Saúde Integral

Homens, de uma vez por todas, entendam: a gravidez muda, sim, as mulheres

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Estar grávida não significa “só” (entre muitas aspas) carregar um bebê dentro de seu corpo por nove meses. Significa que, pelo seu filho, você vai passar por um carregamento gigantesco de mudanças físicas, psicológicas e emocionais, vindas graças ao bombardeio hormonal que a gravidez traz.

Todos os sintomas que a mulher tem durante os meses gestacionais não fazem parte de uma mentira maquiavélica para ser o centro das atenções da família e dos amigos e ser mimada por todos. Tudo o que ela diz viver e sentir é verdade.

Por isso, abaixo, estão coisas que os homens devem saber sobre a gravidez e, de presente, algumas dicas para que eles saibam lidar melhor com esse período de espera do bebê.

Os enjoos são absolutamente reais e comuns

Náuseas, enjoos e vômitos são tão comuns durante a gravidez que muitas mulheres desconfiam que estão grávidas por causa desses primeiros sintomas, de tanto que já estão associados à gravidez. E eles realmente são reais.

Principalmente no primeiro trimestre gestacional, os níveis hormonais variam muito, inclusive na rapidez com que esses níveis se modificam. Os níveis de estrogênio, progesterona e HCG são os principais responsáveis por enjoos e náuseas.

O sono aumenta ou diminui

Normalmente, a maioria das grávidas sente dificuldade de dormir durante a noite por enjoos ou qualquer outro tipo de desconforto. Por isso, o sono durante o dia é normal. Além disso, de qualquer forma, o sono pode aumentar ou diminuir mesmo que a mulher consiga dormir de noite, justamente por causa dos níveis hormonais ditos no item anterior – só que, nesse caso, em especial o hormônio BHCG.

Cansaço

Mesmo que a grávida fique em casa descansando o dia todo, ela pode continuar cansada. Você já imaginou como é carregar outra pessoa dentro de você? Não tente colocar um saco de arroz por baixo da barriga para tentar entender como é, porque não vai se parecer em nada.

Alguém real e literalmente está dentro de você, mudando o posicionamento dos seus órgãos e dando chutes e socos nas suas costelas de vez em quando. Isso cansa a coluna, ou melhor, o corpo todo.

Ter vontade de fazer sexo pode ser menos comum

Pense bem: no começo da gravidez, a mulher fica enjoada e com ânsia de vômito por, mais ou menos, 90% do tempo. Você teria vontade de ter relações sexuais enquanto está enjoado? E, depois que os enjoos passam, a sua barriga está grande, você está dolorida… Tudo isso faz com que a vontade diminua mesmo.

Isso não quer dizer que a vontade desapareça. Pelo contrário. Há hormônios agindo dentro da mulher que a fazem ter vontade, como o estrogênio e o androgênio, mas é preciso ter paciência para encontrar posições que deixem a mulher confortável para ela também sentir prazer.

É normal comer tudo o tempo todo

Estando no começo, no meio ou no final da gestação, grávidas estão sempre ansiosas. Ansiosas para saber como está a saúde do bebê e se está tudo bem com ele, se o desenvolvimento está correto, se ela está fazendo todo o possível, além de querer ter o filho nos braços logo. Então, a ansiedade é companheira fiel da maioria das grávidas. E o que vem acompanhando a ansiedade? A fome. Ou, pelo menos, a vontade de comer.

Então, os famosos desejos de grávidas são realmente reais. É uma forma do corpo reduzir os níveis de estresse e ansiedade provocados pela gravidez. Tudo bem que o fato de ter desejos exóticos e misturas de alimentos pouco convencionais não é muito bem explicado, mas isso vai de mulher para mulher. O importante é que comer muito é normal.

Você é muito importante

Não pense que você será pai só quando o bebê nascer. Ele já nasceu! Ele tem vida, sentimentos, emoções e sensações ainda nos primeiros nove meses. A diferença é que, depois, ele sai da barriga da mãe e vai para o mundo.

Você precisa fazer parte de todo o processo gestacional. O bebê sente você, escuta você e ama você desde o primeiro dia. Tanto é verdade que ele chuta, se mexe, troca de posições. Tudo isso é a forma que ele tem de se comunicar com o mundo exterior no comecinho de vida dele.

Lembre-se: você também faz parte do processo, papai. Curta muito com a mamãe. Beije a barriga, converse com o seu filho, o sinta chutar, compartilhe de todos os momentos bons (e também dos não tão bons, como enjoos e crises de ansiedade) com a mãe. É mágico.


Texto escrito por Giovanna Frugis da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]