Convivendo Saúde Integral

Língua de Sinais e o Setembro Azul

Jéssica Sojo
Escrito por Jéssica Sojo

Setembro de todas as cores. Amarelo, vermelho, verde, dourado e… Azul. Setembro azul simboliza os surdos e a Língua de Sinais, reconhecida por lei e como meio legal de comunicação e expressão.

Porém, existem alguns equívocos que precisamos desconstruir – como, por exemplo, de que todo surdo é mudo. Vamos tratar deles neste artigo.

É compreensível que, para nos comunicarmos, interagirmos e sermos notáveis dentro da sociedade, virtualmente ou não, precisamos ter o domínio da língua – e não só o da língua em si, mas o todo – salientando que a língua é apenas umas das ferramentas vindas dentro da cultura de um povo. Mas e a LIBRAS? Eu te pergunto: o que é considerado língua?

Se fosse há alguns anos, eu teria alguns questionamentos rolando, já que é notório para mim que a língua é uma manifestação determinável para comunicação humana – independente de qual forma ela venha a ser explícita. Por ser ouvinte, leiga e ter tido uma visão limitada sobre o assunto – e mesmo sendo acadêmica do curso de Terapia Ocupacional –, antes eu não fazia a menor ideia de que a LIBRAS era considerada uma língua e fazia parte da cultura surda.

Inclusive, enfatizo aqui que, assim como tantas outras pessoas, eu também tinha aquele velho e comum costume de achar que todo surdo é mudo; que surdo só se comunica através do uso da LIBRAS; que acessibilidade para o surdo é só com um intérprete; que surdos fazem mímica… E tantos outros pré-conceitos estabelecidos dentro da educação na qual fui criada. Até que o meu interesse pela língua e pela cultura surda surgiu em uma cadeira na faculdade e desmistificou alguns dos meus conceitos.

Recordo como se fosse hoje a minha dificuldade em compreender o alfabeto manual e a dança por entre as mãos da minha professora – uma verdadeira inspiração para que brotasse em mim uma pequena sementinha de interesse por esse mundo. No Instituto Santa Teresinha, tive o privilégio de aprimorar o meu conhecimento e desenvolver um olhar mais crítico, empático e sensível com o outro – seja ouvinte ou surdo. Por isso, acho pertinente compartilhar aqui e esclarecer alguns conceitos pré-construídos e notórios na comunicação.

Deficiente auditivo, surdo-mudo ou surdo? Surdo! Surdo-mudo é ofensivo e os surdos são capazes de produzir sons através da fonética. Porém, pelo fato de terem uma inabilidade total de ouvir, são considerados surdos.

*Importante frisar aqui que nem todos os surdos fazem uso da Língua de Sinais.

Deficiente auditivo são pessoas com um déficit leve ou moderado que fazem uso do aparelho auditivo.

Língua ou linguagem de sinais? Língua e reconhecida por lei. A Língua Brasileira de Sinais é igual a qualquer outra língua e, conforme o dicionário, “tem, assim como as línguas orais, seus mecanismos fonológicos, semânticos, sintáticos, morfológicos e a característica de caráter visual-espacial”. É um conjunto de elementos que torna compreensível a linguagem, sendo uma língua visual-espacial.

Linguagemconforme o dicionário, é a capacidade que os seres humanos têm para produzir, desenvolver e compreender a língua e outras manifestações, como a pintura, a música e a dança”.

Sign language - a collage of the American sign language alphabet presented by a Caucasian young female hand.

Língua de sinais americana


A Língua de Sinais é igual em todos os países?  Cada país tem a sua própria língua de sinais. E, conforme já mencionado, isso ocorre através do caráter linguístico da língua e o reconhecimento de outras características, como ocorre nas línguas orais, dentro da cultura local.

Surdo oralizado ou sinalizado? Existe certo estereótipo por trás desses dois termos, mas é importante lembrar que existem diferentes formas do surdo se comunicar, assim como nós ouvintes – e vale lembrar também que é independente do grau de surdez ou se a pessoa faz ou não o uso do aparelho:

Surdo oralizado é quem não tem o menor interesse em aprender a Língua de Sinais e geralmente tem maior facilidade com a leitura labial, tendo o português como base linguística. Já o surdo sinalizado tem interesse na LIBRAS e faz o uso da língua.

Língua de Sinais é mímica? Ledo engano. Mímica é uma dramatização, e a língua de sinais, dentro da sua autonomia, tem todas as características linguísticas de uma língua oral, logo, não é uma mímica.

 Por fim, existe muito ainda a ser discutido para que as pessoas eliminem o preconceito quanto à surdez e se fascinem com a naturalidade dos surdos e com os seus ritmos das mãos em perfeita sintonia.

 Um beijo no coração e até a próxima.

Sobre o autor

Jéssica Sojo

Jéssica Sojo

É custoso descrever quem sou eu – já que constantemente lapido, modifico e me transformo em um pouco de tudo e muito de cada pouco. Inicialmente posso compartilhar dizendo que sou extremamente curiosa, apaixonada pela comunidade surda, pela língua de sinais e por tudo que envolve a linguística.

Foi na faculdade de medicina e como acadêmica há alguns anos (com a esperança de trabalhar com o ser humano e suas limitações) que eu adentrei para um universo de que eu não fazia ideia que fosse possível existir e que pudesse trazer a bagagem que tenho hoje. Minha busca incessante pelo autoconhecimento e entendimento para muitos dos questionamentos que já tive (e continuo tendo) me fez despertar para o meu atual desígnio.

Minhas tantas outras peregrinações e experiências também contribuíram e muito com o meu desígnio – a começar pelo de compartilhar junto a vocês, leitores do EuSemFronteiras, sobre a primordialidade de enxergarmos para além do que nos visibiliza os olhos e lembrarmo-nos sempre de sermos semelhantes ao sol, mesmo em meio às sombras escarpadas montanhosas da vida.

Com todo o meu carinho e gratidão imensa,

Mãos em prece e um saudoso e caloroso abraço em cada um.

Contatos:

Email: [email protected]
Instagram: @rubiojer