Comportamento Psicologia

Ilusão: uma falsa realidade dos fatos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Em latim, o verbo “illudo” pode significar “divertir” e “recrear”, mas também pode significar “burlar”, “enganar”, “iludir”. É daí que vem o sentido que a palavra “ilusão” adquire na língua portuguesa.

Uma pessoa que vive uma ilusão vivencia uma confusão de sentidos, formando uma imagem da realidade que não é compatível com os fatos. Os animais também podem ser iludidos, sobretudo pelos seres que têm a habilidade de se camuflar ou de reproduzir um som ameaçador, embora seja inofensivo.

A ilusão pode ser estimulada por razões naturais, que envolvem aspectos como ambiente e clima, ou por razões naturais, que dizem respeito a camuflagem, mimetismo etc. Em geral, as ilusões que enganam o olhar são as mais frequentes.

A seguir, você vai aprender todos os tipos de ilusão que um ser pode experienciar. Será que você já viveu alguma delas? Leia com atenção e descubra!

Homem com luva branca e uma vara mágica. Ele está segurando uma cartola preta em uma das mãos. De dentro da cartola saem várias estrelas iluminadas.

Ilusão de óptica

Imagine a seguinte situação: duas pessoas estão olhando para um desenho. Uma delas acredita estar vendo um pato, enquanto a outra tem certeza de que vê um coelho. Nenhuma delas está errada, mas nenhuma delas está certa. Os dois animais foram desenhados de uma forma confusa, para que cada pessoa só consiga ver um deles de cada vez.

Esse é só um dos exemplos de ilusão de óptica. A enganação dos olhos, que caracteriza esse fenômeno, também pode ser provocada quando uma pessoa assiste a um filme em 3D e acredita poder tocar os elementos que estão se deslocando na tela.

Embora os seus olhos acreditem que estão vendo um aspecto da realidade, depois de alguns instantes, o seu cérebro é capaz de enviar a mensagem correta para eles: tudo não passa de uma ilusão de óptica.

Ilusão auditiva

Uma ilusão auditiva, diferentemente da ilusão de óptica, é sentida nos ouvidos. Talvez você já tenha vivido essa forma de ilusão ao assistir a um filme em uma sala com um sistema de som potente, sentindo-se dentro do ambiente representado.

Ou então, você teve seus ouvidos enganados quando uma banda usou um artifício para modificar o som de determinado instrumento. Os seus ouvidos transportam você para um novo ambiente ou o fazem acreditar que a voz de uma pessoa, falando em um microfone, parece a de um robô.

Ainda que essa ilusão seja menos perceptível e menos popular que a ilusão de óptica, trata-se de uma confusão da realidade que acaba criando um universo paralelo. É preciso manter a atenção para saber diferenciar essa ilusão do que é fato.

Menina assustada com lanterna escondida sob o seu cobertor cor de rosa. Ela está rodeada de fantasmas imaginários.

Ilusão gustativa

Uma ilusão que dá água na boca é a ilusão gustativa. Se você já comeu um doce muito açucarado e depois provou uma fruta cítrica, conhece essa sensação. A ilusão gustativa acontece quando o nosso paladar nos leva a crer que um alimento tem um sabor mais acentuado ou pior do que realmente tem.

Esse fenômeno acontece porque a intensidade do sabor de um alimento pode permanecer na boca mesmo depois de engoli-lo. E então, se você degustar outra comida que tenha um sabor contrastante em relação à primeira, esse contraste pode ser ainda mais acentuado.

Se você quiser fazer o teste, experimente comer um chocolate e depois tomar um suco de laranja sem açúcar. Ele vai parecer bem mais cítrico do que realmente seria! Explore o universo da ilusão gustativa e descubra como alterar os sabores de cada alimento!

Ilusão tátil

Uma ilusão tátil é mais difícil de ser experienciada, porém também pode acontecer. O exemplo mais comum é quando você está tomando um banho quente ou nadando em uma piscina aquecida. Na hora de sair da água, você pode imaginar que o clima ao seu redor está muito frio, mesmo que não esteja.

Outro exemplo de ilusão tátil, menos frequente, é a sensação de um membro fantasma. Uma pessoa que teve uma parte do corpo amputada ainda pode sentir dor ou coceira nesse membro que não faz mais parte do seu corpo, porque o cérebro continua armazenando as informações referentes a esse membro.

Dessa forma, a ilusão tátil é uma enganação do tato. Você acredita que está sentindo algo em um órgão que não está mais lá, ou sente o clima com características diferentes da realidade.

Pessoas subindo várias escadas brancas. Ao topo de cada uma das escadas uma porta aberta também na cor branca. As pessoas, homens e mulheres vestem roupas pretas.

Ilusão olfativa

A ilusão olfativa é a preferida das indústrias de alimentos. Você já acreditou que o caldo do macarrão instantâneo era feito de pedaços de carne porque o cheiro lembrava esse alimento? Já quis provar um doce porque tinha um aroma de baunilha, que o fazia parecer bem saboroso?

Em algum momento da vida, todos nós já fomos enganados pelo aroma de um alimento. Fígado acebolado, por exemplo, tem um perfume espetacular, mas o sabor não agrada todas as pessoas. Em raros casos, o sabor pode ser melhor que o odor, como acontece com muitos queijos.

De qualquer forma, uma ilusão olfativa pode enganar nossos narizes com eficiência. Ela pode servir para o bem ou para o mal: podemos provar um alimento cheiroso e que não é saboroso ou um alimento malcheiroso que é cheio de sabor.

Você também pode gostar

Desilusão

Tendo conhecido os principais tipos de ilusão, é possível compreender o significado de desilusão. Quando a sua ilusão finalmente termina e você consegue perceber a realidade como ela é, você viveu uma desilusão.

Esse processo de desilusão pode trazer sentimentos muito positivos ou muito negativos. Deixar de se enganar é uma sensação agridoce, já que nem sempre a realidade é tão incrível quanto a ilusão na qual acreditamos.

Rapaz de camisa branca segurando metade de uma câmera fotográfica. Ele está olhando para o infinito.

Desilusão amorosa

A desilusão que mais causa efeitos devastadores é a desilusão amorosa. Enquanto algumas pessoas ficam felizes por finalmente poderem enxergar quem a outra pessoa realmente é, outras se sentem profundamente tristes e decepcionadas por não terem as expectativas atendidas.

Uma desilusão amorosa sempre começa com uma ilusão de que o relacionamento durará para sempre, que tudo vai dar certo, que o futuro do casal será muito próspero. Todos esses sonhos e esperanças são fruto da nossa imaginação, uma imagem que nossos desejos mais profundos criam para que nos sintamos bem com as nossas escolhas.

Se uma pessoa acreditasse que o relacionamento amoroso que ela está vivendo não iria para frente, será que ela continuaria nele? Se uma pessoa que quisesse muito se casar e ter filhos não imaginasse isso com quem se relaciona, qual seria o sentido de continuarem juntos?

A ilusão é criada com o objetivo de trazer projeções para o futuro, dando mais estabilidade e mais segurança para uma pessoa se manter em um relacionamento. Tudo isso, no entanto, pode ruir em poucos segundos.

Moça bonita com cabelos ao vento. Ela veste uma camisa amarela regata e uma saia curta azul marinho. Ela está segurando um coração de pelúcia pronto para ser descartado no lixo.

Uma atitude inadequada, uma briga não resolvida, uma revelação séria sobre a outra pessoa e muitos outros fatores podem acabar destruindo a linda ilusão que foi construída pela pessoa esperançosa.

Nesse sentido, a desilusão amorosa pode trazer sentimentos muito negativos, pela quebra de expectativa e pelo rompimento da confiança que uma pessoa nutria pela outra. O fim do relacionamento pode abrir novas portas, contudo, para que a pessoa magoada tenha a capacidade de viver novas experiências, controlando as ilusões que construirá.

A desilusão amorosa também pode acontecer de outra forma. A ilusão de uma pessoa poderia se tratar do caráter de outra. Uma delas acredita que a outra é a melhor escolha para a sua vida, que é alguém inteligente, carinhosa, atenciosa, paciente, compreensiva e muitos outros adjetivos positivos.

Até que, de repente, essa pessoa, que parecia ser a melhor do mundo, revela-se uma ameaça ao bem-estar e à autoestima, alguém a ser evitada. Essa desilusão, por pior que seja, ainda trará uma sensação de liberdade para a pessoa que a viveu. Pode ser melhor desapegar de uma ilusão que só traria mal do que insistir nela, não é?

Agora que você sabe sobre essas duas formas de desilusão amorosa, uma que diz respeito ao relacionamento em si e outra que diz respeito sobre a pessoa, que tal aprender a identificar se você está vivendo uma ilusão?

Mulher triste e muito pensativa. Ela está vestindo um casaco vermelho e um cachecol branco. Ela está debruçada sobre uma grande branca.

1) Converse com a pessoa com quem você se relaciona. As expectativas dela para a relação são as mesmas que você tem?

2) Identifique se a outra pessoa está correspondendo os seus sentimentos. Ela demonstra, de alguma forma, que ela o ama e se importa com você?

3) Pense nos momentos em que você mais precisou de ajuda. A pessoa com quem você se relaciona esteve ao seu lado, assim como você esteve ao lado dela quando ela precisou?

4) Faça uma linha do tempo do seu relacionamento, mentalmente. A maioria dos planos que você criou já foi alcançada?

5) Analise a quantidade de vezes que vocês se encontram. Essa é a quantidade ideal de encontros que você gostaria de ter com a pessoa que ama?

6) Como essa pessoa fala sobre você? Ela está sempre enaltecendo e valorizando você (a) ou só você faz isso por ela (b)?

Jovem rapaz vestindo um casaco de frio. Ele está de frente para o mar, sentado e de cabeça baixa. Sua aparência é bem triste.

7) Como essa pessoa reage quando você comete algum erro? Ela é paciente e compreensiva (a) ou espera que você peça desculpas até não aguentar mais (b)?

8) Como essa pessoa trata os outros? Ela age com respeito e com carinho (a) ou parece adotar uma postura agressiva (b)?

9) Como essa pessoa fala sobre vocês? Ela deixa claro que vocês são um casal (a) ou encontra desculpas para que ninguém saiba sobre você (b)?

10) Como essa pessoa lida com situações difíceis? Ela compartilha com você e pede sua ajuda (a) ou esconde todos os problemas de você (b)?

Se, para as perguntas de 1 a 5, a maioria das suas respostas foi “sim”, você não está vivendo uma ilusão e está longe de uma desilusão amorosa com o seu relacionamento. Se a maioria das respostas foi “não”, está na hora de abrir os olhos sobre esse amor!

Se, para as perguntas de 6 a 10, a maioria das suas respostas foi “a”, parece que a pessoa que você ama é realmente amável, não se trata de uma ilusão. Se a maioria das respostas foi “b”, por outro lado, não é amor, é cilada! Você está correndo o risco de se iludir muito sobre quem essa pessoa é.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]