Convivendo Nutrição

Autismo: conheça a importância de uma alimentação equilibrada

Menino autista resolvendo quebra-cabeça lógico
OlesiaBilkei / 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O autismo já aparece nos primeiros três anos da criança, onde ela desenvolve um transtorno que compromete as habilidades de comunicação e interação social. Além de os pais procurarem ajuda psicológica e médica, é importante ter um cuidado especial com a alimentação.

Ainda não se sabe exatamente as causas do autismo, mas estudos têm mostrado que a genética e um conjunto de agentes externos podem ocasionar o autismo. Esse transtorno ainda não tem cura e pesquisas têm evidenciado que uma alimentação sem glúten pode ajudar a amenizar o autismo. Confira alguns cuidados em relação à alimentação para autistas.

Cuidados especiais

Em um  primeiro momento, os autistas precisam ter uma alimentação regular e ter uma isenção de caseína, glúten e soja, pois estes alimentos podem promover alterações cerebrais. Eles também são muito resistentes à introdução de novos alimentos no cardápio.

Desde 1995 a partir de uma pesquisa, pais de crianças com autismo notaram uma diferença quando começaram a incorporar uma dieta nutricional no cardápio de seus filhos. Estes relataram melhoras em relação à linguagem e ao comportamento.

Menina autista sentada na mesa comendo com os pais.
rodnaeproductions / pexels

Se as crianças autistas ingerem glúten e caseína é notável a mudança de comportamento, pois estas ficam mais agressivas, tem perturbações gastrointestinais, além de alergias.

O que os autistas devem comer?

  • Muitas frutas, verduras e hortaliças que são ricas em antioxidantes;
  • Alimentos que são ricos em Ômega 3 como salmão, avelã, sementes de abóbora, linhaça;
  • Comer ovos caipiras;
  • Comer carnes, peixes e aves domésticas;
  • Utilizar cebola e alho no preparo dos pratos, pois estes têm propriedades imunoestimulantes;
  • Utilizar óleo de oliva.

O que os autistas não devem comer?

  • Soja;
  • Alimentos industrializados como salgadinhos, comidas prontas;
  • Alimentos com trigo, cevada, centeio e aveia;
  • Leite e seus derivados;
  • Alimentos com corantes;
  • Tomar refrigerantes;
  • Comer muitos doces.

Quais os principais cuidados em relação à alimentação?

Como os autistas são muito resistentes a mudanças é importante estabelecer uma rotina de cardápio e um tempo razoável para ele se alimentar. É preciso também disciplina e paciência em não deixar de incluir alimentos importantes e nutricionais em sua dieta.

Você também pode gostar

Especialistas alertam que uma alimentação equilibrada é fundamental para a melhora de quem possui autismo. Aliado a isso, terapias comportamentais, amor, paciência e muita dedicação.

Para saber mais:
Livro: “Austimo: Esperança pela nutrição de Claudia Marcelino.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]