Convivendo

Dia Mundial do Meio Ambiente

Mão branca segurando globo transparente em frente a árvores.
alicephoto / 123rf
Escrito por Luis Lemos

Hoje, 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente ou Dia da Ecologia, um dia especial para refletirmos sobre a vida.

Sem Natureza não existe vida. Sem vida, nada pode modificar a ordem social vigente e os pobres continuaram pobres.

Como um mantra, todos os dias deveríamos nos curvarmos diante das belezas da Mãe Terra, porque é dela que somos feitos.

Antes de qualquer outro fazer, deveríamos ser gratos à Mãe Natureza, porque é dela que tiramos o nosso sustento.

Diante de tamanha beleza, deveríamos reconhecer que o meio ambiente é um reflexo do Divino Mestre.

É urgente reconhecer que as mudanças climáticas e a perda da natureza contribuem para o aparecimento de novas doenças.

Devemos reconhecer, ainda, que os seres vivos, os animais e os vegetais são importantes para a qualidade da vida no Planeta.

Os oceanos, os mares, os rios e os lagos, não apenas o meio ambiente, são entes repletos de vida que merecem respeito.

Nunca devemos pensar o meio ambiente apenas como questões econômicas e de desenvolvimento.

Mulher branca segurando uma folha verde.
Mert Guller / Unsplash

O meio ambiente transcende a pura materialidade e aponta para a cura do corpo, da alma e do espírito humano.

Convicto de que o materialismo não me basta, ouso dizer que a natureza é a minha casa, bela e terrível, justa e excludente.

O cuidado com o meio ambiente e o amor pela natureza devem nos fazer atentos ao dizer do poeta: viver não é preciso, navegar é preciso!

A exploração, a ganância e o consumismo alienado precisam parar antes que seja tarde, antes que a Terra se torne um deserto.

Não precisamos, pois, destruir o meio ambiente para sobreviver; precisamos apenas dizer como São Francisco de Assis:

“Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas, especialmente o senhor irmão sol, que clareia o dia e que com a sua luz nos ilumina”.

Você também pode gostar

Da natureza, portanto, não podemos e nem devemos nos preocupar, porque ela é o campo sagrado da vida e o Divino Mestre cuida de todas elas.

Cuidar da natureza é um envolvimento prático com as coisas, não é apenas ter uma ideia a seu respeito, mas lidar com o sofrimento do outro.

Quando se diz que a natureza é sábia, é porque dela emana um calor que aquece e reanima os corações desesperados.

Tenhamos esperança, confiemos na Mãe Natureza, deixemos de lado o egoísmo e vivamos em paz!

Sobre o autor

Luis Lemos

Filósofo, professor universitário e escritor, autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na terra das Amazonas - Histórias do universo amazônico (2019).

Email: [email protected]
Instagram: @professorluislemos
Facebook: professorluislemos
Twitter: @luisclsilva
Youtube: Luis Lemos