Convivendo

Hai África: educação para crianças carentes

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Atualmente, muitos projetos sociais nascem e encontram apoio na sociedade. Isso é muito bom. Neste texto, nosso destaque é para o projeto Hai África, idealizado pela fotógrafa Mariana Fischer, que, após muitas viagens como voluntária, resolveu criar um projeto voltado para crianças carentes do Quênia.

O Hai África está apenas no começo, mas Mariana deseja criar uma escola alternativa para as crianças daquele país. Como ainda está em desenvolvimento, o projeto aceita ajuda financeira e pessoal de todo mundo. É um projeto que não se realizará sozinho, mas em conjunto. Já em seu começo, o projeto atendia 13 crianças; hoje, já são 27 estudantes.

A situação das crianças nas escolas do Quênia não se compara à dos estudantes brasileiros. No país africano, 65% das crianças entre 2 e 14 anos estão fora da escola. Partindo desses números, Mariana resolveu alugar uma casa por lá e buscar parceria locais para dar início ao que hoje é o Hai África. Para manter a estrutura, ela conta com a doação e ajuda financeira de pessoas e instituições. Mas o Hai África deseja arrecadar fundos para construir seu próprio espaço.

Hai: Construindo com amor

Encontra-se on-line uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Kickante. O objetivo é conseguir arrecadar R$ 150.000,00. De acordo com as informações do projeto na plataforma, o dinheiro arrecado será usado para “comprar um terreno que dará um lar para as nossas crianças e até triplicará o número de crianças auxiliadas em nossa casa, além da construção da escolinha, que será toda sustentável e proporcionará a educação necessária”.

Se você quer ajudar a contribuir clique aqui e ajude na realização deste empreendimento. Faça a sua parte.

Para conhecer um pouco mais do Hai África clique neste link e acesse o site.

“O Hai Africa é um projeto social que beneficia as crianças da comunidade de Kabiria, em Nairobi, no Quênia, oferecendo educação escolar de qualidade, alimentação e nutrição balanceadas, atendimento médico regular e, claro, muito amor e carinho. No dialeto suahili “HAI” significa “viva” e para 27 crianças atendidas, o projeto significa uma nova chance”.

Se você quer contribuir e deixar mais crianças felizes faça a sua parte. Entrando no site você pode ver diversas formas de você contribuir! Deixe as crianças ainda mais felizes e deixe o seu coração mais quente contribuindo.”


Fotos: Reprodução/Hai África
Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]