Convivendo

Entenda a polêmica que envolve o Foie Gras

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Por sua variedade de sabores e também por sua sutileza, a gastronomia francesa é tida por muitos especialistas como uma das melhores do planeta. Entretanto, apesar do reconhecimento internacional, alguns pratos típicos dos europeus são questionados por ecologistas e defensores dos direitos dos animais. O principal deles é o Foie Gras, uma espécie de patê obtido do fígado hiperdesenvolvido de um pato, ganso ou até mesmo de um marreco.

Considerado um dos pratos mais nobres da culinária ocidental, o Foie Gras pode ser servido de diversas formas. Alguns chefs preparam a iguaria sob algum molho de fruta ácida, como por exemplo, a laranja. Outros preferem apresentar o prato acompanhado de pães, torradas e frutas secas. Na França, o consumo do prato é muito comum em datas festivas, como o Natal, e em ocasiões especiais, como reuniões familiares e casamentos.

Embora o sabor intenso do prato agrade ao paladar de muitos, a maneira como os produtores obtêm o Foie Gras (que em língua francesa significa fígado gordo) gera polêmicas.
Isto porque, os animais são criados em cativeiros e obrigados a alimentar-se de maneira compulsiva através de um tubo. Geralmente, as luzes dos criadouros ficam acesas por longos períodos a fim de que as aves não durmam para que possam ingerir mais ração e engordar mais rápido.

Por conta deste processo, denominado Gavage, os animais apresentam sinais de estresse e complicações físicas, e consequentemente, têm o tempo de vida reduzido. Algumas aves não conseguem suportar a intensidade das refeições e acabam morrendo em poucos meses.

Sendo assim, grupos que militam pela defesa dos direitos dos animais criam petições on-line e protestos para conscientizar as pessoas sobre esta crueldade. A L214 Éthique & Animaux, entidade francesa que fiscaliza e denuncia inúmeras infrações aos direitos dos animais, criou um manifesto on-line chamado ‘Não ao Gavage’. No fim do texto, os europeus são firmes em afirmar que não consomem o Foie Gras.

foie gras

“Enquanto consumidores determinados em pôr a ética em prática no nosso prato, e constatando que tais sofrimentos existem simplesmente para agradar ao nosso paladar, recusamo-nos a comprar e a consumir fígados doentes de animais torturados”, diz o documento.

No Brasil

Cientes disto, Argentina, Alemanha, Polônia e mais vinte outras nações já proibiram a comercialização deste patê em seus territórios. No Brasil, o assunto começa a entrar na pauta dos governantes.  A cidade de São Paulo chegou a vetar o Foie Gras, mas uma ação da Associação Nacional dos Restaurantes (ANR) fez com que a lei fosse suspensa em caráter liminar. O processo corre na Justiça.

Procurada pela reportagem, a ANR afirma que o veto não se dá por conta da crueldade contra os animais, e sim pela ilegitimidade da ação. Isso porque, segundo a associação, a Prefeitura não tem este poder. “No entendimento da entidade, acatado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, os municípios não podem legislar sobre o consumo e a produção de qualquer produto”, declarou a ANR. 

  • Texto escrito por Yago Rudá da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]