Autoconhecimento Blog do Editor Maternidade Consciente Psicanálise

Manual Básico da Criança – O Período de Latência (Texto 5/6)

período de latência
Olá! Já abordamos em artigos anteriores a introdução ao assunto e as três fases anteriores:

Fase Oral Fase Anal Fase Fálica

Hoje falaremos do Período de Latência, que acontece dos 6 aos 11 anos aproximadamente, e é uma época de Amadurecimento Psíquico, e já não é considerada uma fase, e sim um Período, pois aqui há uma parada significativa no desenvolvimento da sexualidade.

Nessa fase a criança inicia o amor homossexual, que é seu primeiro amor, quando brinca com seus pares, do mesmo sexo, se pegam, se tocam nas brincadeiras e fazem cara de nojo ao falar do sexo oposto.

Época do Clube do Bolinha e da Luluzinha, em que eles se reconhecem para depois poderem escolher o sexo oposto na descoberta do segundo amor.

Esse é um processo natural.

Primeiro eles precisam separar-se como figuras sexuais diferentes para depois, mais tarde, se atraírem.

O amor homossexual é o amor que vai permitir que ele se identifique, permitindo que ele se aproxime da figura que ele quer ser, no caso o pai, ou a mãe, ou uma figura suficientemente boa para transferir seu amor e, posteriormente, escolher o mesmo objeto que o pai ou a mãe também escolheu. É um fenômeno transferencial. O pai é um homem que escolheu uma mulher. A mãe é uma mulher que escolheu um homem para casar. E assim acontece a escolha de objeto.

período de latência

Se a criança não tiver este espelho nesta fase, ou seja, a correta figura para que possa fazer esta identificação, ela começará pela segunda fase, terá seu interesse invertido e, provavelmente, viverá esse primeiro amor homossexual pelo resto da sua vida.

Se tudo transcorreu bem com essa criança até essa fase, o sistema límbico para de funcionar, as amígdalas cerebrais aceleram seu trabalho, o medo cresce, e isso faz com que também cresça seu entrelaçamento com os pais.

É uma época de manias, tiques e comportamentos obsessivos compulsivos normais que passarão naturalmente até os 11 anos, e é um critério neurológico que a criança precisa passar nessa fase para não passar depois, na vida adulta, de forma tardia.

Se seu filho está com mania de colocar a mão no nariz ou fazer algo nojentinho, não se preocupe, vai passar! Rs.

Nesse período há uma Sublimação das pulsões sexuais, e a criança entra na fase do Lúdico, do Brincar.

período de latência

Brincando ela desenvolve a expressão da Alegria, que lhe servirá de suporte para situações mais difíceis na vida adulta. Será brincando que ela desenvolverá a Empatia e a Socialização ajustadas. É um período em que os valores que recebeu dos pais e cuidadores e que formaram seu caráter se intensificam, é hora de pensar no Outro! Viva a Empatia!

Seus órgãos sexuais estão praticamente prontos para a procriação, mas ainda lhe falta maturidade emocional. Aqui o primado é do Superego, que é nosso censor interno do Pudor e da Repressão Sexual.

Como nas demais fases anteriores, existem as consequências da Boa Fase e da Má Fase que podem se dar pela falta ou pelo excesso e vamos a elas:

Boa Fase

  • A criança pode brincar tranquilamente.
  • Recebe orientação e atenção dos pais e cuidadores.
  • Dessa forma, desenvolve e aprimora a Empatia e a Criatividade que lhe serão úteis futuramente na solução de problemas.

Má Fase

  • A criança não recebeu o necessário e pode tornar-se infantilizada, brincando e se comportando como uma criança crescida, podendo apresentar dificuldades em estabelecer ideais, em sentir prazer no estudo e no trabalho, além da possibilidade de permanecer cronicamente egocêntrica.
  • No Período de Latência a criança precisa ser respeitada e ter o direito de brincar, evitando a sexualização precoce, pois é uma época de socializar que será de grande importância para aprender a ser solidária e compreender o outro, ser amiga e participar da comunidade, saindo do centro de sua existência.

período de latência

Com essa fase bem feita estaremos criando pessoas que não acham que o próprio umbigo é o centro do mundo. Avaliem a importância!

No próximo texto, finalizaremos esta série de artigos com a Fase Genital, que vai dos 11 aos 25 anos aproximadamente…

Até lá!


Acompanhe a série: Manual Básico da Criança (Clique nos botões abaixo para ler)

Manual Básico da Criança – Conceitos Básicos (Texto 1/6) Manual Básico da Criança – Fase Oral (Texto 2/6) Manual Básico da Criança – Fase Anal (Texto 3/6) Manual Básico da Criança – Fase Fálica (Texto 4/6)

Sobre o autor

Monica Marchese Damini

Monica Marchese Damini

Psicanalista Clínica e Editora do Eu Sem Fronteiras

Em certa altura da vida, senti o chamado para descobrir o que havia além da rotina, da vida material, do físico. Foram muitos os caminhos trilhados, muito estudo, muitas vivências e descobertas, muitos desafios, vários mestres. Gratidão a cada um deles.

Autoconhecimento, espiritualidade, física quântica, o universo, yoga, budismo, doutrinas, meditação, retiros, silêncio, corpo, mente, alma, o Ser, o Amor Maior.

Ser livre do mundo externo, do sofrimento de Maya, a ilusão.

Torna-se co-criador da própria realidade.

Colocar em prática o Dharma, o dom e recursos recebidos em prol da sociedade, privilegiar o Todo, trabalhar, estudar, compartilhar, amar, evoluir, sem apego ou aversão.

Despertar para o Divino em cada um de nós. Aprender a enxergar o Ego e deixar que ele apenas trabalhe a favor dos propósitos do Todo, aprender a praticar o desapego e a aceitação… tem que buscar, tem que querer, e eu quero!

Assim como eu, muitos estão nessa jornada, e com este propósito de nos juntar, criamos o Eu Sem Fronteiras, projeto amoroso de compartilhamento e ponte entre quem quer dar e quem busca receber todo tipo de informação e conhecimento, livre de dogmas, julgamentos e crenças, para que cada leitor aproveite o que desejar em cada momento de sua vida.

Transformar conhecimento em sabedoria.

Trabalhoso, mas tem muita gente vibrando na mesma sintonia e disposta a compartilhar o que sabe, e nessa nova era onde o coletivo impera sobre o individual, conseguimos uma equipe linda de profissionais em sinergia com nosso projeto para juntar todo o bem e todo o bom aqui neste portal.

Aprender a perdoar, se perdoar, nos libertar de sentimentos negativos, mágoas, culpas e tudo que gera padrão negativo. Há muitas formas e ferramentas, mas precisa trabalho e enfrentamento.

Quanto maior a massa crítica vibrando positivamente no amor universal, mais rápida a transformação deste planeta.

Queremos participar!

Contato:
E-mail: [email protected]
Facebook: Monica Marchese Damini
Instagram: @monicadaminipsi