Autoconhecimento

A mente aquisitiva

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já ouviu falar em mente aquisitiva? Todo ser humano tem dentro de si um pedaço do pensamento aquisitivo. É normal que queiramos ter crescimento pessoal, adquirir coisas e pensar em nós mesmos. Entretanto, a mente aquisitiva se caracteriza por pessoas que, por mais que convivam bem em grupo, facilmente deixam de lado quaisquer situação de cooperação, a fim de se beneficiar e ter tudo para si.

Infelizmente, nossa criação no mundo ocidental nos faz muito individualistas e egoístas. Ao longo de nossas vidas, temos diversas situações em que devemos cultivar a vivência em grupo, porém, em muitas outras, é fácil perceber o quanto as pessoas podem agir de uma maneira egoísta, sem pensar no próximo.

Intenção

O comportamento gerado pela mente aquisitiva faz com que se deseje ter o poder do outro, se comportar como o outro e tirar algo deste outro, simplesmente para tomar para si.

Por exemplo, o pensamento aquisitivo faz com que, no ambiente de trabalho, alguém almeje a posição alheia e seja capaz até mesmo de criar estratégias para tirar o outro do cargo, a fim de se candidatar.

Do mesmo modo, o indivíduo que pensa assim finge ser o que não é, para conseguir certas coisas. Não se importa com autenticidade, nem mesmo com o sofrimento alheio, apenas quer e fará de tudo para conquistar o objetivo.

No budismo

No budismo, a mente aquisitiva é vista como aquela em que o desejo espiritual é transpassado para o desejo material. Ou seja, deseja-se ser como um santo, ter as habilidades de Buda ou praticar meditação, para atingir um estado desejado.

Segundo as leis espirituais, o “querer” apenas leva a uma ilusão, leva à necessidade de materializar tudo para ter, adquirir e ambicionar mais.

Efeitos

Os principais feitos da mente aquisitiva são: banir caminhos autênticos pela busca de algo e desvalorizar a conquista.

Quando se luta por algo apenas pensando em seus resultados, ignorando seu caminho e experiências que terá de viver, a trajetória se torna menos valiosa. Quando trilhamos com os olhos fechados para nossas companhias, acertos e erros, críticas e aprendizados, deixamos de crescer com as oportunidades da vida em prol de um resultado final.

Neste sentido, a conquista perde seu valor, apenas se adquire o material. Os passos tomados nada fazem crescer ou aprender, e então a bagagem, que se poderia adquirir, mesmo que de forma mais gradual e paciente, é abandonada por um título, um objeto ou qualquer outra aquisição que, na verdade, não tem grande valor.

Cuidados

Devemos nos cuidar para que esse sentimento aquisitivo não ultrapasse nossos valores. Principalmente na sociedade moderna, o consumo e as aquisições supérfluas são muito incentivados e, muitas vezes, mesmo que de forma inconsciente, tornamos a mente aquisitiva parte de nosso comportamento diário, o que traz apenas perdas e desgaste para o corpo e mente.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]