Autoconhecimento

9 Pecados dos relacionamentos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Muitos sonham com um relacionamento. É bom passar um fim de semana assistindo filmes e seriados abraçadinho com alguém especial. É bom ter alguém para esquentar nossos pés em noites frias. É ótimo sentir-se amado e desejado. É maravilhoso ter com quem dividir a vida.

Amar e ser correspondido é uma benção, quem consegue deve agradecer a Deus. Encontrar a “tampa da panela” faz bem a alma e o corpo agradece.
O psicólogo Ailton Amélio da Silva, doutor em psicologia e professor de Relacionamentos Amorosos e Comunicação na USP conta que o amor libera hormônios que nos deixa mais alegres e dispostos. Quer saber outros benefícios do amor?

  • Ficamos mais otimistas;
  • Ficamos mais solidários;
  • Nos sentimos mais bonitos;
  • Temos mais objetivos;
  • Nos preocupamos mais com a saúde: praticamos exercícios físicos, nos alimentamos bem e visitamos o médico regularmente;
  • Mais disposição para sair.

Estar apaixonado mexe com nossas emoções. A velha máxima que “o amor entra por uma porta, o juízo sai por outra” não é exagero. O amor aumenta a dopamina e diminui a serotonina, característica comum aos transtornos obsessivos. Quando estamos apaixonados, o circuito de recompensa do cérebro trabalha a todo vapor, enquanto o córtex pré-frontal quase para. O córtex pré-frontal é quem nos faz raciocinar e emitir julgamentos racionais. Portanto, o filósofo espanhol Ortega y Gasset não estava exagerando quando disse que o amor é “Um estado de imbecilidade transitório”. Para os menos radicais, vale a frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche: “Sempre há algo de loucura no amor, mas sempre há algo de razão na loucura”.

Pecados capitais

Amar não é sempre um mar de rosas. Viver junto é um enorme desafio. Banalidades do cotidiano, como toalha molhada em cima da cama, já é um estopim para o “engrossar o caldo”. Porém, a desorganização não é o único comportamento que pode colocar tudo a perder. Idealizar um relacionamento perfeito, igual às comédias românticas, traz muitas decepções. Vamos listar os maiores erros cometidos pelos casais. Você e seu amor se identificam com alguns deles?

Falha na comunicação

Chacrinha já dizia: “Quem não se comunica se trumbica”. Precisamos falar claramente sobre o que gostamos e o que desejamos mudar. Parece óbvio, mas muitos casais insistem em deixar as coisas nas entrelinhas, ou pior, valer-se de ironias. A famosa “DR” (discutir a relação) é vista como algo chato, porém, é extremamente importante para o sucesso da relação. Surgiu algum problema? Falem sobre ele, coloquem as cartas na mesa. Falhas na comunicação dão origem a outro problema.

Mágoa

Sufocar as emoções traz muita mágoa. Não dizer que não gostou das atitudes e palavras do parceiro fazem o outro remoer situações tristes. Demonstre suas insatisfações, diga o quanto machuca ser alvo de certas atitudes.  O ressentimento pode provocar desejos de vingança. Além de colocar a relação em zona de perigo, cultivar mágoas aumenta a pressão e acelera os batimentos cardíacos.

Ciúmes

Dizem que um pouquinho de ciúme esquenta o relacionamento. Entretanto, o sentimento pode ganhar ares patológicos. Cheirar a roupa, mexer no celular, fuçar redes sociais, tudo para ver se o parceiro está “andando na linha”. Algumas pessoas chegam ao ponto de colocar detetive, e até mesmo mudar sua rotina para seguir a pessoa amada. Quando ciúme vira doença, quem é alvo tem sua integridade física ameaçada.

Falta de interesse

shutterstock_301744247

Tem gente que depois da conquista relaxa, no pior sentido da palavra. Acredita que o jogo está ganho e não elogia, esquece datas especiais, não se arruma como antes. O outro tenta motivar o parceiro, mas é o mesmo que falar com uma pedra. Essa falta de interesse é uma bola de neve. Quem tenta salvar a relação pode se cansar de lutar. Nesse cansaço, a pessoa vê que não vale a pena insistir, coloca um ponto final e parte para outra.

Egoísmo

Você gosta de mandar? Saiba que um dia o parceiro vai se cansar e ir embora. Em um relacionamento saudável, os dois tomam decisões. O egoísmo, muitas vezes vem da infância, estimulado pelos pais que faziam todas as vontades da criança. Você realmente ama seu parceiro? Tente controlar seu autoritarismo ou corra o risco de vê-lo partir.

Falta de união

Muitos casais não são unidos e agem como num monólogo. Inacreditável, não é mesmo? Os dois precisam se comprometer, doar suas almas para fazer dar certo. Este compromisso inclui não fazer cobranças e não culpar o outro quando as coisas não vão bem. Deem as mãos e assumam um compromisso de amor e felicidade.

Falta de afeto

Outra coisa estranha, mas vivenciada por muitos casais. A correria do dia a dia não é desculpa para não ser carinhoso. Um abraço apertado alivia o estresse. Abraçar logo de manhã traz a força necessária para encarar o dia. Beijar também alivia o estresse, e ainda aumenta a imunidade. Casais que não demonstram carinho acabam caindo na…

Mesmice

Com o tempo, sair para jantar, ir ao cinema, viajar perdem espaço. Grana curta não é desculpa para não fazer programas a dois. Vocês podem criar um ambiente romântico em casa, com direito a luz de velas e flores, preparar um jantar gostoso e uma bela sobremesa. Assistir filmes na televisão ou no computador com direito a balde de pipoca. Fazer um bate-volta para uma cidade próxima e curtirem um piquenique. Quando o casal deixa de lado os programas a dois…

Sexo mais ou menos

A rotina faz isso. O sexo passa a ter hora marcada: aos finais de semana. É tudo insuportavelmente previsível, palavras, movimentos e tempo de duração. Se o casal não tomar uma atitude, o sexo mais ou menos pode chegar ao fim, e o casal viver um relacionamento celibatário. Quer motivos para não deixar chegar nesse ponto? O sexo alivia dores, inflamações, melhora o sono e ainda deixa a pele linda.

Será que existem erros comuns às mulheres e outros aos homens? Pior que sim. Quer saber as ciladas que cada gênero comete? Vamos listar alguns deles.

Mulheres
  • Insegurança: falta de autoestima é um veneno. As mulheres costumam ser críticas com a aparência. Faça uma autoanálise e descubra seus pontos positivos, intelectuais e físicos.
  • Carência: ligar/enviar mensagem a cada cinco minutos dizendo que ama pressiona o parceiro. Existem formas não verbais para declarar seus sentimentos.
  • Generalização: os homens não são todos iguais. Não é porque o seu ex maltratou você que será sempre a mesma coisa.
  • Fazer dramas: toalha em cima da cama é chato, mas não é o fim do mundo. Gente que chora o tempo todo é insuportável.
Homens
  • Egoísmo sexual: o corpo feminino possui um ritmo diferente. Elas precisam de conforto emocional e segurança para se entregarem ao sexo. Nem pense em pular as preliminares.
  • Insensibilidade: tão grave quanto fazer dramas. Homens, sabemos que vocês se comunicam de uma forma mais direta. Porém, não tratem suas parceiras como se fossem integrantes do time de futebol da firma. Jamais tirem sarro dos sentimentos delas.
  • Pensar que é super-homem: não gosta das atitudes dela, então fale. Não gostou do que ela falou, então fale. Está preocupado, pois acha que pode perder o emprego? Então, fale. Homem que é homem demonstra suas preocupações, medos e tristezas.
  • Agir como filho: alguns homens veem na mulher a extensão da mãe. A mulher obriga o parceiro a comer frutas e legumes, dentre outras atitudes maternas. É um comportamento perigoso, pois, a infantilização acaba com a autoestima de ambos.

Vida a dois realmente não é fácil. Todo casal está exposto a esses problemas. Às vezes, a loucura do dia a dia nos abala. Porém, vocês não devem se conformar porque a relação está esfriando. A convivência é uma planta que deve ser regada e receber vitaminas para dar frutos. A construção é diária, dá um pouco de trabalho, mas, o esforço vale a pena. Quer saber como fortalecer seu relacionamento? A ciência tem algumas dicas curiosas.

Seja grato

Ter um amor correspondido é uma benção. Agradeça a chance de ter encontrado “a metade da laranja”. Agradecer pelas suas conquistas e realizações é reconhecer os propósitos de Deus. E de acordo com a ciência, dormir bem ajuda a ter mais gratidão.

Durma bem

Os insones costumam ter crises de mau humor. Eles apresentam comportamento egoísta e são impacientes. Não conseguem reconhecer as delicadezas do parceiro. Uma pesquisa realizada na Universidade da Califórnia com 60 casais comprova isso. Os parceiros com dificuldades para dormir tinham que apontar cinco atitudes positivas do outro. Os insones tiveram problemas em desempenhar a tarefa.

Acredite no amor

Acreditar é o primeiro passo para dar certo. Casais que mantém a vontade de fazer tudo um pelo outro são mais satisfeitos e brigam menos. Desistir na primeira crise é um ato de covardia.

Discuta

Já falamos que sufocar as emoções é prejudicial. A Universidade de Auckland (Nova Zelândia) fez uma pesquisa inusitada. O marido concordava com tudo que a mulher dissesse, mas ela sabia que participava de um estudo. O homem aguentou por 12 dias. A qualidade de vida dele caiu bastante, porque ele recebia críticas e a via como uma “chata de galocha”. Ainda nesse quesito, cuidado com os pronomes que você usa. Quem fala “nós” e “nosso” se desgasta menos durante as brigas.

É homem?

Se relacione com uma mulher mais bonita que você. Isso é tiro e queda, segundo estudo realizado na Universidade do Tennessee (Estados Unidos).

As dicas científicas são boas, exceto a última… Deixando a ciência de lado, algumas dicas não precisam ser estudadas pelos cientistas. Quer se redimir dos erros cometidos em seu relacionamento? Dê uma olhadinha nesses conselhos.

Para serem apaixonados sempre
  • Não critique, corrija, nem dê broncas em público, tipo a Ivete Sangalo;
  • Tenham planos em comum, aprender tocar violão, cozinhar, comprar um apartamento…;
  • Elogiem-se sempre;
  • Deem risadas de vocês mesmos ;
  • Converse com seu parceiro sobre tudo, a troca de ideias é muito estimulante. Nas conversas, você descobrirá coisas interessantíssimas sobre o amado;
  • Ciúmes é bom, mas cuidado com o exagero! Nada de mexer no celular e demais objetos pessoais. Respeite a individualidade do outro;
  • Faça planos e divida responsabilidades. O sucesso e o fracasso de uma relação dependem dos dois;
  • Mantenham a chama acesa. Abracem, beijem e façam sexo. Namorar deixa o relacionamento mais forte, eleva a autoestima, aumenta a criatividade e faz bem ao coração.

Muita gente quer um relacionamento. Porém, é preciso assumir as responsabilidades. E elas são intermináveis. O egoísmo é a porta de entrada dos erros que matam uma relação. Para os egoístas, a voz do outro não importa, suas vontades prevalecem e o amor é um jogo onde existe apenas um vencedor. No amor não tem o “eu”, e sim “nós”. Ambos são responsáveis pela harmonia e o descompasso. Parceiros autoritários precisam da passividade do outro para existirem.

Faça um raio X da sua relação. Quais os erros que você comete? Quais os erros que ele comete? Que tal chamar o parceiro para uma conversa? Coloquem as cartas na mesa, mas, sem acusações. Sabe o ditado “conversando a gente se entende”? Ele é a mais pura verdade. Reconhecer e falar sobre os problemas é o primeiro passo para resolvê-los. Caso a conversa não seja suficiente, o casal pode partir para uma terapia. É aconselhável uma sessão por semana, com duração de 50 minutos. Casais em crise intensa podem fazer duas sessões semanais.

É bom esclarecer que o psicólogo não vai dar uma fórmula e sim mediar o diálogo. A terapia ajuda o casal a:

  • Ter uma comunicação eficaz;
  • Desenvolver senso de responsabilidade;
  • Respeitar as diferenças;
  • Compreender as necessidades do outro, incluindo as sexuais;
  • Estabelecer estratégias para resolver conflitos;
  • Reconhecer objetivos em comum;
  • Superar uma traição.

Está nas mãos do casal resolver seus problemas. Lutem para superar as crises e vivam a plenitude do amor saudável. Todos nós cometemos pecados, porém, pecado maior é não fazer nada para se redimir. Arregace as mangas e enfrente o desafio que é ressuscitar seu relacionamento. Não deixe que o pecado do comodismo mate a virtuosidade do amor.


Texto escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]