Autoconhecimento Convivendo Energia em Equilíbrio

Até que ponto a sorte é importante?

Será que existe algo controlando os eventos positivos ou negativos que acontecem em nossas vidas? Será que há um Deus guiando todos os nossos passos frente ao que é considerado sorte ou azar? Pois bem. Essas são perguntas que dificilmente terão uma resposta concreta devido a sua profundidade, que vai além de estudos científicos e metafísicos.

Assunto mais que comentado na roda de amigos, a especulação a respeito desse enigma é algo que faz parte do cotidiano. Quem nunca apontou alguém como um “sujeito de sorte”? Poxa! Meu vizinho tem uma vida maravilhosa, um relacionamento sensacional e uma casa de dar inveja em todo mundo. Que sorte! Mas até que ponto tudo isso é uma questão de ser sortudo?

De acordo com o dicionário, sorte significa destino, fado ou um acontecimento casual. Para a filosofia, ela é um fenômeno que não se pode explicar e muito menos prever. Portanto, são diversos fatores que rondam esse verdadeiro mistério.

Estamos acostumados a desejar boa sorte a alguém por uma mera força do hábito, pois, se aquela pessoa não faz por merecer, esse discurso talvez seja irrelevante. Um dos maiores inventores da humanidade, Thomas Edison, disse: “Boa sorte é o que acontece quando a oportunidade encontra o planejamento”. Dito isso, é necessário atenção no que estamos plantando. Não adianta nada querer colher batatas se a sua plantação for de cebolas.

Tudo começa a conspirar a nosso favor quando mudamos crenças e hábitos da cabeça e da rotina. É impossível se obter resultados diferentes quando se age do mesmo jeito todos os dias, já dizia Albert Einstein. Se espelhar nesses grandes homens da ciência já é um grande passo também. Rituais, simpatias ou coisas do gênero só funcionarão se, dentro de você, os sentimentos estiverem em harmonia.

Você também pode gostar

O universo é regido por leis espirituais e uma delas (muito importante), a lei da atração, é clara ao dizer que atraímos tudo aquilo que queremos. Porém, por mais simples que possa parecer, não é. Não basta apenas desejar e obter, é preciso sentir de verdade, emanar o bem ao universo para que ele retribua com o mesmo. E com a sorte não é diferente, tem que dar uma mãozinha muito maior que usar um trevo de quatro folhas como amuleto. Reveja suas atitudes, seus pensamentos e ações para que as energias positivas possam fluir em seu caminho. Talvez, o que impede os seus projetos, planos e sonhos seja a maneira como você age e fala. Se organize, repense, refaça, se preciso, mas não culpe a sorte por não o ajudar; ela precisa ser semeada.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br