Autoconhecimento

O que a ciência está falando da hipnose?

José Carlos Oliveira

A Hipnose ao longo dos anos teve boa parte de sua fama extraída de desenhos animados, onde alguém sempre balançava um daqueles antigos reloginhos de bolso com um cordão para hipnotizar alguém. Então esta era a fama da hipnose: um truque de desenho animado.

Mas isso mudou, drasticamente, e para melhor.

No ano de 1997 – apenas 18 anos atrás – o pesquisador Henry Szechtman liderou um experimento científico que visava causar propositalmente uma alucinação auditiva. Neste experimento, Szechtman fez com que as oito pessoas que estavam sendo testadas afirmassem que tinham ouvido um som que tinha sido previamente tocado, mesmo quando este som não havia sido tocado. Ele conseguiu provar que é possível programar o cérebro diretamente para interpretar algum tipo de ordem ou comando usando certas técnicas.

Deste então, a Hipnose vem ganhando uma forte atenção da Neurociência e de renomados profissionais da Medicina Moderna, como neurologistas¹ e chefes do Conselho Federal de Medicina² e hoje, nós já temos inclusive um Instituto Brasileiro de Hipnologia³ o que gerou mais credibilidade e confiança nos primeiros pacientes que se submeteram a este tipo de tratamento.

Ok! Mas o que a hipnose pode fazer na prática para ajudar?

Muitas coisas. A ciência já vem estudando intensivamente o uso da Hipnose em diversas áreas da nossa vida, mas ao menos concluiu e comprovou que esta ferramenta pode:

  • diminuir e neutralizar a dor física (inclusive em partos);
  • diminuir e curar a depressão;
  • diminuir e curar a ansiedade;
  • diminuir e curar traumas, medos e fobias;
  • melhorar a autoestima;
  • melhorar sua concentração;
  • remover distúrbios emocionais;
  • melhorar as noites de sono;
  • ajudar você a emagrecer (mais rápido do que o normal);
  • diminuir e remover o estresse;
  • diminuir e remover frustrações;
  • remover vícios com drogas, álcool, cigarros etc.

E estes são apenas alguns pontos em que a Hipnose pode melhorar a vida de uma pessoa porque existem mais de 60 maneiras diferentes no qual essa metodologia de tratamento pode ser aplicada em pacientes hoje. É uma das melhores opções para remover limitações mentais e curar bloqueios emocionais de forma permanente.

A Hipnose também tem ganhado terreno na Ciência forense/criminalística, pois ela tem ajudado as autoridades a extraírem confissões dos suspeitos com uma facilidade bem maior, já que é possível ter um acesso amplo e mais direto à memória de alguém através de um transe hipnótico. Isso permite com que seja feito avaliações únicas do que uma pessoa realmente sabe, pois envolve o seu inconsciente também no processo.

E como eu disse, isso é apenas o começo.

O princípio-chave da hipnose e as cinco portas de percepção

O princípio-chave da Hipnose é o ponto de partida quer permite que uma pessoa seja hipnotizada. É o que precisa acontecer primeiro para que seja possível levar alguém a um estado de transe hipnótico. Esta regra é bem simples, e se resume ao que mostro logo abaixo:

Você deve prender a atenção do indivíduo enquanto aumenta o seu grau de inibição. Resumidamente, em termos mais científicos você precisa:

  • Suprimir o sistema límbico – responsável pelas emoções e comportamentos sociais;
  • Estimular o neocortéx – responsável por funções sensoriais e movimentos voluntários.

Uma vez feito isso você deve aplicar as técnicas de hipnotização, trabalhando com uma das cinco portas de percepção. Estas cinco portas são os métodos mais usados hoje por diversos profissionais da Hipnoterapia, Medicina, Psicoterapia e outras áreas da Ciência, e são listados abaixo:

  • Confusão – Método voltado para conseguir entrar na mente de pessoas mais resistentes, e consiste em iludir o paciente com atos incomuns. Um abraço que se prolonga e vira uma espécie de massagem seria um exemplo de confusão, pois o cérebro estava esperando um abraço do hipnotizador devido às experiências passadas.
  • Choque – Método focado em simular uma hipnose comum. Um exemplo seria passar as mãos na cabeça de uma pessoa e então de repente, o hipnotizador faz um gesto brusco, jogando a cabeça do indivíduo para trás enquanto ao mesmo tempo grita “Durma!”;
  • Desequilíbrio – Este método foca em fazer o indivíduo permanecer em uma posição onde é muito difícil se manter em pé. Ao mesmo tempo, o hipnotizador pede para que o indivíduo se concentre em seus braços e pernas, forçando a pessoa a buscar um próximo comando do hipnotizador, prendendo assim sua atenção;
  • Fixação de olhos – O método mais popular de todos graças ao famoso reloginho de bolso. Consiste em fazer a pessoa olhar fixamente para um ponto/objeto para prevenir distrações e ficar mais fácil de programar a sua mente;
  • Narrativa – Este método foca em pedir ao indivíduo que ele relaxe cada membro do corpo para depois o fazer imaginar uma história. É isto que é necessário executar para começar a hipnotizar uma pessoa na prática e sem isso, não existe hipnose. Porém, isso não é o suficiente porque fora estes pontos acima, também é necessário que o profissional domine sua linguagem corporal, sua forma de fazer contato visual e o seu tom de voz na hora de hipnotizar, para que seja possível influenciar a pessoa.

São todos estes pontos muito bem executados em conjunto que faz toda a diferença.

A explosão de sucesso do tratamento de hipnose no mercado

shutterstock_307284389

Depois de a Hipnose ter tido seu potencial médico e terapêutico comprovado pela ciência, com diversas pesquisas apresentando os mesmos resultados e validando seus métodos de tratamento, muitos profissionais do exterior e do Brasil começaram a incorporar a Hipnose no dia a dia de seus pacientes. Como resultado, a Hipnose teve incontáveis relatos de sucesso divulgados em uma velocidade assustadora, e muitos deles foram parar na mídia. Isso deu um pouco de combustível para até mesmo triplicar o número de tratamentos no Brasil em pouco tempo.

A Hipnose já ultrapassou outros tratamentos. Pessoas estão escolhendo este método ao invés daqueles que envolviam um maior uso de remédios, intervenções médicas mais agressivas e períodos mais longos de tratamento.

Por trabalhar diretamente com a mente, as abordagens via Hipnose podem realmente trazer resultados sólidos e permanentes em semanas, ao invés de meses (e até anos) de tratamentos convencionais. E as pessoas começaram a perceber e experimentar isso. Então relatos sobre tratamentos usando essa ferramenta se espalharam pela internet, fazendo ela ter uma fama completamente diferente da que tinha há 15 anos atrás.

E hoje, ela já ajudou milhões de pessoas a se curarem de diversos problemas em tempo recorde. E novos avanços tem aparecido, prometendo coisas ainda melhores para o futuro. Menos remédios, menos tempo de tratamento. Menos problemas e mais qualidade de vida. E então? Te convenci sobre os efeitos e as vantagens da Hipnose?

Sobre o autor

José Carlos Oliveira

José Carlos Oliveira

Psicoterapeuta há 31 anos, cursou graduação em Psicologia e Psicanálise, é autor de duas obras literárias: "É Possível, Eu sou Capaz", 234pgs - Editora Formato Livre; e "O Semeador de Metáforas" 308 pgs - Editora Formato Livre.

Especialista em tratamento com Psicoterapia Focal, utilização de abordagens com Hipnose Ericksoniana e Clássica, Neurolinguística, Linha do Tempo (Timeline), Regressão Etária Hipnótica para disfunções mentais e emocionais, Regressão de memórias Intrauterina.

Possui três trabalhos em áudio publicados pela Editora Qualidade de Vida do Grupo DOMO: "Libere Seu Potencial", "Emagreça com Saúde" e "Conquiste seu Peso Ideal".

José Carlos Oliveira possui Registro CRT 31.547/SP em Psicoterapia Holística e atende presencial e pelo Skype.

ATENDIMENTO EM PSICOTERAPIA
(16) 32410745 - (16) 996348754
Skype: atendimento.psi

Contato:
Site: jcoliveirapsi.com.br
Facebook: Psicoterapia Online
Youtube: JC Oliveira - Psicoterapeuta
Email: [email protected] | E-mail pessoal: [email protected]