Convivendo

Autismo: conheça a importância de uma alimentação equilibrada

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Oautismo já aparece nos primeiros três anos da criança, onde ela desenvolve um transtorno que compromete as habilidades de comunicação e interação social. Além de os pais procurarem ajuda psicológica e médica, é importante ter um cuidado especial com a alimentação.

Ainda não se sabe exatamente as causas do autismo, mas estudos têm mostrado que a genética e um conjunto de agentes externos podem ocasionar o autismo. Esse transtorno ainda não tem cura e pesquisas têm evidenciado que uma alimentação sem glúten pode ajudar a amenizar o autismo. Confira alguns cuidados em relação à alimentação para autistas.

Cuidados especiais

shutterstock_246342532-2 Em um  primeiro momento, os autistas precisam ter uma alimentação regular e ter uma isenção de caseína, glúten e soja, pois estes alimentos podem promover alterações cerebrais. Eles também são muito resistentes à introdução de novos alimentos no cardápio.

Desde 1995 a partir de uma pesquisa, pais de crianças com autismo notaram uma diferença quando começaram a incorporar uma dieta nutricional no cardápio de seus filhos. Estes relataram melhoras em relação à linguagem e ao comportamento.

Se as crianças autistas ingerem glúten e caseína é notável a mudança de comportamento, pois estas ficam mais agressivas, tem perturbações gastrointestinais, além de alergias.

O que os autistas devem comer?
  • Muitas frutas, verduras e hortaliças que são ricas em antioxidantes;
  • Alimentos que são ricos em Ômega 3 como salmão, avelã, sementes de abóbora, linhaça;
  • Comer ovos caipiras;
  • Comer carnes, peixes e aves domésticas;
  • Utilizar cebola e alho no preparo dos pratos, pois estes têm propriedades imunoestimulantes;
  • Utilizar óleo de oliva.
O que os autistas não devem comer?
  • Soja;
  • Alimentos industrializados como salgadinhos, comidas prontas;
  • Alimentos com trigo, cevada, centeio e aveia;
  • Leite e seus derivados;
  • Alimentos com corantes;
  • Tomar refrigerantes;
  • Comer muitos doces.
Quais os principais cuidados em relação à alimentação?

Como os autistas são muito resistentes a mudanças é importante estabelecer uma rotina de cardápio e um tempo razoável para ele se alimentar. É preciso também disciplina e paciência em não deixar de incluir alimentos importantes e nutricionais em sua dieta.

Especialistas alertam que uma alimentação equilibrada é fundamental para a melhora de quem possui autismo. Aliado a isso, terapias comportamentais, amor, paciência e muita dedicação.

Para saber mais:
Livro: “Austimo: Esperança pela nutrição de Claudia Marcelino.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]