Nutrição Saúde Integral

5 ervas que protegem contra alzheimer

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
O Alzheimer é uma doença que não tem cura, mas que, ao ser tratada, pode trazer qualidade de vida a quem sofre com esse mal. Sua aparição, na grande maioria dos casos, acomete os idosos. Muitas vezes, ela acaba sendo confundida com uma certa “caduquice”, justamente por atingir pessoas da terceira idade. Porém não é bem desse modo que as coisas funcionam… O Alzheimer é real e pode ser prevenido, inclusive com algumas ervas.

O poder das ervas já é conhecido há décadas, sendo que muitas enfermidades podem ser tratadas com diversos tipos de ervas. Até os dias atuais, uma boa parcela das pessoas utiliza tratamentos que levam as folhas como ingrediente principal e, com isso, obtêm bons resultados em suas experiências. Diante desse fato, especialistas da área de saúde estudaram e ainda continuam estudando o efeito das ervas em pacientes com Alzheimer, fazendo com que suas tentativas tenham sucesso e conquistem resultados relevantes. Confira algumas ervas que podem ser bastante úteis na prevenção do Alzheimer.

Alecrim 

Quando se trata de curas por meio de ervas, nosso país tem uma cultura conhecida até mesmo internacionalmente. Desde a antiguidade, diversas pessoas disseminaram essa prática, que perdura há décadas e continua forte até os dias de hoje. O uso do alecrim, por exemplo, desde a Idade Média já era aplicado como remédio na recuperação de dores musculares, tendinite, além de que também era utilizado como antisséptico e medicamento para o sistema respiratório contra resfriados, bronquite e tosses.

Em um experimento interessante (e recente), realizado com cerca de sessenta pessoas idosas, o alecrim foi protagonista absoluto. O estudo serviu para acompanhar a reação da memória após um tempo do uso da substância no corpo. Ao final do teste, os resultados foram bem positivos e hoje o alecrim é apontado como excelente item no cuidado contra as doenças que afetam a memória.

Hortelã 

Outra folhinha muito conhecida é a hortelã, bastante utilizada em cosméticos, na culinária e para fins medicinais, é claro. Suas propriedades são conhecidas por ajudar no alívio de cólicas, gripes, resfriados e gases, além de colaborar com a circulação da bílis. Para quem sofre com problemas estomacais, o chá de hortelã é a alternativa ideal após as refeições. Quando o assunto é memória, o ingrediente também tem as suas qualidades, já que é um forte estimulante e protetor do cérebro.

Ginkgo Biloba

De origem chinesa, o ginko biloba entra na categoria “pau pra toda obra”. Ele trata problemas no sistema circulatório, reduz cólicas menstruais, melhora as funções cerebrais e visuais e, além disso, contribui no tratamento contra doenças neurodegenerativas, além de outras disfunções, como a impotência sexual. Suas folhas têm uma composição riquíssima de terpenóides e flavonóides, substâncias antioxidantes e combatentes aos radicais livres. No caso do Alzheimer, o ginko biloba age interferindo nos mecanismos cerebrais devido ao aumento de oxigênio no local.

Gengibre 

Essa raiz proveniente da Ásia é uma das mais populares devido à sua capacidade de ser usada para diversos fins. Melhora os aparelhos digestivo, circulatório e respiratório, tem ação bactericida e desintoxicante, acelera o metabolismo, fazendo com que a perda de peso seja mais fácil, é anti-inflamatório, antimicrobiano e, ainda por cima, saboroso. O gengibre é uma iguaria muito comum em pratos do mundo todo por seu toque picante. Na Índia, circula a informação de que a raiz é um medicamento natural de grande eficácia quando se fala no mal de Alzheimer.

Chá Verde 

O chá verde é popular entre os que querem perder peso, porém sua composição cheia de vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e B2, manganês, ácido fólico e potássio fazem dele um componente interessante na luta contra outros transtornos.

Extraído da Camellia sinensis, uma erva com muitos brotos e folhas, suas benfeitorias mais conhecidas são: auxílio no tratamento do diabetes, proteção contra o câncer, benéfico para o coração, por ser uma fonte rica em antioxidantes, ajudando na oxidação do LDL (mau colesterol) e favorece a memória também.

Em estudos publicados pelo International Journal of Neuroscience, o chá verde vem sendo apontado como um preventivo do mal de Parkinson e do Alzheimer, pois, além de reduzir a acetilcolina (um dos fatores principais para o desenvolvimento do Alzheimer), também diminui o dano celular no cérebro, protegendo-o das placas beta-amilóides, o que diminui os riscos dessas doenças surgirem.


Escrito por Juliana Alves da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]