têm uma história.

Suas crenças, seus ritos e sua cultura são um legado a ser conservado.
Homem indígena idoso segurando um bastão de madeira e bandana
Vincent Tan / Pexels / Canva

Suas medicinas ancestrais curam.

O contato comigo foi leve, me trouxe paz.

Seu maior desafio é o de sobrevivência.

Quem poderia imaginar que a comunidade dos povos indígenas do Brasil é tão vasta?!

Temos a oportunidade de contribuir para que as suas características não se percam.

Existem várias formas de fazer passeios agendados nas aldeias de São Paulo, basta pesquisar.

Homens de uma tribo indígena de costas
Faris Munandar / Pexels / Canva
A vivência junto a eles te transforma.

Dar as mãos e se conectar no círculo.

Pedir ao grande Nhanderu ete, Tupã, bênçãos.

Com suas vestes e sua feição tão peculiar.

Filhas, filhos, mães, pais, avós, todos um.

Refletem a luz divina do Criador.

Quanto esplendor!

A força da tribo pulsa no batuque e nas maracás.

Duas mulheres indígenas com tatuagens e piercings no rosto
Parij Borgohain / Pexels / Canva

A força da tribo pulsa nas rezas de cura.

Suas cachoeiras, os rios, as plantações, as ervas…

São um povo de fé.

Seus sorrisos brilham lindamente!

São anjos e guardiões da natureza.

Seres livres da floresta.

Que seu passado se faça presente e seja eterno.

Um aprendizado carregado de muita sabedoria, saúde, amor, compaixão, força de vontade, autoestima e respeito.

Um verdadeiro aprendizado xamânico.

Duas mulheres indígenas sorrindo com flores no cabelo
Ganta Srinivas / Pexels / Canva

Que possamos compreender que eles já estavam aqui antes de nós.

Você também pode gostar

Gratidão aos povos indígenas.

Gratidão aos índios por sua existência.

Gratidão ao Deus do universo por seu cuidado.

Gratidão por trilhar esse caminho!

Gratidão! Namo Amituofo! Namastê!

Sobre o autor

Euclydes Zanon Filho

Euclydes Zanon Filho

Eu sou Euclydes Zanon Filho, formado no curso superior em Gestão de Serviços. Participo de treinamentos de desenvolvimento pessoal e comportamentos. E escrever é uma forma de dividir a luz interior, o meu resgate é contínuo, o meu despertar é diário, e é incrível!

Contatos:
https://www.facebook.com/DespertarRenovarSeguir
Contato: (11) 99394-0100
E-mail: zanon123@yahoo.com.br