Musicoterapia Saúde Integral

Musicoterapia para o TDAH

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Algumas crianças parecem ser um pouco mais agitadas do que as outras. Algumas delas podem ser mais impulsivas e dispersas do que o normal, o que prejudica a concentração e o foco para se engajar em alguma atividade. Quando a hiperatividade começa a ser prejudicial para a criança pode ser um indício de Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade, conhecido pela sigla TDAH. Esse transtorno é estudado por diversos pesquisadores no mundo todo, visando encontrar tratamentos que possam ajudar na qualidade de vida das pessoas que são diagnosticadas com ele.

Antes de falarmos de tratamentos, vale ressaltar que nem sempre uma criança (ou adulto) hiperativo tem esse transtorno. Muitas vezes a pessoa pode estar passando por um momento de hiperatividade, mas não necessariamente quer dizer que ela tenha o transtorno. Por isso, o diagnóstico só pode ser dado por um especialista da área da saúde.

Em relação aos tratamentos, psicólogos, pedagogos, psiquiatras e pesquisadores já encontraram diversos meios para ajudar quem tem TDAH. A musicoterapia é uma das opções que não usam medicamentos e que podem contribuir para uma qualidade de vida melhor para as pessoas com o distúrbio.

Esta terapia utiliza diversos tipos de sons combinados, formando melodias, harmonias e músicas que influenciam o cérebro da pessoa e com isso ajuda no tratamento de diversos males. Ouvir determinados sons ativa certas partes do cérebro que podem ajudar no desenvolvimento de funções cognitivas de quem ouve, como a concentração, imaginação, memória, raciocínio lógico e atenção. E, quanto mais o cerébro for estimulado da maneira adequada, mais a pessoa com TDAH pode aliviar os sintomas do transtorno.

Além disso, o tratamento com musicoterapia possui benefícios que vão além do estímulo cerebral, como, por exemplo, o relaxamento, o equilíbrio das emoções e até mesmo influenciar na autoestima. Sem dizer o potencial de despertar a criatividade e o gosto pela música, que, como todo envolvimento com o mundo das artes, pode ajudar em processos de autoconhecimento e expressão emocional e criativa.

Independentemente se você tem ou não TDAH, entrar em contato com a musicoterapia pode beneficiá-lo na sua saúde física, mental e emocional de uma forma surpreendente. Procure conhecer mais sobre esse mundo e, quem sabe, você não será mais um beneficiado dessa terapia tão prazerosa.


Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]