Autoconhecimento Constelação Sistêmica

Constelação familiar e as leis sistêmicas

Em 2016, tive o meu primeiro contato com as constelações familiares, até então, não sabia muito o que era e nem como funcionava, minha esposa passou por um processo de perda repentina de sua mãe.

Uma amiga, cliente dela que era facilitadora em constelação, ofereceu a ela olhar para essa situação. Como já estávamos em um processo de desenvolvimento pessoal e fizemos alguns cursos de Programação Neuro Linguística (PNL), resolvemos ir para conhecer. Minha esposa foi a constelada (cliente) e eu fiquei apenas assistindo, tive algumas sensações e emoções enquanto assistia e aquilo mexeu muito comigo, e resolvi procurar entender um pouco mais de como tudo aquilo funcionava.

Alguns meses depois, fui fazer um curso, iniciei a leitura de alguns livros, e me encantava cada vez mais com as Constelações Familiares e seus resultados. Após esse curso, decide de vez entrar nessa viagem, e comecei a pesquisar cursos de formação para me tornar um facilitador em Constelação Familiar. De início achei que precisaria ter uma formação em psicologia, mas ao contrário do que eu e muitas pessoas pensavam, para ser um facilitador em Constelação não é preciso ser psicólogo. Então, encontrei um curso do Instituto Brasileiro de Constelações Sistêmicas, e me matriculei.

Homem sentado lendo um livro.

Fiz uma ótima escolha, aprendi muito com a Roseli Silva, um curso com foco na prática e muito conteúdo.

Durante o meu processo de formação, eu conheci o espaço Ponto de Luz, fazendo o meu Mapa Astral com a Paola Mingardo, e recebi um convite para participar das constelações que acontecem todas as quintas-feiras às 18h30. E comecei a frequentar as constelações e vivenciar mais ainda na prática tudo o que aprendia na minha formação. Após finalizar a minha formação como Facilitador em Constelação Familiar, iniciei meus atendimentos no Ponto de Luz.

Hoje realizo atendimentos individuais e em grupo no espaço Ponto de Luz Terapias. Eu deixo aqui o meu convite para você vir conhecer essa técnica e os resultados que ela tem proporcionado a muitas pessoas.

Mas o que é Constelação Familiar?

A Constelação Familiar é uma metodologia fenomenológica desenvolvida pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, que em sua trajetória de vida mostra-se um buscador.

Um senhor branco que está sorrindo enquanto apoia o rosto nas mãos. Ele é Bert Hellinger o criador da metodologia.

Bert Hellinger

Nascido na Alemanha em 1925, entrou para seminário aos 10 anos, aos 17 alistou-se no exército alemão para servir na Segunda Guerra Mundial como soldado, mas como não se sintonizou com a Juventude Hitlerista, foi mal visto pelo regime nazista por não integrar no ideal. Foi prisioneiro de guerra por 1 ano e meio onde conseguiu escapar e voltar para casa. Com o fim da guerra, Bert Hellinger retomou seus estudos de teologia e filosofia, tornou-se padre e viveu aproximadamente 2 décadas na África do Sul, especialmente com a comunidade Zulu. Estudou diversas técnicas e teorias como PNL, Hipnose, Gestalt, Terapia Transacional entre outras.

Com sua experiência e com base na análise comportamental do convívio em grupo, Bert Hellinger nos traz 3 leis ou ordens que regem os sistemas e as Constelação Familiares.

Pertencimento:

A família é o primeiro grupo social do qual fazemos parte. Todos os membros têm seu lugar e o direito de pertencer a esse sistema. Quando alguém é excluído, esse sistema entra em desequilíbrio e as características do excluído são assumidas por outro membro da família.

Hierarquia (ordem):

É a posição que assumimos em um sistema, quem vem antes precede o que chegou depois. Assim, os pais antecedem os filhos, da mesma forma que o filho que nasceu primeiro tem precedência sobre o segundo. Cada um tem seu lugar e no decorrer do tempo de deslocamento dentro da hierarquia de baixo para cima.

Os pais serão sempre grandes e maiores que os filhos.

Equilíbrio:

Uma balança.

É o que provoca o senso de justiça em um sistema, o dar e o tomar. Para manter o equilíbrio é necessário que todos os membros que dele fazem parte deem e tomem aquilo que lhes é de direito. O termo “tomar” (do alemão nehmen) não significa receber passivamente, mas aceitar, assumir, incorporar o que se recebe. É compreender e tomar para si o que é de direito. Nesse sentido, a criança toma os pais e o que deles recebe.

Já em relação entre casal quando dar e tomar estão em desequilíbrio, quem dá demais e não toma ficar maior perante o parceiro, tornando-se pai ou mãe do parceiro, e esse relação tende a acabar, quem recebe e não dá fica pequeno, sente-se pressionado e não suporta manter a relação.

Quando uma ou mais dessas leis não são cumpridas ou respeitadas gera-se o que chamamos de emaranhados em nossos sistemas. Esses emaranhados provocam conflitos emocionais, problemas de relacionamentos, doenças psicossomáticas, medos, psicoses, baixa autoestima, problemas financeiros, fracassos etc. Ao olhar para uma situação por meio das constelações, o consultante ou constelado pode obter uma nova perspectiva sobre seu problema, o que leva a uma compreensão mais profunda e curadora, ocasionando mudanças em si mesmo e no seu sistema familiar consequentemente.

Texto escrito por Ronan Salvador – Facilitador em constelação Familiar, Master Practitioner em PNL e terapeuta de Barra de Access.

Sobre o autor

Ponto de Luz Terapias Sistemicas Ltda

Ponto de Luz Terapias Sistemicas Ltda

Ponto de Luz: esse nome nasceu em uma constelação familiar, ele é um lugar onde temos insights, ideias, luz e nos conectamos com ALGO MAIOR. Nasceu do desejo de retribuir ao Universo o muito que recebi quando assumi minha missão de terapeuta. É um local onde as pessoas se desenvolvem através de mim, Paola Mingardo com o atendimento presencial em astrologia, PNL, constelação familiar e coaching, além de outros profissionais que estão comigo nesta caminhada.

Hoje temos

Neda Asnath Del Valhe Santos - Cursando Formação Psicanalítica com previsão de término em maio de 2022. Formada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie no ano de 2010. Domínio do idioma inglês. Experiência de 8 anos em atendimento clínico em psicoterapia para clientes particulares e ONGs. Experiência em projetos sociais na iniciativa pública; Mais de sete anos atuando como psicóloga clínica individual e familiar; Trabalho voluntário (apresentação teatral e musical) em casas de repouso, abrigos, casa de passagem, ONGs e Centro de Temporário de Acolhimento (moradores em situação de rua).

Erica Ohno - Sou Erica, terapeuta integrativa em linguagem do corpo e practitioner em PNL. Vou contar um pouquinho da minha trajetória de como me tornei terapeuta. Comecei meus estudos por curiosidade pelo comportamento humano. Tinha uma empresa e queria aprender a identificar pela leitura do rosto se deveria ou não contratar um funcionário. Analisando os sinais do rosto, é possível saber algumas informações sobre a pessoa. Esse estudo chama fisiognomonia. Fiz um curso breve de dois dias e gostei bastante. E logo em seguida uma amiga me enviou um áudio da Cristina Cairo sobre tatuagem, pois comentei com ela que talvez fizesse uma. Nesse programa, a Cristina explicou a real intenção de querer se tatuar, e eu gostei apesar de não ter entendido muito bem. O YouTube ficou me indicando programas dela e eu comecei a ouvir e a gostar cada vez mais. Eu custava a entender como as doenças teriam causas iniciadas nas emoções e no comportamento, eu acreditava e ao mesmo tempo duvidava, era um enorme conflito interno. Nos programas ela fazia chamadas para os próximos cursos e palestras, e decidi fazer o curso para entender melhor esse estudo egípcio para me “curar” da minha rinite e pressão alta. Nesse meio-tempo comecei a participar do grupo Ponto de Luz. É um grupo que se encontra toda quinta à noite atualmente e em alguns sábados. Nesses encontros acontecem as constelações familiares, pelas quais claro também me apaixonei. Sou adotada e a querida Paola Mingardo, terapeuta sistêmica, me mostrou em constelações a importância de ser grata à vida que meus pais biológicos me deram. Minha paixão foi crescendo por esse universo novo. E como uma boa geminiana a curiosidade me levou a procurar coisas novas. E então percebi que tudo está conectado. Comecei a estudar física quântica, as leis universais e decidi que gostaria de dividir esse conhecimento como terapeuta com quem estivesse disponível. Recentemente fiz o curso de practitioner em PNL e trabalho com meus clientes todas essas ferramentas conectadas para a cura por meio das técnicas, mas principalmente por meio do amor e do perdão verdadeiro. Tomar consciência é o primeiro passo para qualquer mudança. Quando algo sai do inconsciente e vai para o consciente, é o momento em que a cura se inicia. Estamos sempre em constante evolução, aprendendo sempre e crescendo com todo o aprendizado que vai surgindo a todo momento.
Sou @ericaohno, terapeuta integrativa, formada na Escola Brasileira de Linguagem do Corpo e Psicanálise Cristina Cairo, e practitioner em PNL. Para agendar sessão presencial ou online, me mande uma mensagem no whats 11 96974-1810.

Sibele Jara - Sobre a taróloga Sibele Jara. Profunda estudiosa de uma doutrina espiritualista que não se prende a nenhuma religião, mas acima de tudo ao autoconhecimento, a nossa taróloga Sibele iniciou sua atividade com o tarô cigano aos 14 anos de idade e se aperfeiçoou em outros oráculos, como o Mitológico e o Tarô de Marselha, por meio de cursos certificados na área e com mestres de muita sabedoria. Atualmente foca seus esforços em desenvolver a cada dia mais seus dons por meio do estudo contínuo de novos oráculos, tudo com muito amor e dedicação ao ser humano.
O tarô é uma ferramenta de autoconhecimento, que pode levar o consulente a um nível de consciência muito maior de suas limitações e capacidades. Uma consulta de tarô é tida como um momento de aconselhamento, e é indicada para quem tem coragem de refletir sobre a própria vida e suas atitudes. Entre conosco nesse mundo encantador de conscientização para tomar melhor suas próprias decisões. Beijos de Luz.

Renata Nunes Alonso - Pedagoga especialista em inclusão com pós graduação em psicopedagogia e pedagogia sistêmica. Trabalha com crianças/adolescentes e familiares com dificuldades de relacionamento e desafios com o sistema escolar.

Silvia Jara - Formada em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo, sempre gostei de lidar com pessoas. Só não imaginava que a vida me levaria para o atendimento como terapeuta íntegra ativa. Facilitadora de Constelações Sistêmicas Familiares e Empresariais, ThetaHealer e Reikiana.

Email: [email protected]
Facebook: pontodeluzterapia
Instagram: @pontodeluzterapia