Convivendo

A era da cizânia ou da ignorância. Afinal, o que estamos vivendo?

Pessoas sentadas usando celular e computador felizes
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A disseminação da internet por todo o mundo teve como principal consequência o aumento do acesso à informação e a democratização do conhecimento. Por meio de sites e redes sociais as pessoas podem se conectar com o resto do mundo, conversar com familiares e amigos distantes e aprender o que quiserem sobre os mais variados temas e assuntos. No entanto, essa enxurrada de informações também trouxe ônus para a sociedade mundial, como a exaustão pelo contato excessivo com imagens, vídeos e textos, e a disseminação de fake news (notícias falsas).

Mãos mexendo em celular

Sem a possibilidade de conferir a credibilidade das informações que são propagadas de forma rápida, as pessoas ficam reféns de imagens e vídeos que, muitas vezes, podem ser mentirosos. O desejo por cada vez mais conteúdos dificulta a seleção e a classificação das mensagens e das postagens, fazendo o cérebro entender que toda informação é importante, ou que nenhuma informação é importante. Nos dois casos, o efeito imediato será a dificuldade de se concentrar, de pensar calmamente sobre um assunto e de tomar decisões relevantes para a própria vida.

Menina sentada na cama mexendo em celular em suas mãos segurando na altura do rosto

Se à primeira vista pareceria que o acúmulo de informações torna as pessoas cada vez mais conectadas e antenadas, a realidade é que elas ficam mais estressadas e perdem mais tempo com questões sem importância. Discussões sem profundidade e sem objetivo são cada vez mais comuns em redes sociais, assim como o crescente número de haters e de discursos de ódio sendo compartilhados por eles. Um exemplo dessa situação é a eleição de líderes despreparados e a série de brigas na internet para defender um ou outro. A essência da comunicação é perdida em meio a diferentes pontos de vista que não são ouvidos por nenhuma pessoa da discussão.

Mãos de mulher segurando celular na altura do peito

A partir desses pontos, uma conclusão possível é a de que o excesso de informações e o mal-uso delas tem tornado as pessoas mais ignorantes, indispostas para ouvir e ver as questões que realmente importam e acrescentam algo às suas vidas. A era da cizânia, na qual as pessoas se mostram cada vez mais agressivas e estressadas, impede que a população evolua de forma unida e consciente, com a capacidade de analisar criticamente todo o conteúdo ao qual tem acesso.


Você pode se interessar também: Você precisa se libertar dessas coisas para ser feliz

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]