Autoconhecimento

Zumbido no ouvido? Isso pode ser um sinal de clariaudiência

Mulher escutando o som de um mosquito
bowie15 / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Depois de uma festa com som alto incessante, é comum perceber um zumbido no ouvido quando se estabelece o silêncio. Contudo, algumas pessoas reclamam desse ruído no dia a dia, independentemente da situação mencionada, e vivenciam um enorme desconforto que pode gerar irritabilidade, perda de concentração, transtornos de convivência e baixa qualidade de vida.

Sabendo que o normal do organismo não é manifestar esse tipo de sinal, pelo menos para a maioria das pessoas, entender o que ele significa e como pode ser interpretado, tanto do ponto de vista da ciência como da espiritualidade, é importante para tomar a decisão sobre o que fazer.

Então, continue na leitura deste artigo e compreenda o que o zumbido no ouvido representa na saúde e na vida, principalmente porque ele, num sentido mais amplo, com base na espiritualidade, também pode ser uma conexão com o plano superior ou um sinal de clariaudiência.

Por que sentimos zumbido no ouvido?

O zumbido no ouvido, também chamado de zunido, é uma sensação sonora independente de um estímulo externo, ou seja, tem origem no ouvido, e não no ambiente, e pode ser constante ou eventual. É uma percepção auditiva que só a própria pessoa identifica, o que gera certa dificuldade para investigar o problema.

Além disso, os sons dos zumbidos no ouvido são diferentes entre as pessoas, podendo ser comparados aos de apito, concha, chiado, canto de cigarra, cachoeira, panela de pressão, motor de carro, água corrente etc. Os mais comuns são os de apito e de cigarra e podem se manifestar no silêncio ou durante o dia todo.

Também conhecido como tinnitus e cientificamente chamado de acufeno, o zumbido é um sintoma que pode ter várias causas e se manifestar em qualquer idade, inclusive em crianças e, principalmente, em idosos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há 278 milhões de pessoas com esse incômodo, sendo cerca de 28 milhões só no Brasil.

Orelha de uma criança recém nascida
Burst / Pexels

Normalmente, as vias auditivas captam as vibrações sonoras do ambiente e as enviam como impulsos elétricos ao cérebro. Contudo, quando há zumbido no ouvido, elas passam a enviar impulsos de modo independente de uma fonte geradora de som. Então, para resolver esse sintoma, é necessário descobrir o que leva essas vias auditivas a emitirem esses impulsos indiscriminadamente.

Alguns fatores como excesso de cera, corpos estranhos, lesões e infecções do ouvido, problemas na trompa de Eustáquio, otosclerose (decorrente de acentuado crescimento ósseo no ouvido médio), tumores benignos no nervo que sai do ouvido interno (neuroma acústico), perda auditiva, desvios na coluna, diabetes, disfunções cardiovasculares e das articulações mandibulares e excessivo consumo de bebidas alcoólicas, tabaco e café estão entre as possíveis e inúmeras causas relacionadas com o zumbido no ouvido.

Do mesmo modo, a ansiedade e a depressão modificam os níveis de neurotransmissores que estimulam as vias auditivas, podendo causar esse sintoma. Além disso, ele pode vir de ruídos de vasos sanguíneos próximos ao ouvido. Nesse caso, ele é pulsátil e pode ser causado por tumores no ouvido médio, vasos sanguíneos deformados da membrana dura-máter (que recobre o cérebro), fluxo intenso e anômalo da artéria carótida e da veia jugular e espasmos devidos a tumores, lesões cranianas ou doenças que atingem a bainha dos nervos, como esclerose múltipla, dos músculos do palato ou do ouvido médio.

Embora haja certa dificuldade para identificar a origem do problema, o que criou um mito sobre não haver tratamento eficaz para ele, ao perceber um zumbido no ouvido, um médico otorrinolaringologista deve ser consultado, e esse sintoma deve ser detalhadamente exposto para ser investigado e tratado, principalmente quando se manifestar em um dos ouvidos e quando ocorrer perda de audição, dificuldade para engolir, caminhar, enxergar, falar, conversar ou se equilibrar.

Tratamento para o zumbido no ouvido

O zumbido no ouvido acomete mais mulheres do que homens e raramente se consegue interrompê-lo ou eliminá-lo. Contudo, algumas técnicas ajudam as pessoas a lidarem com esse sintoma e obterem mais qualidade de vida. Como ele pode ser resultante também do uso inadequado e indiscriminado de medicamentos, o tratamento deve ser indicado e acompanhado por um médico especialista.

Assim, com o objetivo de administrar o tratamento mais assertivo, o médico poderá proceder com anamnese, avaliação física dos ouvidos e do sistema neurológico, ausculta com estetoscópio na região dos ouvidos e no pescoço, audiometria, timpanometria, ressonância magnética e angiografia (se houver zumbido pulsátil).

Quando o zumbido no ouvido está relacionado à perda auditiva, para a maioria das pessoas que sofrem com esse incômodo, o uso de aparelho amplificador (auditivo) resolve ambos os problemas, sendo necessária uma adaptação ao dispositivo. Contudo, decorrendo de outra causa e sendo ela inconclusiva, o tratamento prioriza a identificação dos elementos que disparam ou pioram o desconforto, de forma a eliminá-los ou minimizá-los no dia a dia.

médico ent verificando ouvido com otoscópio para paciente no hospital
tonobalaguer / 123RF

Entretanto, se esses elementos não são identificados, alguns medicamentos prescritos pelo médico podem ser úteis. É importante considerar que o incômodo pode ser tão grande que algumas pessoas progridem para quadros de depressão, variações de humor, disfunções do sono e outros. Outras, no entanto, acostumam-se ao zumbido.

Inclusive, na década de 1990 foi desenvolvida a Terapia de Habituação do Zumbido, um tratamento longo, entre 18 e 24 meses, acompanhado de aconselhamento psicológico. Nele, o paciente se habitua a conviver com o som nos ouvidos, de modo a não percebê-lo.

Zumbido no ouvido e a mediunidade

Eliminadas as causas físicas do zumbido no ouvido, esse sintoma pode ser um indicativo de que a pessoa que o manifesta é desenvolvida espiritualmente. Ele pode ser um sinal ou uma comunicação do mundo espiritual, de um guia da alma, para alertá-la sobre algo. Normalmente, essa mensagem vem em forma de intuição. Contudo, ela pode chegar por meio de um som, permitindo uma conexão da alma com a dimensão espiritual e ligando o corpo físico ao eu superior.

Além disso, da mesma forma que nos conectamos por vários meios ao mundo espiritual, aos nossos mestres e guias, também eles podem, embora não muito comumente nas questões cotidianas, conectar-se a nós, ainda que momentaneamente. Nesse sentido, quando o zumbido de tom agudo ocorre no ouvido direito, significa um incentivo, um sinal de que a pessoa está no caminho adequado e deve segui-lo com confiança.

Mulher de roupa rosa meditando em um espaço da cor rosa
KoolShooters / Pexels

Entretanto, quando ele ocorre no ouvido esquerdo, é um aviso para que a pessoa esteja alerta, e essa conexão direta deve ser compreendida. Para isso, é apropriado se aquietar, contatar a natureza ou meditar, para, por meio da intuição e em outra frequência energética, entender a advertência amorosamente enviada do plano espiritual.

Segundo os espiritualistas, algumas pessoas mais sensíveis ou com maior esclarecimento espiritual podem ouvir ruídos sutis que transcendem a esfera física. E quanto mais desenvolvidas, mais aguçada se torna essa percepção e mais facilmente conseguem-se identificar as energias positivas ou negativas de um ambiente. Nesse sentido, algumas crenças e doutrinas atribuem a esse fenômeno o nome de clariaudiência, uma forma de mediunidade.

Entendendo a clariaudiência

A clariaudiência é um dom que algumas pessoas recebem em sua jornada de evolução espiritual. Inclusive alguns espíritas acreditam que ela seja a audição que transcende o plano físico para captar as vozes ou os sons do mundo dos espíritos. As pessoas com esse dom possuem, então, uma sensibilidade naturalmente aguçada e uma consciência espiritual elevada para ouvir frequências diferenciadas.

Aliás, essa capacidade de ouvir sons, ruídos, vozes e palavras não está relacionada à utilização física da audição pertencente aos cinco sentidos, uma vez que está ligada ao plano espiritual. Assim, a clariaudiência evidencia um médium ou alguém que de alguma forma já manifestou conexão anterior, mesmo inconscientemente. Além disso, essa capacidade ocorre como se a pessoa estivesse ouvindo diretamente da mente ou do cérebro.

Você também pode gostar

Segundo o espiritismo, a clariaudiência, ou audição espiritual, é própria dos médiuns audientes, que podem ouvir a voz dos espíritos de forma clara e inteligível, com possibilidade de manter diálogo. Numa sessão espírita de comunicação com espíritos de pessoas falecidas, por exemplo, enquanto alguns médiuns os veem, outros podem ouvi-los e conversar com eles.

Eles conseguem captar os sons que os espíritos emitem no ambiente, decodificá-los e compreendê-los, enquanto outras pessoas não conseguem sequer percebê-los.

Por fim, excluídas as causas físicas de enfermidades e disfunções que provocam o sintoma do zumbido no ouvido, ele pode ser, na visão espiritualista, confirmação ou alerta de guias espirituais ou seres de luz para conduzir as pessoas em suas ações na vida. Analogamente, os espiritistas o entendem como um sinal de mediunidade que permite a comunicação por meio de sons, ruídos e vozes com espíritos desencarnados e em corpo etéreo. Então, já conhecendo as interpretações sobre o assunto, cuide da sua audição, principalmente se estiver com zumbido no ouvido. Ouça o seu corpo. Busque sempre aperfeiçoamento espiritual. Principalmente, ouça o som do silêncio. Fique em paz!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br