Nutrição Saúde Integral

Chocolate saudável existe? Aprenda a consumir esse docinho da forma correta!

Para alguns, um grande vilão; para outros, sinônimo de prazer. Estamos falando, é claro, do chocolate, esse doce que faz parte da vida de todos, para o bem e para o mal. Afinal de contas, chocolate faz bem ou faz mal à saúde? É isso o que vamos explicar neste artigo! Confira!

Uma breve história do chocolate

Muitas pessoas não sabem, mas o chocolate é natural da América Latina, mais precisamente do México. As primeiras plantações de cacau do mundo foram encontradas lá e datam de mais de 4.000 anos. Elas foram obra dos olmecas, uma das primeiras civilizações do continente, a primeira a transformar cacau em chocolate.

Historiadores chegaram à conclusão de que, para essa civilização, o chocolate era ingerido como uma bebida durante a cerimônia do cacau; além de remédio, portanto, era o cacau sagrado. Séculos mais tarde, os maias, também na mesma região, fabricaram chocolate e o chamaram de bebida dos deuses.

Sementes de cacau.
JanPietruszka de Getty Images Pro / Canva

Foram os maias os responsáveis pela invenção do nome que usamos até hoje, porque a bebida deles se chamava “xocolatl”, que significava “água amarga”. Já os astecas, outra civilização da região, usava grãos de cacau como moeda de troca, pois acreditavam que eram presentes do deus Quetzalcoatl.

Estima-se que foi no ano de 1528 que o explorador espanhol Hernán Cortés levou o chocolate do território latino-americano para a Espanha. Foi somente nesse país que começaram a adicionar açúcar ou mel na bebida, pois o cacau é naturalmente bastante amargo.

Rapidamente, então, a bebida começou a ficar popular entre os ricos espanhóis e, em seguida, entre os nobres de toda a Europa. Dessa forma, a receita desse momento em diante foi sendo trabalhada para chegar ao que hoje conhecemos como chocolate.

Por que chocolate pode fazer mal?

Antes de mais nada, é preciso explicar que comer chocolate não faz mal à saúde. Os problemas no consumo são dois: comer em grande quantidade e o modo como ele é fabricado, com adicionais que deixam o produto pouco saudável. Vamos, entretanto, entender com mais detalhes!

Os principais vilões no chocolate são o açúcar e a gordura, que podem torná-lo bastante calórico. Consumir uma barra de chocolate de tamanho padrão diariamente, por exemplo, pode fazer uma pessoa ganhar de dois a quatro quilos, dependendo do metabolismo dela.

O consumo exagerado e em grande quantidade pode causar problemas instantâneos, como sobrecarga do fígado, náuseas, enjoos, refluxo gastresofágico, intoxicação alimentar e gastrite. Em dias mais quentes e nas crianças, esses problemas costumam ser mais fortes.

Uma criança com os dedos sujos de chocolate.
yula de Getty Images / Canva

Além desses problemas imediatos, o consumo exagerado de chocolate pode causar problemas a longo prazo. O principal deles é que, como tem muito açúcar, o chocolate contribui para o desenvolvimento da resistência insulínica, que causa o pré-diabetes e, em seguida, o diabetes.

Nessa doença, o excesso de açúcar no sangue pode afetar os olhos, os rins, os nervos, o coração e os vasos sanguíneos, entre outras consequências bastante negativas.

A gordura, por sua vez, tem três principais consequências bastante negativas. Ela aumenta o LDL, conhecido como colesterol ruim, e reduz o HDL, conhecido como colesterol bom. Além disso, ela eleva os triglicerídeos. Esses três problemas causam situações como aterosclerose (entupimento das artérias), AVC, ataque cardíaco, entre outros.

Mas fique tranquilo, caro chocólatra, porque o chocolate não precisa ser completamente eliminado do seu dia a dia! Em determinada quantidade e de determinados tipos, o chocolate pode trazer benefícios para a nossa vida. Está duvidando? Confira!

Quais são os benefícios do chocolate?

Como explicado no tópico anterior, o problema não está no consumo do chocolate em si, mas na quantidade e na qualidade do produto ingerido. Segundo especialistas, 25 g de chocolate ao dia fazem bem para a saúde, por causa das propriedades do cacau. Então, quanto maior a porcentagem de cacau, mais saudável!

Além disso, o cacau tem bioativos com ação antioxidante, que ajudam a reduzir a oxidação das partículas do LDL, o colesterol ruim e, por ter catequinas, ele é considerado cardioprotetor, por reduzir a pressão arterial e inibir a captação do colesterol ruim.

Ainda como pontos positivos, o chocolate tem ação anti-inflamatória e seus polifenois têm ação cognitiva e estimulante, liberando neurotransmissores.

ATENÇÃO: todos esses benefícios, como será detalhado no tópico a seguir, são exclusividade dos chocolates que tenham ao menos 60% de cacau, ou seja, os chamados amargos.

Tipos de chocolate

Muita gente acha que todos os tipos diferentes de chocolate compartilham os mesmos benefícios e malefícios, mas não é verdade. Portanto, cada um deles tem seus pontos negativos e positivos, que serão explorados a seguir:

Chocolate branco

Tabletes de chocolate branco.
caja de pixabay / Canva

É o que tem mais malefícios, portanto é o mais nocivo à saúde. Isso acontece porque ele é o que tem mais gordura e pouco ou nenhuma massa de cacau, pois é feito com manteiga de cacau, leite, açúcar e outros ingredientes. Então ele não tem nenhuma propriedade do chocolate.

Chocolate ao leite

Tabletes de chocolate.
Vie Studio de Pexels / Canva

O mais popular, o chocolate ao leite, é fabricado com açúcar, leite e outros ingredientes. Em nosso país, a agência reguladora Anvisa exige que todos os chocolates fabricados por aqui tenham ao menos 25% de sólidos de cacau, mas esse valor é muito perto se comparado aos 60% mínimos para que o doce seja saudável.

Chocolate amargo

Chocolate e, ao lado, sementes de cacau.
rozmarina de Getty Images / Canva

É aquele produzido com, ao menos, 50% de massa de cacau e com pouco ou até mesmo nenhum leite. Entre todos, é o único considerado saudável. Se estiver procurando mais benefícios, escolha aquele que tem o teor de cacau mais alto.

Chocolate diet (ou zero açúcar)

Tabletes de chocolate. Acima deles, uma fita métrica e, ao lado, um garfo.
Togapix de Getty Images / Canva

Ainda que seja produzido sem adição de açúcar, esse tipo de chocolate é nocivo à saúde porque apresenta a mesma quantidade de gordura dos chocolates ao leite.

Chocolate light

Longo tablete de chocolate.
jackmac34 de pixabay / Canva

O selo light representa que o chocolate tem 25% menos de algum ingrediente, o que indica que sua carga calórica é menor, mas o benefício é só esse, porque os malefícios dos chocolates ao leite continuam todos aqui.

O chocolate é um dos alimentos mais consumidos atualmente. Vilão para uns e mocinho para outros, é possível consumir esse alimento de maneira saudável e aproveitar seus benefícios. Por isso consuma na quantidade ideal e o tipo certo!

Você também pode gostar

Agora que você já conhece os benefícios do chocolate, confira esta lista com algumas receitas saudáveis com chocolate que separamos para você:

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br