Convivendo

Ansiedade: respeite e ajude

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ao procurar o termo “ansiedade” no dicionário, diversos significados aparecem. Porém, todos seguem a mesma linha: aflição, angústia, incertezas, medo do perigo, entre outros. Quando alguém sofre de muita ansiedade, todos esses significados viram realidade, o que impede a pessoa de agir e de viver feliz.

É muito complicado viver com ansiedade, até porque esse transtorno pode influenciar diretamente para que outros apareçam, como os alimentares ou as mudanças repentinas de humor, por exemplo.

A ansiedade pode fazer com que a pessoa sofra muito de diversas formas, em diferentes níveis de intensidade e em todos os aspectos da vida.

Se você vive próximo a alguém que sofre de ansiedade, como seu parceiro, algum amigo próximo ou parente, é preciso saber lidar com isso, além de tentar ajudar a pessoa a melhorar.

Lembre-se de que a ansiedade o afeta de forma física, mental e emocional. Comer pouco demais ou em excesso é uma causa da ansiedade, é como se o cérebro estivesse buscando abrigo por meio do alimento, principalmente os ricos em açúcar (no caso de comer em excesso). Com alimentação errada, o corpo da pessoa muda drasticamente, o que pode afetá-la emocionalmente.

Além disso, alimentar-se mal causa sérios danos ao organismo, desde dores de cabeça, gastrite, insônia e tonturas até problemas mais sérios, como obesidade que, em muitos casos, também traz outros problemas de saúde.

Ter depressão também é comum para as pessoas ansiosas. Afinal, imagine não conseguir controlar seus pensamentos para que você fique calmo e tranquilo. É viver sempre estressado, preocupado, aflito e angustiado.

Inclusive, depressão e ansiedade formam uma combinação muito perigosa para o corpo humano. Tentar controlar as emoções que cada doença gera é muito difícil para uma pessoa, pois são dois extremos – enquanto a ansiedade acelera, a depressão estaciona alguém.

Ajude: para ajudar, tente sempre ter uma palavra reconfortante. Diga que a pessoa não está sozinha e que você ajudará de todas as formas que puder. É muito importante que a pessoa sinta que tem apoio e que não foi deixada de lado pelas pessoas que ama.

Dê seu ombro amigo para a pessoa quando ela precisar. Pode parecer pouco, mas não é. Muitas vezes, alguém com depressão e ansiedade precisa apenas se sentir seguro para se sentir melhor. E nada melhor do que a companhia de alguém amado.

Ter uma companhia é muito importante. Mas é preciso entender que ter um tempo sozinho também é necessário. Pense o quanto é estressante toda a disputa de sensações e sentimentos. O quanto isso cansa e desgasta. Então, se seu parceiro com ansiedade te pedir para ficar sozinho, respeite e aceite.

Querer ficar sozinho significa que ele precisa relaxar no silêncio ou fazendo o que achar necessário para se acalmar e afastar os sentimentos ruins. Da forma dele, do jeito dele e no tempo dele. Pense bem. Às vezes, todo mundo, mesmo pessoas sem ansiedade, precisam de um tempo a sós, seja para fazer alguma coisa ou não fazer nada. É normal.

Por isso, lembre-se de ser capaz de ouvir tudo o que ele tem a dizer – seja ele o seu parceiro, seu amigo, seu pai, filho ou qualquer pessoa querida. Seja capaz de ouvir o que ele quer dizer, de respeitar o que ele quer e de ajudá-lo de outras formas quando ele pedir seu auxílio.

Outra coisa que pode ajudar muito é você tornar o ambiente relaxante e seguro. Música de meditação, luz natural e sons leves da natureza (como chuva ou pássaros cantando) tornam o ambiente mais calmo. Você pode, também, oferecer massagem, carinho e abraços para transmitir segurança.

De qualquer forma, lembre-se de que os principais são respeito e amor. Alie-se a isso para ter paciência e força para ajudar quem precisa da forma necessária.


Texto escrito por Giovanna Frugis da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]